Fatos, Informações e Curiosidades sobre o Japão

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

Terra do Sol Nascente

Atigamente, era a China que estabelecia a grande parte das marcas e dos símbolos da civilização avançada, há 2 mil anos antes do Japão. Como resultado desse domínio, a China tinha uma enorme influência na cultura asiática. Quando o Japão começou a ser descrito, isso foi realizado a partir de uma perspectiva chinesa. Então quando os chineses olhavam para o leste, na direção do Japão, eles olhavam na direção do amanhecer. Foi assim que eles passaram a chamar o país como o país do sol nascente.

       A palavra "Japão" escrita em japonês, que significa "sol nascente"

 

As Bandeiras

Hinomaru é a bandeira branca com um círculo vermelho no meio. Significa "a bandeira do sol". Significado das cores: O vermelho é o sol coberto de pureza e boas intenções (o branco) afim de enraizar as pessoas com estas virtudes.

A bandeira do sol nascente (círculo vermelho com dezesseis listras que simbolizam os raios do sol) tornou-se a bandeira oficial do Exército do Japão em 1870, quando o Imperador Meiji derrubou o feudalismo e abriu as portas do país para resto do mundo. 

Nos anos seguintes, o Japão Imperial participou de uma série de conflitos militares e violentos. O assassinato em massa de centenas de milhares de pessoas, se tornou um símbolo da tirania do Japão Imperial. Em todas as guerras, a bandeira do sol nascente era o estandarte dos militares japoneses, enquanto a Hinomaru era usada pelos soldados apenas como um amuleto de sorte. 

Para o povo japonês, que não tinha o conhecimento do que realmente se passava nos campos de batalha, a bandeira do sol nascente era um símbolo de resistência contra a ameaça da interferência estrangeira. 

Após a derrota do Japão pelas Forças Aliadas comandadas pelos EUA, em 1945, o Tribunal Militar Internacional revelou com detalhes as atrocidades cometidas pelo exército japonês. E livres da censura, os jornais japoneses puderam publicar o que realmente aconteceu nos campos de batalha nas décadas de 1930 e 1940. 

Como consequência, a reputação dos militares no Japão caiu, e com ela, o orgulho e admiração pela bandeira do sol nascente. O exército japonês foi desfeito e a bandeira no sol nascente foi banida. De fato, além de ser um mero símbolo militar, a bandeira do sol nascente não representa nada do Japão pacífico e próspero dos dias atuais. (Fonte: IPC Digital)

 

Brasileiros precisam de Visto

O Brasil possui a maior colônia de imigrantes japoneses e inúmeros descendentes. Cerca de 254 mil brasileiros vivem atualmente no Japão. Apesar disso, brasileiros precisam de visto para ir ao Japão. Não é difícil conseguir, mas é chato porque tem um longo processo burocrático. Tem que juntar um monte de documentos pra levar no consulado e coisa e tal... mas no fim a gente consegue.

Eles são muito rigorosos quanto à isso. Tem que ir no consulado, solicitar um visto de viagem já com a passagem comprada. Eles só emitem um visto relativo aos dias que a gente vai ficar lá. Depois o visto perde a validade. Se tiver que voltar ao Japão novamente, tem que pedir outro visto. Não é como em outros países que o visto vale por anos. 

        Chegamos pelo aeroporto de Narita.

Nós viajamos de ANA (All Nippon Airways) que é a segunda maior empresa aérea do Japão, perdendo apenas para a Japan Airlines, e a setima maior do mundo em número de passageiros transportados. Membro da Star Alliance, tem seu hub de operações concentrados no aeroporto de Narita, em Tóquio.

 

Japan Rail Pass

Se você estiver se preparando para visitar o Japão, saiba que andar de trem por lá custa caro! Então o melhor a fazer é comprar o Japan Rail Pass, criado especialmente para turistas, com opções de viagens ilimitadas com o trem comum ou o trem-bala entre 7 e 21 dias.  

Se você tiver que comprar cada trecho toda vez que precisar se deslocar, vai custar um absurdo! Para facilitar a vida do turista, o governo japonês criou o Japan Rail Pass, que é um ticket só para estrangeiros (japonês não pode obter) e que dá direito a andar de trem quantas vezes quiser, dento do prazo de validade do bilhete. 

MAS ATENÇÃO: Tem que comprar antes de chegar no Japão! Geralmente vende no consulado onde vc socilitou o visto japonês. 

Nós compramos os nossos no consulado do Japão em Frankfurt Alemanha, porque foi lá que demos entrada na papelada do visto. O ticket custou 450 dólares por pessoa! É caro! Mas sai mais barato que comprar as passagens por lá. Isso é para dar uma noção de como é caro andar de trem no Japão. 

Para consultar preços e informações sobre o Japain Rail Pass clique AQUI

Com o Japan Rail Pass, podemos pegar trens em todo país durante o tempo da nossa estadia. É só apresentá-lo na bilheteria da estação onde você estiver e trocar na hora por um ticket local. 

 

O Shinkansen, trem-bala japonês

O Shinkansen é a rede ferroviária de alta velocidade que opera em todo o Japão. Ela existe desde 1964 e é administrada pela companhia privada Japan Railways. A palavra Shinkansen significa literalmente "Nova Linha Troncal". Os trens viajam até 320Km/h.

No trajeto entre Tóquio e Kioto, podemos ver o maravilhoso Monte Fuji. Ele fica na fronteira das províncias de Shizuoka e Yamanashi. 

Para ver detalhes dessa viagem clique AQUI

Andar de trem no Japão custa caro! De trem bala então, é mais caro ainda. Então eu recomendo comprar o Japan Rail Pass, esse que eu falei acima. 

 

A Língua

E para minha grande surpresa, os japoneses em sua maioria não falam bem o inglês ou qualquer outra língua. Só os policiais e os atendentes do Mc Donalds (kkkkkkkk) falam inglês. E o inglês dos japoneses é literalmente "do outro mundo", porque eles trocam a pronúncia do L pelo R, e colocam O e U no meio das sílabas, assim do nada (!!!!!!!!!!) Por isso é praticamente impossível entender o inglês deles, e claro, eles também não entendem o nosso! Vixi.... 

Apesar da comunicação ser difícil, há algumas placas escritas no alfabeto ocidental, o que já ajuda um pouco. E os japoneses são muito educados. Eles tentam ao máximo nos ajudar, nem que seja a base de mímica.

Olha as contas dos restaurantes! hahahaha A gente não entende nada!!!

Como faz pra conferir um negócio desse gente? Meu marido tinha uma tática, contar o número de ítens que a gente tinha pedido... pelo menos isso dá pra conferir né, e só! 

Eu escrevi um post com dicas de viagem para países de língua difícil. Para ler clique AQUI

 

Quando ir

Estive no Japão durante o verão (início de setembro). Peguei temperaturas de 30 graus, muita umidade, chuva e a passagem de um tufão. 

No dia do tufão, recebemos avisos de alerta pelo celular (em japonês e em inglês) emitidos pelo governo. Mas o povo tá tão acostumado com isso! Todo mundo com cara de natural, menos nós! rs

Eu gostaria de ter ido no início da primavera para ver as cerejeiras, mas dizem que quem tem problemas respiratórios sofre muito nessa época do ano, por causa do pólen das flores. E meu marido e filha são extremamente alérgicos. Então preferimos ir no verão mesmo.

 

Fuso-Horário

Dependendo de onde você partir, são horas e mais horas de vôo até chegar ao Japão. A gente chega morto de cansado, mas pensa que é só ir para o hotel, tomar um bom banho e dormir a noite inteira que no dia seguinte a gente vai acordar renovado para o 1º dia de passeio. Mas não se engane! O jetlag é punk. O corpo precisa de um tempo maior para se acostumar.

Por experiência própria, na hora de planejar uma viagem para o Japão ou China, reserve o primeiro dia livre, porque a gente dorme o dia todo hahaha, é verdade. O corpo perde a noção do horário biológico e do horário local. A gente só precisa DORMIR kkkk. 

Então não compre ingressos online com antecedência para visitar nenhuma atração logo no primeiro dia depois da chegada, porque o cansaço é tão grande, que a gente não aguenta! E quando arrisca e vai assim mesmo, acaba não aproveitando nada direito (por experiência própria também).

 

A Comida

A gente pensa que japonês só come sushi e sashimi... mas na verdade, o que eles mais comem é o Rámen! Escrevi um post sobre isso, e também sobre os cardápios em japonês nos restaurantes. Como escolher a comida e como conferir a conta se a gente não entende nada o que está escrito? Também mostrei as especiarias japonesas que comi por lá.

Para ler sobre minhas Experiências Gastronômicas no Japão clique AQUI

 

As Gueixas

A palavra Gueixa significa "artista". São mulheres que precisam estudar e se preparar por muitos anos antes de se tornar uma gueixa de verdade. Elas são muito cultas, informadas e falam vários idiomas. 

As Gueixas não são prostitutas. Até o século 17, a atividade artística das Gueixas nas Casas de Chás japonesas eram confundidas com prostituição porque os proprietários ofereciam suas funcionárias, que de dia eram arrumadeiras e garçonetes, mas à noite eram prostitutas. Isso fazia com que a clientela confundisse as dançarinas com Gueixas, o que causou uma grande confusão. 

Em Kioto existe um bairro que se chama Gion. Lá é a região onde vivem as Gueixas. É um lugar bastante turístico, lógico! Quem não quer ver uma Gueixa de perto? Andando pelas ruas de Gion a gente encontra várias Gueixas pelo caminho. 

Para ler tudo sobre as Gueixas clique AQUI

Quem entende sobre a arte milenar de se vestir tradicionalmente no Japão, sabe o quanto significa usar um Kimono de verdade. Eu tive o prazer de usar um autêntico traje como esse → Para ver clique AQUI 

 

Wifi Portátil

O acesso ao Wifi gratuito ainda é raro no Japão. O aluguel de um Pocket Wifi é ideal pra gente que busca acesso rápido e ilimitado à internet durante a viagem. A gente aluga um aparelhinho pequeno e leve (um roteador) e leva na bolsa pra todo lugar. Eu achei sensacional!!!

Podemos tratar tudo pela internet. Eles entregam no hotel ou até mesmo no aeroporto. O link com preços e informações é esse  →https://www.japan-rail-pass.pt/services/pocket-wifi

Assista ao video abaixo:

 

Vaso Sanitário

Os banheiros no Japão são 8 ou 80!

Não se assuste se você for ao toilette público e der de cara com um buraco no chão. É muito comum! Até hoje os japoneses ainda fazem suas necessidades agachados! É cultural. Já no aeroporto a gente vê isso. Depois percebi nas lojas, restaurantes, enfim, em todos os lugares.

Porém, nos mesmos banheiros tem cabines com privadas "altamente tecnológicas" que só faltam falar! Aliás, elas falam! São elétricas, esquentam, jogam diferentes tipo de jato de água e emitem sons que podemos escolher: barulho de mar, cachoeira, ou alguma música da sua preferência. 

No nosso hotel só tinha o moderno, não tinha o buraco no chão não. O diferente era que o painel de comando ficava embutido na parede, diferente dos públicos onde o controle das funções ficava em um braço na lateral do vaso sanitário.

Assista ao video abaixo:

 

Ku é Bairro

No Japão, "ku" significa "bairro". Eu costumo brincar que lá a gente pode falar ku à vontade, porque não é palavrão, rs. A gente entra e sai do ku toda hora kkkk, aloka. 

Então os bairros ou regiões sempre vão ter o ku no mome kkk. Ex: Shibuya-ku, Shinju-ku, Haraju-ku, etc. 

 

Os Terremotos

O Japão é formado por quatro grandes ilhas montanhosas e mais de três mil ilhas pequenas. O país fica em uma zona de frequentes furacões, terremotos e erupções vulcânicas por estar situado nos limites da placa tectônica euroasiática.

Terremotos são muito comuns no Japão. De acordo com os sismólogos, o chão treme em média 3 vezes por dia! Muitos tremores são tão leves, que a gente nem chega a sentir. E quando são mais fortes, parecem “suaves” graças à tecnologia de construção anti-terremoto que absorve os tremores e ameniza os efeitos nas casas e nos prédios. 

   Na entrada de muitos prédios, tem placas que explicam e mostram que ali possui essa tecnologia.

 

Mas quando o bicho pega mesmo, um tremor de magnitude 8.0 graus na escala Richter por exemplo, os japas tentam seguir o que aprendem nos vários treinamentos de sobrevivência que eles fazem ao longo da vida. Lá eu aprendi (lá vai uma dica valiosa!) que a primeira coisa que temos que fazer é abrir as portas!!! porque é a primeira coisa que enverga numa estrutura são as portas, e ficar preso, sem poder sair, numa situação como essa pode ser bem complicado.

Por todos os cantos tem um “kit-terremoto” que possui roupa de amianto, capacete, apito, comida desidratada, uma garrafinha de água e alguns ítens básicos para fazer curativos. SIM! Ao visitar o Japão, vc tem que estar preparado para vivenciar tudo isso! 

As solas dos sapatos e os saltos detonam com bastante facilidade no Japão. Isso porque as ruas são como uma LIXA! O asfalto e as calçadas são feitos com uma mistura de concreto e pedrinhas para que o chão seja flexível e resista aos terremotos sem rachar.

 

Disputa por Espaço

Tóquio é a maior área metropolitana que existe no planeta, com mais de 13 milhões de habitantes (2019). Então o grande problema de lá é o espaço! É muita gente morando num lugar só! Por isso, eles aproveitam todos os espaços possíveis. As bicicletas são empilhadas umas sobre as outras. Os carros nas garagens também!

E esse círculo aí no chão é para as manobras. Toda garagem tem que ter. As ruas são muito apertadas. Não dá pra manobrar. Então eles param o carro em cima desse círculo no chão que gira. É assim que se manobra carros em Tóquio.

 

Direção Inglesa, volante no lado direito

O Japão adota a mão inglesa de direção. O volante dos carros fica do lado direito. Dá uma aflição ver o povo dirigindo com tudo espelhado! E os taxistas dirigem correndo demais.

No século 18, dirigir pelo lado esquerdo da rua, que já era regra na Inglaterra e em todo o Reino Unido, passou a valer também em todas as colônias de domínio britânico pelo mundo e é assim até hoje. Mas o Japão nunca pertenceu ao Império Britânico. Porém, desde quando os japoneses importaram o primeiro sistema ferroviário da Inglaterra, receberam a influência da mão inglesa de direção e assim permanecem até hoje.

Eu tive a oportunidade de dirigir na mão inglesa. Foi na Escócia. Para ver essa minha experiência, clique AQUI

As portas do taxi japonês fecham sozinhas e os carros geralmente são um mesmo modelo antiguinho. A cor pode ser preta, verde água (lindo!) ou laranja.

E uma coisa explica a outra: Do mesmo jeito que se dirige do lado esquerdo da rua, deve-se parar no lado esquerdo das escadas-rolante para dar passagem pra quem quer subir mais rápido pela direita. Ande à pé pelas ruas no Japão sempre pela esquerda. Deixe o lado da direita para quem vem no fluxo contrário.... e por aí vai. Ou seja, tudo é ao contrário! No início a gente erra bastante, mas depois o cérebro se acostuma.

 

Regras para usar o Metrô

Diariamente, mais de 10 milhões de pessoas passam pelo metrô de Tóquio, cujo sistema é o mais avançado e preciso do planeta. 

Com tanta gente usando o metrô, há certas regras de convivência que devem ser cumpridas, como por exemplo: o silêncio dentro dos vagões, o sentido do fluxo que as pessoas caminham, a nossa dificuldade de entender as placas em japonês, o vagão exclusivo para mulheres, etc. 

Eu escrevi um post para contar minhas experiências no metrô de Tóquio, mas acredito que muita coisa deve ser parecida nos metrôs do Japão em geral, principalmente nas grandes cidades. Para ler meu post sobre o Metrô clique AQUI

 

É proibido fumar nas ruas

Os japoneses fumam muito! E isso me surpreendeu bastante. Por isso, as leis em relação ao tabaco são muito rigorosas no Japão. É proibido fumar em lugares públicos, como em parques por exemplo. Também não pode fumar andando pelas ruas. Tem placas e avisos no chão das calçadas que advertem sobre isso o tempo todo.

E para as pessoas poderem fumar, existem espaços (tipos cabines) específicos espalhados pela cidade. Só pode fumar lá dentro!

Existem também lounges para fumantes. Lugares onde as pessoas frequentam só para poderem fumar tranquilamente, com conforto, sentadas... porque na rua, só de pé, na chuva etc.

E tem uma inovação que eles lançaram, chamada de IQOS, que tem diminuido significativamente as vendas de cigarros no Japão. É uma tecnologia de tabaco aquecido ao invés de queimado. Esse último causa cancêr e outros problemas de saúde por causa da fumaça. Não é considerado cigarro eletrônico (que também causa males) e muitos fumantes têm preferido o IQOS quando não conseguem parar de fumar. Vi muitas lojas do IQOS espalhadas por Tóquio.

 

Letreiros Luminosos

Tudo no Japão é muito iluminado. Eles não economizam na iluminação dos prédios, fachadas de lojas e letreiros de propagandas. Até exageram um pouco na minha opinião, porque fica tudo colorido demais, sem harmonia. Chega à ficar poluído visualmente, mas essa é uma forte característica dos países asiáticos. 

Ao cair da noite, os grandes centros ganham vida. Uma infinidade de letreiros hipnotizam a gente com seus neons e telões de alta definição que piscam e gritam, todos ao mesmo tempo. Sim, gritam! Porque se não bastasse a luz chamativa, ainda tem o som!!! Fica parecendo um grande cinema à céu aberto.

A poluição visual é tão grande, que chega a causar vertigem e confusão mental rs, letreiros de todas as marcas e todas as grifes do mundo piscando, todas juntas, uma tentando chamar mais atenção que a outra. 

 

Burikko e a Voz das Mulheres

As japonesas têm um jeito de falar bem "infantil", com a voz estridente e entonações bem dramáticas. Parecem personagens de desenhos animados conversando. O termo Burikko se originou nos anos 80, e em português significa “fofura em excesso”. Isso graças à uma onda chamada "Burikko". 

Trata-se de uma expressão usada para descrever pessoas (geralmente mulheres) que agem e falam de maneira infantilizada, a fim de chamar a atenção das pessoas. Podemos dizer que Burikko tem relação com a cultura kawaii e também com o "lolicon", um gênero de anime/mangá hentai que retrata personagens infantis ou adolescentes que carregam consigo um misto de erotismo e fofura. (Fonte: Site Japão em Foco)

Leia mais sobre Burikko, assista ao video Clique AQUI

 

Uniformes Escolares

Os uniformes escolares japoneses são inspirados nas roupas de marinheiros. São chamados de seifuku. Uma graça gente! 

Andando de metrô a gente vê bastante estudante voltando pra casa. É cada uniforme, um mais lindo que o outro.

Por isso que vemos nos Mangás e Animes os personagens vestidos assim. E nas lojas de Cosplay, o que mais vende são as roupas que imitam os uniformes escolares.

 

Shishis, os Leões Guardiões

Essa costume mítico foi introduzido no Japão pela China e Coréia no século 12. É um um elemento presente nos templos chineses e japoneses, geralmente feito em pedra. 

Traduzido como "leão", mas também pode se referir a cão, com poderes mágicos e a capacidade de repelir espíritos maléficos. Um par de shishis, tradicionalmente, monta guarda do lado de fora dos portões dos templos Xintoístas e Budistas. Estão sempre em pares, um macho e uma fêmea. O macho segura uma bola debaixo da pata e a fêmea brinca com um filhote. 

O shishi aparece com sua boca aberta (para assustar os demônios) ou fechada (para abrigar e manter os bons espíritos).

 

Leia também:

Minha viagem pelo Japão

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.