Erawan Museum Bangkok

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

O Museu Erawan fica em Bangkok na Tailândia. Ele é incrível porque funciona dentro de uma estrutura em formato de um elefante gigante de três cabeças! De longe a gente já avista a estátua colossal. Ele foi inaugurado em 2003. 

O museu tem 3 andares: os dois de baixo funcionam na barriga do elefante, e o piso superior fica em uma das cabeças. As escadas e o elevador ficam nas pernas. Achei isso fantástico!

De acordo com a cosmologia budista, o primeiro andar representa o submundo, o segundo andar representa a Terra (ou mundo humano) e o piso superior, que fica em uma das cabeças do elefante, representa o Céu (Cosmos).

É um lugar fora do circuito turistão de Bangkok, por isso não é um lugar cheio de gente.

O elefante representa a divindade hindu Ganesha, que é reverenciada como a removedora de obstáculos, patrona das artes e das ciências e deusa do intelecto e da sabedoria. O enorme elefante de bronze pesa 250 toneladas, tem 29 metros de altura, 39 metros de comprimento e fica em um pedestal de 15 metros de altura. 

Embora seja chamado de museu, o Erawan tem um lance religioso também. Logo na entrada, tem uma fonte de água que simula um riacho. Tem um motorzinho que cria uma correnteza que faz a água circular ao redor do prédio dos elefantes. Ao lado tem uma barraca que vende flores de lótus. As pessoas compram, fazem pedidos e depositam as flores no riacho. Diz a crença que a água tem que estar em movimento para trazer bons fluidos, e assim os lótus que depositamos se vão com a correnteza. O lótus tem todo um significado de purificação para os budistas.

A mesma barraca do lótus também vende incensos e colares de flores usados para orações e oferendas. Há um pequeno altar no meio do pátio com uma imagem linda e dourada da deusa Ganesha montada em um elefante. Ao redor tem uns queimadores de incenso. Imitei as pessoas locais: fiz oferendas, pedidos e agradeci pela oportunidade daquela viagem e por estar ali.

Além de museu, o Erawan também é um templo. E por isso, tem uma série de regras de vestimentas a serem seguidas para que as pessoas possam entrar na estrutura do elefante. Nesse caso, Pedro pôde entrar de bermuda, mas eu tive que cobrir os ombros com um echarpe. No banheiro feminino tinham vários cabides com saias longas para emprestar. A gente pode escolher qual quiser e devolver na hora de ir embora.

Quando cheguei, eu estava vestida assim...

... e depois fiquei assim! Bem típica tailandesa. Eu amei a transformação!

Essa é a primeira vista que temos ao entrar no salão principal. Eu achei impressionante. Fiquei encantada. Há esculturas por todo o espaço. Elas são incrivelmente complexas, assim como o vitral no teto. O áudio guia que o museu fornece explica o significado de todos os símbolos.

A quantidade de detalhes é fascinante. As escadas são em formato de dragões que sobem em espiral, uma de cada lado, nos levando até o segundo andar. 

Os três andares dentro do elefante contêm antiguidades e coleções inestimáveis ​​de objetos religiosos antigos pertencentes a Khun Lek Viriyapant, que é o dono do museu. 

Os dois andares inferiores ficam na barriga do elefante. O primeiro andar representa o submundo e contém uma série de esculturas elaboradas, uma coleção de vasos chineses das dinastias Ming e Qing e uma história da construção do museu como fotografias e cartazes nas paredes. 

O segundo andar representa a Terra (ou mundo humano) e abriga antiguidades e artes preciosas, incluindo cerâmicas européias. Há vários santuários e estátuas no patamar que levam ao segundo andar. 

Esta é a vista de cima! Estou na Terra olhando para o submundo... - "Olá submundo!" 

O piso superior (que fica em uma das cabeças do elefante) representa o Céu Travatimsa, localizado no topo do Monte Meru, na cosmologia budista. Para chegar lá tem um elevador e escadas que sobem pelas pernas do elefante. Em exibição estão relíquias e estátuas de Buda muito antigas de várias épocas. As paredes são decoradas com pinturas representando o Cosmos.

Aqui, meu filho Pedro está no ponto mais alto das cabeças do elefante, admirando a paisagem lá de fora.

No jardim do museu também tem exibições ao ar livre de estátuas e santuários. Há um caminho inteiro cheio de elefantes de cores diferentes onde podemos passear. Existem sensores ao longo do caminho que, quando acionados, fazem com que sons de elefante sejam reproduzidos nos alto-falantes. As crianças se divertem!

O Erawan fica um pouco afastado do centro de Bangkok. Na verdade, o museu não está tecnicamente na capital. Ele está localizado um pouco ao sul, no município de Samut Prakan, mas dá para chegar facilmente de BTS SkyTrain. Porém, para ganhar tempo, eu fui de taxi mesmo. Do centro da cidade até o museu, levou 40 minutos de taxi.

A gente pode comprar os ingressos na portaria do museu ou pela internet. O ingresso custa 400 THB por pessoa (13 dólares). O link para comprar online é esse → Clique AQUI  

O museu fornece guias de áudio gratuitos em vários idiomas para facilitar a visitação.

 

Leia também:

Bangkok e seus Pontos Turísticos

Outras cidades e passeios pela Tailândia

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.