Manaus - Amazonas

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

Quando ir

Antes de ir para a Amazônia, é importante considerar a vazão dos rios! 

De agosto à novembro (período da seca) quase não chove na região norte. Portanto, o nível dos rios é mais baixo, o que proporciona a realização de todos os passeios e o desfrute das praias. Sim! No Amazonas tem praias! Praias de rios! Vou mostrar mais adiante.

À partir de dezembro, as chuvas torrenciais características dessa região chegam com força, subindo muito o nível das águas. Os passeios não seriam apreciados da mesma maneira. 

Eu fui em meados de novembro e foi perfeito.

     Desmatamento visto do avião :(

 

           E queimadas também :(

 

Voltando à parte bela, A Floresta! Que imagem viu!

     Não é a floresta que é grande, nós é que somos pequenos!

 

As primeiras impressões

Logo no café da manhã, eu já tive as primeiras impressões do que seriam nossas experiências gastronômicas locais. 

 

Floresta dentro do Shopping

Meu primeiro passeio foi no Shopping Manauara. Aí vcs me perguntam: ela sai de São Paulo, voa até MA-NAUS... e vai para um shopping?? É que não é um shopping qualquer gente! Tem um pedaço de Floresta Amazônica dentro dele!! Uma maravilha! Eu tinha que ver isso de perto.

Foi lá que a Júlia minha filha comeu o primeiro prato típico regional, o famoso Pirarucu (peixe). Eu sou vegetariana, então comi massa.

 

Manaus

As principais atrações de Manaus ficam na região do centro. Ali podemos perceber as características gerais da cidade. 

Manaus é grande, com muitos prédios e um trânsito terrível. A cidade é um FORNO! A gente fica melada, desidratada. Tem que ter sempre à mão uma garrafinha de água. 

Vi muitos ratos nas ruas, característica de cidades portuárias. É rota de grandes navios cargueiros e de Cruzeiros marítimos que chegam através do Rio Amazonas e do Rio Negro. 

Há uma certa preocupação com deficientes físicos. Vi bastante lugares com fácil acesso para cadeirantes e calçadas rebaixadas.

    Muito trânsito!

 

   Navio de cruzeiro atracado no porto.

 

Aparentemente, o poder aquisitivo da população é alto. Há muitos latifundiários vindos do sul do Brasil (principalmente gaúchos e catarinenses) que comandam a pecuária e plantações de soja na região. A gente vê muitos carrões nas ruas, shoppings cheios, muita gente bonita e bem vestida. 

Por outro lado, as ruas também estão cheias de miseráveis. Venezuelanos e Haitianos refugiados de seus países em crise enchem as ruas de Manaus de pobreza, é uma pena. O perigo de assalto é eminente no centro da cidade. Tem que saber onde anda, de preferência acompanhado de uma pessoa local.

Há muitos torcedores que usam camisas de times de futebol cariocas e paulistas, principalmente Flamengo e Corinthians. 

A antiga Zona Franca de Manaus hoje é chamada de Zona Industrial e está dominada pelos chineses e coreanos. As ruas dessa região têm cara de becos, não são muito bonitas não. Na verdade parecem um grande camelódromo. Mas há quem diga que ainda encontram-se produtos confiáveis, originais e baratos para comprar. Eu não fui conferir, não fui à Manaus pra isso.

A gente vê muitos estrangeiros nas ruas, dispostos à desbravar o Brasil, as matas, rios e índios. O ponto de partida deles é sempre Manaus.

     Manaus vista do alto.

 

O bonito de Manaus mesmo são as construções feitas no período áureo da borracha (1880-1914), e o melhor exemplo é sem dúvida o belo Teatro Amazonas.

 

O Teatro Amazonas

O Teatro Amazonas é o símbolo máximo do Ciclo da Borracha, foi construído em 1896 para a apresentação de peças e óperas de companhias européias. 

   Foto da internet.

 

O interior do Teatro é magnífico e foi eleito em 2019 uma das mais belas casas de ópera do mundo! 

O Teatro Amazonas já recebeu em seu palco vários astros mundiais da música e da dança, como por exemplo Luciano Pavarotti, José Carreras, Spice Girls, a banda The White Stripes, o dançarino Mikhail Baryshnikov e Ana Pegova. 

Para ler tudo sobre o Teatro Amazonas clique AQUI

 

O Largo São Sebastião fica na frente do Teatro Amazonas. É uma praça bem bonitinha, arborizada e cheia de restaurantes típicos. É um lugar muito agradável para uma pausa depois da visitação do teatro. 

Já estávamos com fome de almoço, e no meio de tantos restaurantes, escolhemos a Tacacaria Amazonas. Acho que nessa pracinha todos os restaurantes são bons. Nós escolhemos esse mais pelo ar condicionado mesmo! kkkkkkk 

Eles comeram um Tambaqui de Banda, prato típico de peixe com baião, farofa e vinagrete. Muito bem servido e grande, dá para 3 pessoas tranquilamente. Tem um bordão local que diz: “Quem come Tambaqui e Jaraqui nunca mais sai daqui”... Então tá né!

     Banda de Tambaqui.

 

Vou aproveitar a oportunidade e citar outras comidas típicas que provamos ao longo dessa viagem. O Tucunaré, o Tucumã e o Pirarucú.

                    Restaurante Morada do Peixe.

 

O Pirarucú é um peixe enorme. É quase do tamanho de um ser humano adulto. Por causa do seu tamanho e peso, a sua pesca não é com anzol. Eles fisgam o peixe com linhas resistentes amarradas em bombonas de plástico que não afundam. Quando o peixe se cansa, eles o encurralam na parte rasa do rio e o pegam com os braços!

 

É o endereço nobre de Manaus! Em Ponta Negra ficam os apartamentos residenciais de alto padrão e os hotéis mais luxuosos da cidade. Tem um shopping de classe média alta e vários empreendimentos imobiliários sendo construídos, como lojas e prédios de escritórios.

A Praia de Ponta Negra é a mais famosa da cidade, muito procurada para refrescar do calor. A praia só se forma quando o rio está no nível baixo (fora do período das chuvas), porque quando está alto, ele cobre a areia. 

Olha que praia gente! Aqui podemos curtir um pôr-do-sol maravilhoso. Tem um mirante lindo! Uma delícia de lugar.

A praia é emoldurada por um calçadão com prédios, quadras de esporte, anfiteatros, bares e restaurantes, o que garante movimento dia e noite. É um lugar muito agitado! 

Em várias épocas do ano acontecem shows no anfiteatro de Ponta Negra, que foi inspirado num cocar de índio. Olha que lindo! 

Acontecem shows nele à noite frequentemente.

 

Da Ponta Negra é o melhor lugar para avistar a Ponte Estaiada, que liga Manaus ao município de Iranduba. É a única ponte que atravessa o trecho brasileiro do Rio Negro, sendo considerada a maior ponte fluvial do Brasil, com 3,6 quilômetros de extensão e 400 metros de altura, e a segunda maior ponte fluvial no mundo, superada apenas pela ponte sobre o Rio Orinoco, na Venezuela.

Foi inaugurada em 2011, no dia do aniversário de 342 anos de Manaus, pela então presidente do país, Dilma Roussef. O custo total da Ponte Rio Negro foi de 1 bilhão de reais. Foram usados aço e cimento em quantidade suficiente para erguer três estádios do Maracanã. A ponte tem quatro faixas de tráfego, duas em cada sentido, além das faixas de pedestres nos dois lados. 

Para o governo do Amazonas, a ponte vai além da arquitetura monumental, pois leva o desenvolvimento para toda a região. Ao lado do Teatro Amazonas, a ponte vem sendo considerada um dos maiores e mais importantes monumentos da arquitetura da Amazônia.

A ponte iluminada à noite é linda. Ela muda de cor de acordo com datas festivas. É nela que os amazonenses festejam o Reveillon. Há queima de fogos e cascatas de luzes. 

Durante o passeio de barco no Rio Negro, a gente passa por baixo da ponte. Dá pra ver de perto como é a estrutura, as pilastras de sustentação e a tecnologia para evitar a corrosão. 

 

O Mercado Municipal Adolpho Lisboa foi construído às margens do rio Negro e inaugurado no auge do Ciclo da Borracha (1883) e restaurado em 2013. 

Em estilo art nouveau, remete ao Mercado de Les Halles, de Paris, com pavilhões em alvenaria e ferro fundido, repletos de vitrais. 

O espaço é um dos mais movimentados centros de comercialização de produtos regionais, temperos e ervas medicinais, peixes, artesanato indígena e objetos de decoração. 

Especiarias encontradas lá: Cachaça de Jambu, Chichuá (Viagra da Amazônia kkkkk Êita nóis!), Balas de Cupuaçu, Bijouterias de sementes de Açaí, Piranhas empalhadas, Urubatan de Maués (o Guaraná em Pó que levanta até defunto), e Ervas Medicinais "Cura Tudo": Mururé, Cipó Tuíra e Jatobá! 

     

Mas o que eu gostei mesmo foi de uma caixa com amostra de 62 tipos de madeiras diferentes encontradas na Floresta Amazônica. 

            

O suvenir mais famoso de Manaus é esse sapinho de madeira. Quando a gente esfrega esse pauzinho nas costas dele, emite um som igualzinho os sapos da floresta. Fica um monte de gente fazendo, rs. 

 

O Rio Negro é o rio da Amazônia que banha Manaus. Ele é enorme e importantíssimo para toda a região. Tem partes que a gente nem consegue enxergar a outra margem a olho nu. É muita água gente! Em Manaus o Rio Negro encontra com o Rio Solimões e esse encontro de águas forma o Rio Amazônas, que é o maior rio do mundo.

O Rio negro é o mais extenso rio de águas escuras do planeta, e o segundo maior em volume de água — atrás somente do Amazonas. 

O Rio Negro nasce na Cordilheira dos Andes na Colômbia. Com o degelo nos Andes e a estação das chuvas na região Amazônica, o nível do rio sobe vários metros, alcançando sua máxima entre os meses de junho e julho. O nível do rio baixa até meados de novembro, quando novamente inicia o ciclo da cheia. Todos os rios da Bacia Amazônica sofrem o mesmo fenômeno de subidas e baixas em seus níveis.

Em Manaus, a máxima do Rio Negro vem sendo registrado há mais de cem anos, e há um quadro no Porto de Manaus com todos os registros históricos, inclusive o da maior cheia de todos os tempos, ocorrida em 2012, alcançando a cota de 30 metros acima do nível do mar.

O porto de Manaus é o maior porto fluvial do mundo. Atende vários estados da região norte. No Rio Negro se forma uma fila de cargueiros esperando para ancorar no porto. Como eu já disse antes, o porto também tem estrutura para receber navios de Cruzeiro, tem alfândega e tudo e pode operar até 4 navios simultaneamente.

Só pra se ter uma noção da importância dos rios na Amazônia, entre Manaus e Belém não existe estradas! O único meio de transporte é o avião ou o barco. A maioria das pessoas claro usam o barco, claro. São 16 dias de viagem!!! 

Manaus é a maior cidade da região toda. As pessoas dependem de Manaus para fazer compras, passar por consultas médicas mais especializadas e outras necessidades básicas. E eles fazem tudo via fluvial mesmo, por isso os barcos com cabines (quartos individuais) ou com redes mesmo, que são os mais baratos. Nem sempre estão de acordo com as condições de segurança previstas por lei, e por isso naufrágios acontecem com frequência, infelizmente.

 

A cor das águas de todos os rios dependem das interações químicas e físicas das áreas ao redor. As águas pretas do Rio Negro e de muitos de seus efluentes possuem grande quantidade de substâncias orgânicas dissolvidas vindas dos solos arenosos adjacentes ao rio, que possuem vegetação rica em húmus. O húmus é uma decomposição de matéria orgânica, ou seja, restos de animais e plantas mortas. Portanto, é o húmus que dá a cor preta e é carregado para dentro do rio com as inundações.

Nessa foto dá pra ver bem como a água do Rio Negro é escura. Porém, mesmo escura, a água possue uma transparência que varia entre 1,3 m e 2,3 m. A foto mostra a pesca do Pirarucu, peixe mais consumido da região.

 

No passeio de barco que eu fiz, o guia mencionou a palavra "Cauxi". Então eu fui pesquisar. 

Ao tomar banho no Rio Negro, observei que o corpo ficava com uma camadinha fina de barro grudadinha na pele. Era o tal do Cauxi, que é uma substância derivada da reação de micro esponjas com a água do rio. Não é prejudicial à pele. É só esfregar com água e sabão durante o banho que sai.

Aliás, deixa eu falar uma coisa. Depois que nadei no Rio Negro e deixei os cabelos secarem ao natural, eles ficaram MARA! Vai aí uma dica de beleza hein! aloka

       Propaganda de shampoo, kkkk

 

No meu post sobre o passeio de barco que fiz no Rio Negro eu conto como é o encontro das águas dos Rios Negro e Solimões e a experiência de nadar com os Botos Cor-de-Rosa. 

No video abaixo: Nadando com Botos Cor-de-Rosa, Dançando com índios Tatuyós, Visita à Cachoeira de Presidente Figueiredo, Encontro das águas Rio Negro e Solimões e Passeio de Barco nos Rios da Amazônia.

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.