Clava Cairns - Inverness Escócia

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

Endereço: Inverness IV2 5EU (Horário livre! Grátis!) Site oficial →www.historicenvironment.scot/visit-a-place/places/clava-cairns/

Clava Cairns fica no norte da Escócia, à 11 Km da cidade de Inverness.

Clava = Túmulo  e  Cairns = Pedra 

O monumento Clava Cairn é um túmulo circular usado na Idade do Bronze. Há cerca de 50 túmulos iguais à esse na região de Inverness. Clava Cairns é considerado um dos locais mais misteriosos da Escócia, com teorias que vão desde viagens por outras dimensões até abduções alienígenas.

Aqui aparecem dois tipos de formações de pedras: uma se parece com uma forma de pudim com uma fatia faltando (foi a melhor definição que eu encontrei! Veja na foto acima) No centro fica a câmara funerária, cujo único acesso é uma passagem bem estreita. 

O interessante é que apenas dois corpos no máximo eram enterrados no centro de cada monte de pedras. Isso indica que provavelmente eram pessoas de status e importância.

O outro tipo de formação são as pedras verticais que ficam espalhadas ao redor formando um círculo. 

Informações entre ciência e misticismo revelam à cada dia novas teorias sobre a existência dos círculos de pedras. Estudiosos acreditam que pedras verticais dispostas em formação circular foram locais sagrados, de cerimônias e sepultamento. Elas têm a ver também com o calendário agrícola, indicando a melhor época do ano para o plantio. Os movimentos da lua e do sol ao redor do círculo de pedras funcionavam como uma espécie de "relógio".

Na Inglaterra, uma formação semelhante e bastante famosa é o Stonehenge. Além do Reino Unido, existem outros locais no mundo onde os círculos de pedra aparecem, como na Europa, na China e até na Amazônia!

Sem dúvida, Clava Cairns aqui em Inverness é um lugar bastante místico e esotérico! Sei que nas fotos pode não parecer tão impressionante, mas estando lá pessoalmente é impossível não sentir respeito e reverência aos povos tão antigos que realizavam seus rituais. A beleza não é visual entende? É pelo significado. 

Particularmente, sentimos um grande privilégio em poder tocar naquelas pedras que há milhares de anos pessoas fizeram o mesmo durante suas cerimônias, que datam de 4.000 anos da Idade do Bronze!

Ao caminhar pela área, tem umas placas pra gente ler sobre os estudos que já fizeram no lugar, que mostram a relação do alinhamento solar com a entrada de luz nas câmaras, sobre caminhos (túneis) subterrâneos que teoricamente ligam todos os círculos de pedras da região, e várias outras curiosidades.

A visitação pelo lugar é bem simples e rápida. Em 40 minutos dá pra ver tudo. A coisa é bem rústica. A gente estaciona o carro num lugar meio improvisado e entra por uma porteira. O lugar fica em um ambiente tranquilo e bastante arborizado. Não tem bilheteria (é grátis) e não tem hora de funcionamento estipulado (é livre). Nós fomos de carro, mas sei que tem um ônibus que chega até lá (transporte público) que sai do centro de Inverness.

  O estacionamento e a porteira por onde a gente entra.

A placa que fica na porteira diz que eles estão monitorando os efeitos da erosão nas pedras e conta com a ajuda dos visitantes para tirarem fotos (sem filtro) e marcá-las com a hashtag #clavacairns. Achei isso bem legal!

 

A Noite de Samhain

Samhain (é um nome gaélico) era um ritual pagão que comemorava a passagem do ano pelos celtas gauleses. Marcava o fim da época da colheita e o início do inverno. 

Era uma celebração bastante mística para os celtas. Há relatos em que durante o Samhain, os elfos podiam ser vistos pelos humanos, e que a fronteira entre o "Outro Mundo" e o "Mundo Real" não existia nesse dia. É como se abrisse um portal.

Na noite de Samhain, acreditava-se que as almas dos mortos retornavam a suas casas para visitar os familiares, em busca de alimento e o calor das lareiras. De acordo com as tradições da época, isso não era uma crença do mal, nem mesmo um culto aos mortos. Mas que foi erroneamente chamado de “Noite das Bruxas” e associado ao Halloween à partir do século 19. 

Inspirada nesses relatos e lendas, a autora da série Outlander introduziu na trama os rituais da Noite de Samhain que aparecem lindamente nas cenas que mostram o círculo de pedras. Assista no video abaixo:

 

Outlander

Por causa da série Outlander, o Clava Cairns passou a ser um lugar bastante procurado por visitantes. 

Na série, Claire vai à um círculo de pedras chamado Craigh na Dun, e ao tocar nelas, viaja no tempo há 200 anos no passado. Na verdade, Craigh na Dun não existe. As cenas foram filmadas em Kinloch Rannoch.

Para ler tudo sobre Kinloch Rannoch clique AQUI

  rs Aloka!

Em Kinloch Rannoch as pedras foram cenográficas, mas existem diversos círculos de pedras reais na Escócia! Uma das inspirações de Diana Gabaldon (escritora de Outlander) foi Clava Cairns, que fica perto de Inverness. 

Quem é fã da série e quer ter o gostinho de tocar nas pedras como Claire, é só ir em Clava Cairns. Lá, as pedras são de verdade!

 

Roteiro Outlander pela Escócia locações onde foram filmadas as cenas Ana Cassiano reproduziu as cenas em fotos perfeitas. Visite o Blog da Ana para ver anacassiano.com.br

Para ler o Roteiro Completo de Outlander na Escócia: Todos os locais onde as cenas foram filmadas clique AQUI

Para ler sobre Kinloch Rannoch clique AQUI

 

Leia também:

Inverness e seus Pontos Turísticos

Curiosidades sobre a Escócia

Outras cidades e passeios pela Escócia

Nossa Viagem Completa pela Escócia

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.