HEIDELBERG

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

Esse ao longe é o Castelo de Heidelberg. Sempre que posso, subo aqui nesse lugar para contemplá-lo por inteiro. É um lugar escondido, poucos sabem chegar. Tem uma vista de tirar o fôlego, com Heidelberg aos nossos pés! Quem já esteve aqui entende o que estou falando.

Quando eu trago pessoas para conhecerem Heidelberg, deixo para terminar o roteiro do dia aqui, como se fosse um "Bônus". Sinto prazer em ver nos rostos a surpresa e a admiração por estar num lugar tão bonito.

Nada que eu disser aqui vai conseguir traduzir Heidelberg verdadeiramente. Tem que vir, ver, vivenciar, provar e sentir tudo pessoalmente. Mas eu vou tentar descrevê-la, vamos lá...

Heidelberg fica à 90 km de Frankfurt e é uma cidade mundialmente famosa, presente na lista das Top Mais do turismo internacional. Isso por causa do seu imponente castelo e da maravilhosa localização entre o rio Neckar e as encostas da floresta de Odenwald.

No século 19, a cidade recebeu o título da “cidade do romance”, pois Heidelberg se tornou um dos locais mais importantes do romantismo alemão. Poetas, escritores e pintores foram atraídos cada vez mais para a cidade.

Heidelberg é uma das poucas cidades alemãs que durante a Segunda Guerra Mundial, ficou praticamente ilesa. Os americanos "pouparam" Heidelberg dos bombardeios, porque eles achavam uma cidade bonita demais para ser destruída.

 

O Castelo

Depois de NewschwansteinSchloß (o Castelo da Cinderela), Heidelberg é o Castelo mais visitado da Alemanha. As ruínas dessa impressionante construção datam de 1400!

O Castelo de Heidelberg foi construído ao longo de um período de 400 anos. Com a Guerra dos Trinta Anos e o conflito com a França, em 1689, grande parte de sua estrutura foi destruída. Hoje, está em ruínas, mas os prédios que ainda estão de pé são fascinantes.

              O castelo iluminado à noite, olha a lua!

 

No terreno onde ficava a fortaleza medieval, reina hoje uma ruína majestosa e deslumbrante. Durante cinco séculos, foi a residência dos reis e príncipes do Palatinado, da dinastia dos Wittelsbacher. Esse castelo tem muita história para contar.

          O castelo ao longe parece uma pintura!

 

Essa é a entrada do castelo. Parece até um filme medieval! O conjunto arquitetônico é fabuloso. 

 

A Dentada da Bruxa

No portão do castelo tem uma argola de ferro, pesada e maciça, com a qual os visitantes batiam (como se fosse uma campainha) quando queriam entrar. Nessa argola tem uma suposta dentada... Oi???

Diz a lenda que... Aquele que, ao serviço do senhor do castelo, conseguisse morder a argola do portão, seria o próximo Rei. Receberia o castelo de presente, se arrebentasse a argola com os dentes. Muitos tentaram, inclusive uma bruxa. Com sua forte mordida, fez várias tentativas, mas seus dentes quebraram. A força da magia falhou, mas permaneceu um pequeno buraco na argola, a chamada Hexenbiss ("a dentada da bruxa").

Esse é o pátio central do castelo. Aqui aconteciam as feiras, mercados e festas medievais na época.

 

Na fachada do Friedrichsbau estão representadas estátuas dos ancestrais do príncipe regente da época, membros da Casa de Wittelsbach, o Rei da Dinamarca, da Suécia e da Noruega, Ruperto I (fundador da Universidade de Heidelberg) e Frederico IV (o construtor do edifício).

As 16 figuras da fachada do Ottheinrichsbau (prédio de Otto) representam personagens do Antigo Testamento e divindades pagãs. No nível do chão: heróis místicos (Josué, Sansão, Hércules e David) e imperadores romanos como sómbolo do poder político e militar. Nos frontões triangulares das janelas encontram-se representados romanos famosos, cujos modelos foram recolhidos a partir de moedas da época. No Primeiro andar: Virtudes de um governador cristão (Força, Fé, Amor, Esperança e Justiça) e no Segundo andar: Personificação dos sete astros clássicos (Saturno, Marte, Vénus, Mercúrio, Júpiter, Sol e Lua).

Fachada do Ottheinrichsbau, prédio onde hoje funciona o Museu Alemão de Farmácia.

 

Construído com fortalezas, torres e fossos, o castelo tornou-se o símbolo feudal mais famoso dos príncipes do Palatinado. 

O magnífico jardim foi projetado com a intenção de criar um paraíso na terra. Durante muito tempo, já foi considerado a oitava maravilha do mundo.

   Registro de como era o jardim original.

 

    Hoje está assim, um lindo e amplo gramado.

 

A Pulverturm, essa torre aí, se partiu e caiu como um pedaço do bolo. Ela foi bombardeada em 1689 pelos soldados franceses durante a Guerra de Sucessão do Palatinado. Desde então, é possível ver os escombros da torre caídos no local.

Depois dessa Guerra com a França em 1689, várias torres do castelo foram destruídas. O interessante dessa história é que os habitantes da cidade receberam autorização do Rei da época para usarem os blocos de pedra caídos no chão para reconstruírem suas casas.  

    Maquete que mostra como o castelo era antes de ser destruído.

 

Continuando o tour pelo castelo, a gente vai para o terraço, de onde temos uma vista maravilhosa da cidade lá embaixo.

 

O Salto do Cavaleiro

Sem dúvida o que mais intriga os visitantes é uma marca natural no piso de pedra, em forma de sola de sapato, que fica aqui no terraço do castelo. Tal marca é chamada de Der Rittersprung (O Salto do Cavaleiro).

Lá vem outra lenda... Certa vez, durante a realização de um banquete, houve um incêndio. Um cavaleiro encontrou todas as saídas bloqueadas pelo fogo. Não lhe restava outra alternativa senão saltar pela janela. O céu o recompensou pelo pulo audacioso. Ele não se machucou, mas o chão ficou perfurado pelas suas fortes botas de ferro, deixando pegadas que estão lá até hoje.

Outros associam a pegada ao Rei, afirmando que ele saltou, completamente alcoolizado, da janela do seu quarto para o terraço do castelo. 

Uma lenda mais romântica diz que a marca da pegada é de um homem nobre que foi pego em flagrante no local com uma jovem princesa. 

Independente da versão, milhares de turistas que passam por alí “experimentam” a marca na rocha com seus próprios pés, tentando que os seus calçados se encaixem na “pegada do cavaleiro”. Acredita-se que, se o pé se encaixar, a pessoa será recompensada com uma vida feliz, e um dia certamente retornará à Heidelberg.

         ** Pé de Lígia Maria

 

O Barril Gigante 

Dentro da adega do castelo, tem um barril gigante. Os reis amavam dar festas e por isso, estocavam o próprio vinho. No caso de Heidelberg, o barril era enorme e cabiam 195 mil litros de vinho. O barril foi construído em 1589. As pessoas podem subir nele se quiserem! 

     Meus pais na entrada da adega. Adoro essas cortinas.

 

          Na adega tem um bar onde vende vinhos produzidos na região.

 

 

A Cidade

Heidelberg é a segunda cidade mais visitada da Alemanha! E não é procurada apenas por turistas não! É famosa também pelas suas universidades. Aqui fica a primeira (e uma das melhores) universidades de medicina do país, criada em 1386.

A Madonna é a imagem de Nossa Senhora, tendo como pano de fundo o castelo. No século 16 o Palatinado era totalmente de religião protestante. Mas, em 1685, ela recebeu um rei católico. O novo rei tentou converter seus súdicos protestantes para a fé católica e mandou colocar a estátua da Madonna, em estilo barroco, nesta praça. A tentativa de converter o povo não deu certo e hoje, a estátua está lá apenas para ser apreciada pelos turistas.

A cidade foi um dos centros da Reforma Protestante, tendo acolhido Martinho Lutero em 1518. A igreja de Heidelberg é a primeira Luterana que existe!

A prefeitura fica na Marktplatz. No passado bruxas e hereges eram queimados ou executados nesta praça. 

         A prefeitura.

 

No centro da praça foi construída em 1703 uma fonte com a estátua de Hércules. Esta estátua, que simboliza a força deste herói da mitologia grega, virou um símbolo também do esforço tremendo que foi exigido da população de Heidelberg na reconstrução da cidade destruída na Guerra dos Nove Anos, no final do século 15.

             É uma delícia andar pelas ruas do centro velho da cidade!

 

Abaixo mostro o Hotel Haus zum Ritter, do ano 1592. Para se hospedar nele, tem que desembolsar uma grana preta, porque ele é considerado de alto luxo! Possui poucas suites e as mobílias são todas de época, justamente para fazer o hóspede se sentir no século 16! Um espetáculo!

Ritter significa "cavaleiro medieval" em alemão. Na entrada do hotel, tem um cavaleiro medieva para as pessoas tirarem fotos.

 

A Ponte

O portão antigo da cidade tem 2 torres e fica na ponte velha, a Alte Brücke. Estas torres foram construídas no século 13.

A ponte fica sobre o rio Neckar. É famosa por possuir 9 arcos e foi construída em 1788. No século 11 já existia uma ponte de madeira e constantemente era destruída por inundações. Foi só em 1784 que começou a construção da atual ponte de pedra.

Em 1945, nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, os soldados alemães explodiram a ponte para impedir o avanço das tropas inimigas. Sua reconstrução começou em 1946 e levou 1 ano para ficar pronta.

         As fotos tiradas da ponte ficam incríveis!

 

O "macaco da ponte" é uma escultura que conta a história que realmente existiu. Um macaco esperto ficava ao lado da ponte segurando um espelho e dando as boas vindas aos viajantes.

Se você tocar no espelho que há na escultura, lhe trará riqueza; se você tocar nos dedos do macaco, lhe dará o direito de voltar a Heidelberg; e se tocar nas esculturas dos ratinhos que estão junto ao do macaco, lhe trará fertilidade. Ficam muitos turistas ali aglomerados para fazerem tudo isso!

       Cadeados do amor eterno na ponte, com o nome do casal gravado neles. Um costume europeu.

 

Curiosidade

Perto de Heidelberg tem uma pequena cidade chamada Eberbach. Lá existe uma confeitaria muito especial, a Viktoria Konditorei, que há cerca de meio século faz bolos para a realeza inglesa!

Houveram  várias ocasiões especiais em que os bolos da Viktoria Konditorei (ou Cafe Victoria) foram enviados à Londres. Por exemplo, nas comemorações de 25 anos de reinado da rainha Elizabeth II, no casamento de Charles e Diana, no aniversário de 100 anos da rainha-mãe (Elizabeth I) e no casamento do príncipe William e Kate Middleton. 

O Cafe Victoria existe desde 1886 e funciona até hoje! Todos esses bolos famosos estão lá pra gente provar e se der tempo, no final do passeio em Heidelberg, dou uma esticadinha até Eberbach p tomármos um café com bolo bem especial! 

** Escrevi um post sobre essa confeitaria. Para ler clique AQUI

 

Leia também:

Schwetzingen → um dos complexos "Castelo + Jardins" mais bonitos da Alemanha (e fica à 10 Km de Heidelberg apenas!)

Outras cidades e passeios pela Alemanha

    

Clique e acesse minhas Redes Sociais

    

     

    

    

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.