↓ Choose the Language ↓ 

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Amsterdam - Holanda

Dam significa “barragem/represa”. Então, Amsterdam = Barragem do Rio Amstel. Essa denominação vem desde o século 12, quando Amsterdam era apenas uma pequena vila de pescadores.

Amsterdam é a capital da região chamada Holanda. O país se chama "Países Baixos" e é regido por uma monarquia constitucional. A família real vive em Haia, cidade ao sul de Amsterdam, onde fica a sede do governo.

Dam significa “barragem/represa”. Então, Amsterdam = Barragem do Rio Amstel. Essa denominação vem desde o século 12, quando Amsterdam era apenas uma pequena vila de pescadores.

 

Holland x Netherlands - Qual a diferença?

Você sabia que a Holanda não é um país?

Saiba a diferença entre Holanda, Países Baixos, Netherlands e Holland 

Clique aqui  →  blog-da-ana34.webnode.com/holland-x-netherland-qual-a-diferenca/

 

Amsterdam

A primeira vez que fomos à Amsterdam, conhecemos a cidade toda através dos passeios de barco pelos canais. É muito legal e eu super recomendo. 

A gente roda o dia todo usando as 3 linhas (verde, vermelha e preta) que tem rotas por toda a cidade. A Gray Line é a melhor empresa que oferece esses serviços. Compramos um ticket que deu direito à usar o barco por 24 hrs, e fomos descendo nos lugares que mais nos interessava. Depois, é só voltar para o ponto de parada deles e pegar o outro barco. Funciona como linha de ônibus ou trem. Super prático. 

Já voltei à Amsterdam outras 5 vezes depois disso. Já fui de carro (achei uma roubada, porque lá só dá bicicleta e os estacionamentos são caríssimos) e já fui de trem também (melhor escolha!). Seja qual for a maneira que vc chegue à Amsterdam, sugiro que comece o passeio pela Estação Central

Seja qual for a maneira que vc chegue à Amsterdam, sugiro que comece o passeio pela Estação Central.         Saindo da estação de trem da cidade de Alkmaar, que fica pertinho de Amsterdam.

 

No trem, de Alkmaar para Amsterdam.     No trem, de Alkmaar para Amsterdam.

 

      Chegando na Estação Central de Amsterdam.

 

Assim que sair da Estação Central, pegue a rua Damrak que fica bem em frente. Caminhe por ela até a Praça Dam.

       Rua Damrak com vista para a Estação Central.

 

       Rua Damrak com a Praça Dam lá na frente.

 

       Vá observando os prédios, olha como são tortos!

 

A Praça Dam é ampla e bem bonita. No meio dela fica o Monumento Nacional, cheio de belos prédios ao redor. Os que chamam mais atenção são o Palácio Real de Amsterdam, o Museu de Cera de Madame Tussaud, a Igreja Nieuwe Kerk e o Shopping Magna.

       Praça Dam.

 

     National Monument, esse obelisco de mármore branco.

 

          Palácio Real de Amsterdam: É um dos quatro palácios oficiais da Holanda, erguido em 1648 em estilo clássico holandês. É usado pela família real, não como sua residência, mas para eventos oficiais e visitas de Estado. A família real mora em Haia.

 

       Museu Madame Tussaud: é um famoso museu de cera, que reproduz com muita perfeição a figura de celebridades. A sede principal do museu fica em Londres, mas existem 13 filiais no mundo. Essa de Amsterdam é uma delas. Eu estive na matriz do museu em Londres. Se vc quiser ver como é, clique aqui  blog-da-ana34.webnode.com/museu-de-cera-de-madame-tussaud-londres/

 

        Igreja Nieuwe Kerk: Traduzindo, significa "igreja nova",  mas ela tem 600 anos!!! Casamentos reais e coroações de reis já passaram por ela. Hoje, a Nieuwe Kerk é principalmente um local que abriga exposições de arte e eventos culturais.

 

        Shopping Magna Plaza.

 

Em Amsterdam a gente não encontra tamancos de madeira, nem pessoas usando roupas típicas na rua. A gente também não vê moinhos de vento muito menos campos de tulipas em flor. Essas coisas características da Holanda a gente só encontra mesmo no interior, longe dos grandes centros. Mas aqui na Praça Dam, tem uma loja que vende souvenirs que espertamente colocou na frente um tamancão de madeira gigante (hahahahaha) pra atrair os turistas. E dá certo, porque o povo morre de tanto tirar foto rs.  

Tem essa loja de queijos também, a famosa Old Amsterdam, com direito à degustação. Meu pai quase morreu, porque ele AMA queijo.

 

Os Canais de Amsterdam

Agora vamos vivenciar uma das maiores atrações da cidade, o mais importante símbolo de Amsterdam, que são os canais! 

A história deles começou no século 17, quando os Países Baixos se tornou o país mais rico do mundo, com hegemonia sobre o resto da Europa. Nessa época, Amsterdam virou um poderoso centro financeiro e seu porto se tornou muito importante. 

Com todo esse desenvolvimento, Amsterdam começou a atrair muitas pessoas em busca de oportunidades. A população havia crescido demais e a cidade foi ficando sem espaço para tanta gente. 

Foi quando veio a brilhante obra da engenharia! 

As terras que antes eram ocupadas pelo mar, começaram a serem drenadas através de canais. A água passou a ser bombeada de volta para o oceano e com isso, “terras firme” foram aparecendo. Assim, novos bairros foram sendo planejados e construídos. 

     Vista aérea de Amsterdam, foto Wikipédia.

 

Hoje os canais são considerados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. 

Para que a água do mar não voltasse a ocupar seu antigo espaço, foram construídos Diques/Barragens. Não só em Amsterdam, mas em quase todo litoral do país.

Hoje, grande parte dos Países Baixos constitui-se de pôlderes, que são as terras abaixo do nível do mar (os antigos leitos oceânicos) que são protegidas pelos diques para não serem alagadas novamente. 

       As áreas em verde são Pôlderes, presentes no litoral do país inteiro.

 

Para se ter uma noção, Amsterdam fica ao lado do Lago Ijseelmeer, que foi formado pela construção de um dique construído em 1932. Amsterdam está à 8 metros abaixo do nível do mar!!! Se não fossem os diques, hummmmm......

Antigamente, a água dos canais era bombeada de volta para o oceano através dos moinhos de vento, aproveitando que é uma região de ventos muito fortes. Os moinhos têm largas pás que captam a força do vento e fazem girar uma roda de madeira que movimenta a água.

Mas hoje em dia, tudo é feito através de bombas elétricas. Por isso não vemos mais moinhos em Amsterdam, e sim nos arredores, nas cidades mais próximas. 

Nesses lugarejos, os moinhos não têm mais a função de bombear a água e sim de moer grãos. São muito antigos, catalogados e até tombados pelo patrimônio histórico. Para visitá-los, existem vários passeios que as agências de viagem vendem pelas ruas de Amsterdam. Dá pra fazer por conta própria também. Eu indico alguns passeios no final desse post.

Voltando ao roteiro de Amsterdam, saindo da Praça Dam, caminhe em direção ao Singel Canal, que é um canal perimetral interno, ou seja, contorna o centro de Amsterdam. Foi construído para fins comerciais e residenciais e tem mais de 100 pontes. 

saindo da Praça Dam, caminhe em direção ao Singel Canal, que é um canal perimetral interno, ou seja, contorna o centro de Amsterdam. Foi construído para fins comerciais e residenciais e tem mais de 100 pontes.       Singel Canal.

 

Na verdade, existem centenas de canais em Amsterdam. A cidade é chamada de Veneza do Norte por causa de seus mais de 100 quilômetros de canais, cerca de 90 ilhas e 1500 pontes no total!!! 

Os canais servem como vias de trânsito. São como ruas e avenidas de Amsterdam. 

Amsterdam é uma cidade totalmente PLANEJADA. Tem até um ditado que diz: “Deus criou o mundo, mas foram os holandeses que criaram a Holanda”. E realmente eles fizeram um trabalho impressionante.

E como existe água por todos os lados, a coisa mais comum de ver é gente morando na água, literalmente! As house boats são um dos cartões-postais mais famosos de Amsterdam.

Siga pela rua que atravessa o Singel Canal, a Raadhuisstraat. Essa rua ainda atravessa outros dois canais, o Herengracht e o Keizersgracht. Entre um canal e outro, a gente vai observando a beleza e as peculiaridades da cidade.

As ruas têm o mesmo pavimento que as calçadas, olha que bonitinho!

Na esquina da rua Raadhuisstraat com a rua Westermark tem um quiosque bem interessante. É o Pink Point. Ele fica ao lado da Igreja Westerkerk. 

       Igreja WesterKerk.

 

       O Pink Point.

 

O Pink Point é o quiosque oficial de informações sobre gays e lésbicas de Amsterdam, com voluntários amigáveis ​​e bem informados sobre o assunto. Além disso, fornece informações sobre o Homomonument, que fica ao lado. 

O Homomonument é um memorial à todos os homens e mulheres homossexuais que lutaram por liberdade e pelos direitos das pessoas cuja orientação sexual difere do que é considerado normal. Foi inaugurado em 1987, e tem a forma de três enormes triângulos cor-de-rosa feitos de granito presos ao chão, que formam um triângulo maior. Um deles tem o vértice sobre o canal Keizersgracht. 

A Holanda é um país super tolerante com a diversidade. Foi o primeiro país do mundo a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, em 2001. Os holandeses em geral têm a mente bem aberta em relação à homossexualidade das pessoas. 

Amsterdam tem uma das maiores cenas gays da Europa, e a Parada Gay é considerada uma das mais incríveis do mundo, porque acontece nos canais, dentro dos barcos!

        ** Foto da internet.

 

A Casa de Anne Frank

Às margens do canal Prinsengracht, fica a Casa de Anne Frank. Uma visita à esse lugar é imperdível, se você se impressiona com as histórias da Segunda Guerra Mundial como eu. 

Quando entrei a casa, eu tinha acabado de ler o livro/diário de Anne Frank e fiquei muito tocada. A gente visita todos os cômodos onde a menina e sua família ficaram 3 anos escondidos dos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. No diário, ela narra como foi esse período e a esperança de sair de lá para ter uma vida normal, o que infelizmente não aconteceu.

Às margens do canal Prinsengracht, fica a Casa de Anne Frank. Uma visita à esse lugar é imperdível, se você se impressiona com as histórias da Segunda Guerra Mundial como eu.

Eu conto tudo aqui nesse post, mostro a casa por dentro, e como foi a curta história de vida de Anne Frank. Clique aqui para ler  →  blog-da-ana34.webnode.com/holanda-paises-baixos/a-casa-de-anne-frank-amsterdam-holanda/

 

Distrito da Luz Vermelha 

É o bairro onde as prostitutas ficam em vitrines a qualquer hora do dia para "vender seu peixe". A região fica ao redor do canal Oudezijds Achterburgwal

Apesar de ser um bairro de prostituição, fica cheio de turistas, inclusive crianças. À noite, o esquema é outro! O bicho pega... Então vá de dia, vale à pena conhecer. É local turístico como outro qualquer em Amsterdam.

Apesar do movimento ativo “do comércio” local, há bares e restaurantes bastante interessantes, e o bairro é muito bonitinho, tem que visitar. 

 

Rijksmuseum

O Rijksmuseum fica mais afastado um pouco do centro. Pra chegar, recomendo pegar um transporte público. 

O museu é lindo por fora! Dá umas fotos lindas! Tem no jardim a palavra AMSTERDAM escrita gigante, em forma de escultura, concorridíssima para fotos. 

Como todo museu, tem que reservar pelo menos a metade de um dia para visitá-lo com calma.

        Meus pais dentro do museu.

 

O Rijksmuseum fica próximo de dois lugares bem legais de Amsterdam. Depois de visitar o museu, reserve disposição para conhecer o Hard Rock Cafe (restaurante temático bem gostoso) e depois caminhe até a Praça Leidseplein. 

A Praça Leidseplein é pura diversão. É rodeada por bares agitados, casa noturnas badaladas e shows à céu aberto. É muito bom terminar o dia lá, principalmente no verão.

Vou aproveitar essa foto pra falar que, na maioria dos canais de Amsterdam, não tem cerca de proteção entre a calçada e a água. Então tenha cuidado viu!

Esses lagartos não são de verdade, kkkk. São esculturas de bronze. Tem vários espalhados nesse gramado. Vendo de longe, levei o maior susto!

Nesse dia, voltamos para o hotel de metrô de superfície. É muito prático e barato. É tipo um ônibus que anda em trilhos. Tem por todos os lados. As linhas atingem todas as áreas da cidade. É só se informar sobre as rotas.

 

As Bicicletas

Tem uma coisa em Amsterdam que não dá pra ignorar, a quantidade de bicicletas nas rua! As estatísticas dizem que a cidade tem mais bicicletas que habitantes, hahahaha, verdade mesmo. 

Muito morador nem carro tem, só bike mesmo. E as leis de trânsito SUPER protegem os ciclistas. São tantos nas ruas, que a gente (pedestre) tem que tomar muito cuidado pra não ser atropelados por eles! 

Tem até estacionamento de bicicleta! Desses iguais à shopping sabe? São andares e mais andares de estacionamentos! Fiquei passada.

Os que não querem pagar para deixar suas bikes estacionadas, acorrentam a ditas cujas pela cidade à fora, nos postes, pontes ou grades. A cidade fica com bicicletas por toda parte! Umas são tão velhas e enferrujadas, que com certeza o dono deixou lá antes de morrer na Segunda Guerra Mundial! É um verdadeiro museu de bicicletas à céu aberto. 

Claro que com tantas bicicletas e com tantos canais, um sempre acaba caindo dentro do outro né! A prefeitura tem barcas “de pesca” de bicicletas que, por algum motivo, foram parar dentro d'água. É um trabalho que nunca vai ter fim. 

Essa "fissura" européia por bicicletas não surgiu do nada. Tudo tem uma explicação. Vou citar algumas:

  • Estacionar automóveis nas ruas do centro é caro. 
  • As ruas são estreitas e dá muito trânsito. 
  • De carro, o tempo que se gasta pode ser grande demais. 
  • Tem o lance do preço do combustível, da poluição e da questão ambiental, que europeu leva bastante à sério. 
  • Além disso, vc pode pegar metrô ou trem com a sua bike junto (tem um vagão reservado para elas!) 
  • Aqui as ruas são mais planas, é fácil pedalar e já vimos que é bastante seguro também. 
  • Então, como se vê, são vários os motivos que fazem os europeus optarem pela bicicleta. 

Eu escrevi um post falando sobre essa cultura da bicicleta na Europa. Se quiser ler o link é esse  →  blog-da-ana34.webnode.com/bike-na-europa/

 

Ganchos nos Telhados 

A arquitetura holandesa é bem marcante. O formato das casinhas apertadinhas lado à lado é inconfundível. 

Outra característica marcante das casas holandesas é a presença de ganchos de ferro que ficam na ponta do telhado das casas. Servem para carregar a mudança, móveis pesados para o andar de cima. É um adorno imprescindível, visto que os móveis não passariam pelos corredores ou escadas estreitas das casas.

 

Os Coffee-Shops

A Holanda é pioneira na política da "tolerância às drogas leves", com o intuito de diminuir a dependência das drogas pesadas. Então lá a Maconha é liberada! 

Por isso, as casas de "Cafés" não estão ali necessariamente para vender Café, se é que vc me entende. Mas se essa for sua intenção, vá fundo! Na Holanda você não corre o risco de amanhecer na delegacia por causa disso. 

O engraçado é que o cheiro que sai lá de dentro é tão forte, que só de passar na porta a gente já fica doidão, rs.

         Tem até Museu da Maconha!! kkkk Fica no Distrito da Luz Vermelha.

 

Botel 

Se vc fizer o passeio de barco, com certeza vai passar pelo Botel (Boat Hotel), o hotel flutuante de Amsterdam. Com tantos canais pela cidade e com gente que até mora dentro dos próprios barcos, não é de se estranhar que em Amsterdam exista um hotel em forma de navio. 

O barco fica ancorado no Pier 3 numa região de Amsterdam chamada NDSM.

Minha amiga Lígia já ficou hospedada no Boat Hotel e contou como foi: 

"O quarto que fiquei era bem apertadinho, principalmente o banheiro. Mas nada que incomodasse, mesmo porque o tempo que passei lá dentro foi pouco. Inicialmente eu estava preocupada se o barco iria “balançar” demais, causando enjôo. Mas não! A gente sente mesmo umas marolinhas, e é até legal. Mas nada que incomode. Parece que ajuda a embalar o sono! Sem contar que, por estar afastado da cidade, a noite lá é bem silenciosa e tranquila."

 

Pelas ruas de Amsterdam 

Essas fotos são antigas, deu até saudade quando eu as escolhi para ilustrar esse post. Elas mostram nossas andanças por Amsterdam na primeira vez que visitamos a cidade. Gostaria de mostrar através dessas fotos o clima gostoso que é andar pelas ruas de Amsterdam, essa cidade linda e charmosa. 

 

Pelos canais de Amsterdam

Falei das nossas andanças à pé, e agora vou falar das de barco! 

Lá no início do post comecei falando sobre as linhas de barco que circulam pelos canais. Vou mostrar algumas fotos do passeio só para você ter uma noção de como é.

         Conhece ponto de ônibus? Então, esse é um ponto de barco!

 

Os barcos são cobertos, mesmo com chuva dá pra fazer os passeios.

A Torre Montalban foi construída em 1512 e reformada durante o século 17. Serviu como uma torre de defesa para a cidade durante a Idade Média. Atualmente, abriga escritórios da empresa de tratamento de água de Amsterdam.

       Igreja de São Nicolau.

 

O NEMO é um museu de ciência e tecnologia localizado em um edifício que tem a forma de um navio.

      NEMO Museum.

 

A Magere Bridge é uma ponte móvel, que abre e fecha, que fica sobre o rio Amstel. A parte central é aberta várias vezes durante o dia para permitir a passagem do tráfego fluvial. Os barcos turísticos são baixos o suficiente para passar por baixo da ponte fechada. Ela é decorada com 1.200 lâmpadas que são acesas à noite e que a deixa linda!

 

Conheça a parte típica da Holanda

Em Amsterdam você NÃO vai encontrar moinhos de ventotamancos de madeiracampos de tulipas e nem festas típicas. São coisas de cidades do interior, e para vivênciar isso, tem que sair de Amsterdam. 

Quem quiser conhecer a autêntica Holland, tem que visitar lugarejos menores. A Holanda é uma região bem pequena dos Países Baixos. Por isso vale à pena aproveitar a estadia em Amsterdam para conhecer outras cidades ao redor viajando por curtas distâncias. 

Nesse link, mostro outras cidades da Holanda, dou sugestões de passeiosfestas típicas e como ver de perto os famosos moinhos de vento e os tamancos de madeira. Clique aqui  →  blog-da-ana34.webnode.com/holanda-paises-baixos/

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.