↓ Choose the Language ↓ 

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Palácio de Catarina, Rússia

Só abre ao meio dia, mas os jardins podem ser visitados antes! Horário de fechamento depende da estação do ano. Tem que olhar no site oficial → www.tzar.ru/  O palácio fecha todas as terças. Comprar ticket online para evitar filas. Preço para palácio e jardim custou 1000 Rubros por pessoa (65 Reais). Saindo de São Petersburgo é um passeio de um dia inteiro. Fui de trem e voltei de taxi. Combine com o taxista o valor da corrida antes. Como ir de trem → no final do post.

O Palácio de Catarina é um palácio Rococó da Rússia que serviu de residência de verão para os Czares. Fica localizado na cidade Tsarskoye Selo (que se chamava Pushkin durante o periodo soviético), a 25 quilometros de São Petersburgo. É pertinho, dá pra ir de trem. Mostro no final desse post.

** Curiosidade: Pushkin foi a primeira cidade na Europa a ter luz elétrica! Eu pensei que fosse Paris, mas não!

Catarina I foi Imperatriz da Rússia. Conheceu o imperador Pedro I em 1703, com quem se casou e tiveram doze filhos. Porém apenas Ana e Isabel sobreviveram até a idade adulta.

Tsarkoye Selo Pushkin Palácio de Catarina Palace São Petersburgo como chegar. Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

Pedro coroou Catarina como co-governante do Império Russo em 1724 e ela assumiu o trono sozinha em 1725 depois da morte do marido, tornando-se a primeira mulher na história a governar a Rússia. 

A nova imperatriz foi controlada por seus conselheiros durante a maior parte de seu reinado, porém conseguiu por conta própria reduzir os gastos do exército e dessa forma aliviar o peso dos impostos sobre a população. 

Catarina morreu em 1727 aos 43 anos de idade devido uma tuberculose e foi sucedida por Pedro II, seu cunhado.

Existe uma série da HBO, Catarina a Grande, com a atriz Helen Mirren que conta a história da imperatríz. Assista o trailer.

O Palácio teve origem em 1717, quando Catarina mandou construir um lugar para passar o verão em família. Depois da sua morte, sua filha - a Imperatriz Ana – mandou expandir o Palácio. 

A irmã, Imperatriz Isabel, no entanto, achou a residência fora de moda e incômoda, e em 1756, pediu que demolisse a velha estrutura e a substituísse por um edifício muito maior no estilo Rococó. Durante a vida de Isabel, o palácio teve fama pelo seu opulento exterior. Isabel ordenou que fossem usados mais de 100 quilos de ouro para dourar a sofisticada fachada. 

O interior neoclássico é do final do século 18, com muito dourado e lindíssimos tetos pintados. 

Aqui fica exposto esse manequim representando a Czarina Elizabeth Petrovna Romanova usando vestido feito de papel, obra da artista belga Isabelle de Borchgrave.

Mas sem dúvida, o que mais impressiona no palácio, é a Câmara de Âmbar. Ainda na época de Catarina, foi construída a Câmara de Âmbar, que devido sua beleza, costuma ser chamada de "A Oitava Maravilha do Mundo". 

Trata-se de uma decoração feita de painéis em âmbar e espelhos folheados a ouro, projetada em conjunto por artesãos russos e alemães. O cômodo foi projetado e construído em 1701 na Prússia (Alemanha). Permaneceu no Palácio de Charlottenburg (Berlin) até 1716, quando foi presenteado ao Czar Pedro I (marido de Catarina). As placas de âmbar então foram desmontadas e montadas no novo endereço na Rússia. 

Durante a Segunda Guerra Mundial, no Cerco de Lelingrado 1941, as forças militares germânicas saquearam o palácio. Em meio ao caos, a decoração foi roubada, e seu paradeiro permanece desconhecido até os dias de hoje. Em 2015, dizem ter encontrado em Ruhr, na Alemanha, algo que poderia ser a Câmara de âmbar, enterrada abaixo da cidade. Historiadores acreditam que isso reforçaria a teoria de que foi Erich Koch, administrador-chefe dos nazistas na Prússia Oriental, quem planejou o roubo, uma vez que ele a teria enviado à sua cidade natal. 

Em 1979, teve início o projeto de reconstruir a Câmara de Âmbar no Palácio de Catarina. Em 2003, após décadas de trabalho, o cômodo foi reinaugurado e reaberto para visitação. 

Câmara de Âmbar amber room tudo dourado rococó Palacio de Cataria Palace Tsarkoye Selo Blog da Ana Cassiano Rússia anacassiano.com.br

Foi deste palácio que o último Tzar russo, Nicolau II (o último imperador da Rússia) e sua família foram levados pelos bolcheviques, após a revolução russa. Conduzidos até a Sibéria, seriam todos executados em 1918. Até hoje é lembrada a história de Anastácia, filha mais nova do Tzar, que, segundo a lenda, teria conseguido escapar dos revolucionários e sobrevivido, vivendo para sempre anônima em local desconhecido. 

Dentro do palácio tem uma cafeteria e restaurante, que serve refeições rápidas, café e bolos bem bonitos e tentadores. Das janelinhas do restaurante, a gente tem essa bela vista do pátio interno do palácio.

O jardim do palácio é enorme e também é aberto para visitação. 

Visite os jardins do Palácio de Catarina na Rússia, mesmo no inverno. Tsarkoye Selo Pushkin Blog da Ana Cassiano São Petersburgo ana.cassiano.com.br

 Minha filha com frio, rs

Como fomos no inverno, o jardim estava coberto de neve, uma beleza à parte. Mas lógico que no verão, o jardim deve ser maravilhoso também. Vi fotos de canteiros de flores formando mosaicos. Deve ser incrível.

Ficam umas pessoas vestidas de roupa de época para tirarem fotos com os turistas na frente do palácio, mas eles cobram por isso. Então antes de aceitar, pergunte quanto custa.

No inverno anoitece cedo. Por isso, o jardim fecha às 15 horas. Ficamos até escurecer, depois pegamos um taxi de volta à São Petersburgo. Na frente do palácio tem um ponto de taxi cheio de motoristas dispostos a fechar um bom preço para não perder a corrida.

 

Brasileiros Mundo Afora

Tem uma revista virtual que se chama "Brasileiros Mundo Afora" que publica experiências interessantes de brasileiros que viajam pelo mundo. Por causa dessa minha viagem à Rússia, fui convidada pela editora para participar dessa edição. Fiquei muito feliz.

 

Como ir de São Petersburgo ao Palácio de Catarina de trem

Em São Petersburgo, pegar linha 1 vermelha do metrô e descer na estação Pushkinskaya (Пушкинская). Esta estação do metrô fica ao lado da estação de trem Vitebskiy, de onde partem os trens para Pushkin (Пу́шкин). 

Por causa das placas confusas e da falta deles falarem inglês, tivemos uma certa dificuldade pra achar a plataforma logo de cara. Tem que ter paciência, fazer mímica, tentar o inglês mesmo, enfim... Mas no fim, deu certo. Embarcamos e descemos na estação Tsarskoye Selo, em Pushkin

Logo na saída da estação Tsarskoye Selo, há uma praça em formato semi-circular. Dali até o palácio são 25 minutos de caminhada (cerca de 2 km). Nós pegamos um taxi. Mas na praça tem várias linhas de ônibus que passam no palácio. 

Tanto a passagem do trem quanto dos ônibus são baratinhas. E o taxi da volta, do palácio de Catarina até são Petersburgo custou cerca de 120 Reais. Nós estávamos em 3 pessoas, então eu acho que valeu à pena, porque já estávamos cansados pra fazer o percurso todo de trem de volta. 

Antes de entrar no taxi pesquise e pergunte ao motorista o valor da corrida para evitar surpresas. Se eles não falarem inglês, peça para escreverem no papel os números, o valor.

 

Leia também:

São Petersburgo

Catedral do Sangue Derramado, São Petersburgo

Moscou

Catedral de São Basílio, Moscou

Estações de Metrô de Moscou

Curiosidades gerais sobre a Rússia

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.