Cochem - Vale do Rio Moselle - Alemanha

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

A cidade de Cochem é considerada a "Cereja do Bolo" por quem passeia pelo vale do Rio Moselle na Alemanha. Genteee, que lugar magnífico!

Uma cidade medieval, com um lindo castelo neogótico do século 11 e morros cobertos de vinhedos. Só vendo para acreditar que existe um lugar como esse! Já levei várias pessoas lá para conhecer.

A 1ª vez que fui, cheguei na cidade à noite. Ela estava iluminada e especialmente linda.

  Moselpromenade, com o castelo de Cochem lá no alto.

 Quando fui com meus pais e minha irmã, começamos o passeio logo cedo. É o que eu recomendo, porque as coisas fecham cedo em Cochem.

 

Estacione o carro na Moselpromenade, que é a avenida que margeia o rio Moselle. Nela tem um ótimo calçadão, o melhor ponto de partida para um passeio em Cochem. Caminhe pelo calçadão até a ponte Skagerak-Brücke, de onde a gente tem essa vista bem de frente e maravilhosa do castelo.

Por causa dos inúmeros ataques, o castelo era uma fortaleza de defesa, com torres altas e cercada por muros espessos.  

O rio Moselle divide a cidade de Cochem ao meio. A ponte só foi construída em 1927. Antes disso, a travessia era feita apenas de barco ou balsa. 

Cochem Alemanha Ana Cassiano Histórias de Viagens Logo na entrada do castelo tem uma estátua de um príncipe sapo usando uma enorme coroa. Ele parece refletir olhando para o rio Moselle, talvez desapontado por nenhuma mulher ter subido para beijá-lo Nós na ponte Skagerak-Brücke

 

Do outro lado do rio, o que destaca na paisagem é a igreja St. Remaclus e os vinhedos nas encostas.

Cochem é parada obrigatória para os navios que fazem cruzeiros pelo rio Moselle. O movimento ali de barcos e turistas é grande, principalmente na primavera e no verão.

 

Centro Histórico

Em frente à ponte, tem uma praça. Nela, pegue a rua Brüuckenstraße e depois siga pela rua Bernstraße é uma caminhada deliciosa, porque a gente atravessa o centro histórico de Cochem se sentindo realmente na época medieval. As ruas são estreitas, apertadinhas. Um comércio virado para o outro bem próximos. E tem ruas que ainda passam carros!

Cochem foi bastante destruída durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial. E como toda cidade alemã atingida, foi sendo reconstruída com o tempo, preservando a arquitetura dos prédios exatamente como eram antes.

 Diogo na rua Bernstraße. Em destaque, a torre da igreja St. Martin.

 

O centro da cidade antiga é a praça Marktplatz. Linda e bem típica! Nela fica a prefeitura.

 A fonte Martinsbrunnen.

 Quando guiei Lânia Menezes e Maisa Serhan.

 

Cultura do Vinho

Andando por Cochem a gente percebe a importância do vinho pra eles lá. Nas adegas são vendidas garrafas com rótulos exclusivos da região. A uva é a Riesling, dela se faz o vinho branco e o Sekt (champagne alemão). 

Pela cidade ficam espalhados cartazes com as datas dos concursos que elegem as rainhas e princesas do vinho. Um tradição de séculos, que não pode faltar.

 

O Castelo

 **Foto Wikipedia

Para chegar ao castelo, partindo da praça Marktplatz pegue a rua Herrenstraße e depois a rua Schlosstraße. São 600 metros de caminhada íngrime, mas que vale à pena porque a gente sobe pela encosta dos vinhedos e o caminho é lindo. 

 No mês de agosto.

 Em uma das vezes, quando eu fui no mês de fevereiro, as parreiras estavam completamente sem folhas.

 

A estradinha é asfaltada. Dá para subir de carro até uma determinada altura, mas o estacionamento é pequeno, quase não há vagas. Então o povo prefere subir à pé mesmo.

 Guiando Silvana Rossi e Tania Ruf.

 

Quando a gente chega nos portões do castelo, se depara com essa maravilha de entrada!

O castelo foi documentado pela primeira vez em 1051, quando Richeza (ex-rainha da Polônia) transferiu o castelo para o sobrinho, o conde palatino Heinrich I.

Para entrar no pátio, não precisa pagar. Pode circular lá dentro de graça à vontade. Só é paga a visita dentro do castelo. O pátio fica aberto o ano inteiro.

 Quando guiei José Roberto e Erenice.

 Lânia e Maisa.

 

Do pátio, a gente tem essa visão de Cochem lá embaixo. Olha que vista! O Reichsburg Cochem (como é chamado o castelo) fica no alto de uma impressionante montanha com formato de cone, à mais de 100 metros acima do nível do rio Moselle.

Uma curiosidade: Durante escavações, foi encontrada uma forte corrente de ferro nos porões da fortaleza, que podia ser operada do castelo para bloquear o rio Moselle em caso de invasões.

 

O Príncipe Sapo

Logo na entrada do castelo tem uma estátua de um príncipe sapo usando uma enorme coroa. Ele parece refletir olhando para o rio Moselle, talvez desapontado por nenhuma mulher ter subido para beijá-lo, rs.

Mas o guia do castelo arruinou com minhas fantasias. Ele disse que não é um sapo, mas sim um cavaleiro medieval com um capacete de torneio pesado do século 15, também chamado de capacete de sapo... afffffff

 Mas pra mim, esse cavaleiro sempre continuará sendo um sapo. E se ele me desse bola, eu o beijaria, aloka.

 

As histórias de princesas que beijam sapos e que se transformam em príncipes existem mesmo. O Príncipe Sapo é um conto de fadas dos escritores alemães, os Irmãos Grimm, escrito em 1812. Uma princesa mimada conhece um sapo que ela relutantemente tem que hospedar em seu castelo, onde ele se transforma magicamente em um belo príncipe. O título original em alemão é "Der Froschkönig oder der eiserne Heinrich" (O Rei-Rã ou o Príncipe de Ferro). Esse conto já inspirou muitos filmes, principalmente da Disney.

E para provar que Cochem é coisa de contos de fadas mesmo, independente se o príncipe é sapo ou não, existe um livro de histórias que se passa na cidade! E eles vendem o livro lá no castelo, olha que lindo.

 

Degustação de Vinhos

No castelo tem um restaurante/cafeteria com a mesma vista maravilhosa do vale. Mas quando fomos, não tomamos café não! Essa é uma ótima oportunidade pra gente provar o tão famoso vinho branco da região. Eles vendem em taças avulsas.

 

Os Aposentos

O pátio do castelo permanece aberto durante o ano todo, mas as visitas no interior das instalações não funcionam no inverno (só funcionam de abril à novembro). Custa 7 euros, é uma visita guiada e dura cerca de 40 minutos. Não pode fotografar lá dentro, então peguei essas fotos na página oficial deles.

 Como todo castelo de administração privada na Alemanha, esse também pode ser alugado para festas de casamentos ou de empresas. Já pensou ir à uma festa num castelo?!

 

História

O Castelo de Cochem original do século 11 servia para vigiar e cobrar pedágios dos navios que passavam lá embaixo no rio Moselle. Em 1688, foi invadido e destruído pelas tropas do rei francês Luís XIV. 

Ele permaneceu em ruínas por um longo tempo, até 1868, quando um rico comerciante de Berlim (Louis Ravené) comprou a propriedade e mandou reconstruir o castelo. Seus arquitetos preservaram uma parte do estilo românico original, mas ampliaram o castelo usando também o estilo neo gótico. 

Em 1942, a família de Ravené foi forçada a vender o castelo para o governo nazista. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, o castelo tornou-se propriedade do estado da Renânia-Palatinado. Em 1978, a cidade de Cochem comprou o castelo, que até hoje é administrado por uma empresa privada, a Reichsburg GmbH.

 

Vale dos Castelos na Alemanha

Como se não bastasse o rio Moselle já ser lindo, ainda tem o rio Reno que é maravilhoso também. Os dois rios juntos formam um vale cheio de castelos e paisagens estonteantes. 

 O Vale dos Castelos fica na região oeste da Alemanha, perto de Frankfurt. O rio Moselle se encontra com o rio Reno em Koblenz (pico do "triângulo" no mapa). É um roteiro cheio de cidades lindas com seus castelos maravilhosos.

O mapa abaixo mostra os principais castelos do rio Moselle:

Para ler tudo sobre O Vale dos Castelos na Alemanha clique AQUI

 

Leia também:

Burg Eltz, o 3º castelo mais visitado da Alemanha

Outras cidades e passeios pela Alemanha

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.