A Pirâmide do Louvre - Paris

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

O Museu do Louvre em Paris é o maior museu de arte do mundo. É visitado por cerca de 8 milhões de pessoas anualmente. É um monumento histórico importantíssimo para a França e para o mundo, pois é uma fortaleza do século 12 que servia de residência para os principais reis que a França já teve.

O Museu do Louvre em Paris é o maior museu de arte do mundo. É visitado por cerca de 8 milhões de pessoas anualmente. É um monumento histórico importantíssimo para a França e para o mundo, pois é uma fortaleza do século 12 que servia de residência para os principais reis que a França já teve. 

           Minha família no pátio do Louvre.

 

Em 1682, o Rei Luís 14 escolheu mudar-se para o Palácio de Versailles, tornando o Louvre um lugar exclusivo para exibir a coleção de arte da realeza francesa. 

Sendo um prédio tão antigo, é claro que a Pirâmide do Louvre não esteve ali desde a fundação né! E nesse ano (2019), ela está completando 30 anos.

A pirâmide é uma estrutura de vidro e metal que fica no pátio do Louvre. Ela serve como entrada principal do museu.

A pirâmide é uma estrutura de vidro e metal que fica no pátio do Louvre. Ela serve como entrada principal do museu.

Foi inaugurada em 1989, encomendada pelo então presidente da França François Mitterrand, e projetada pelo arquiteto I.M.Pei (chinês naturalizado americano). 

A estrutura, que foi construída inteiramente com segmentos de vidro em formato de triângulos e losangos, mede 21 metros de altura e tem 35 metros de base. 

A pirâmide e o átrio que fica debaixo dela, foram criados por causa de uma série de problemas com a entrada antiga do Louvre, que já não podia lidar com o grande número de visitantes diariamente. Hoje, os visitantes que entram através da pirâmide, podem descer até um átrium espaçoso, e em seguida, se dirigir aos outros prédios do museu.

A construção da pirâmide provocou uma grande polêmica, porque muitas pessoas achavam que o estilo futurista da pirâmide não combinava com a arquitetura clássica do Louvre. Já outros apoiaram o contraste entre o velho e o novo.

Existe um mito de que os painéis de vidro na Pirâmide do Louvre somam 666, o número da besta. Na verdade foram várias as tentativas de contar as vidraças da Pirâmide, e em cada contagem apareceu um número diferente. 

Esse boato ressurgiu forte em 2003, quando Dan Brown incorporou esses dados em seu best-seller “O Código Da Vinci”. No livro, o protagonista diz que a pirâmide foi uma exigência expressa do presidente Mitterrand, que pediu exatamente 666 painéis de vidro, um pedido bizarro entre os amantes da conspiração. 

No entanto, segundo os relatórios de uma porta-voz dos serviços de I.M. Pei, o Presidente francês não especificou o número de painéis a serem utilizados na Pirâmide. 

 

Nova iluminação

Em dezembro de 2011, a pirâmide recebeu iluminação com tecnologia de LED, caracterizada por ser mais ecológica e muito mais eficiente em termos energéticos. Este sistema permitite uma redução de 73% no consumo eléctrico e uma percentagem semelhante de redução nas emissões de CO2 para a atmosfera. 

              Antes a iluminação era assim, mais apagadinha. Essa foto é de 2005.

 

No dia do aniversário de 130 anos da Pirâmide, JR (um artista urbano de Paris) usou uma colagem no chão criando uma ilusão de ótica, dando a impressão de que a Pirâmide é muito maior e emerge de dentro da terra. Sensacional! 400 voluntários ajudaram o artista a colar 2.000 pedaços de papél no chão. O trabalho durou uma semana inteira. Já no dia seguinte do aniversário, o print foi apagado, e o pátio do Louvre voltou ao normal. (Foto do próprio JR)

Abaixo, a pirâmide no meio do Museu do Louvre. Eu bati essa foto do alto da Torre Eiffel, com muuuito zoom!

 

A Pirâmide Invertida

Na verdade, o complexo conta com 2 pirâmides: Uma maior e uma outra menor, que fica invertida apontando para baixo, com a função de janela, iluminando o átrium comercial subterrâneo do museu. O interessante é que por fora, ela não aparece.

A Pirâmide Invertida também foi projeto de I.M.Pei, mas só foi executado em 1993.

Exatamente abaixo da ponta da pirâmide invertida, há uma outra pirâmide menor (de mármore). As pontas das pirâmides quase se tocam, mas na verdade não encostam uma com a outra. 

 

Símbolo exotérico

Vários estudiosos e escritores interpretaram a pirâmide invertida como sendo um poderoso símbolo esotérico. Uns acham que o Louvre é a casa da Maçonaria. Outros interpretam as duas pirâmides como sendo "a bússola e o quadrado” que formam o Selo de Salomão. 

Mas a versão mais famosa mesmo foi a de Dan Brown (ele de novo!) no livro “O Código Da Vinci”. Aliás, é o Gran Finale do livro e do filme que fizeram depois. 

O protagonista do romance, Robert Langdon interpreta a pirâmide invertida como um cálice, um símbolo feminino, enquanto que a pirâmide de pedra abaixo é interpretado como uma lâmina, um símbolo masculino. E assim, toda a estrutura poderia expressar a união dos sexos. 

Para Langdon, a pirâmide de pedra é apenas o vértice de uma pirâmide bem maior, enterrada no chão, como uma câmara secreta no seu interior. Nessa câmara teria um sarcófago com os restos mortais de Maria Madalena, a discípula à qual Jesus teria confidenciado informações que não teria passado para mais ninguém, só pra ela.

Ficção ou não, teorias sempre irão surgir envolvendo esse símbolo, que sem dúvida é bem inigmático. Se tiver uma chance, não deixe de visitar!

           2004: Nossa primeira visita à pirâmide. Observe o arco-íris no chão!

 

Leia também:

Tudo sobre Paris e seus Pontos Turísticos

Outras cidades e passeios pela França

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.