↓ Choose the Language ↓ 

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Recife - Pernambuco

Recife Pernambuco Brasil o que fazer, O que visitar na maior cidade do Nordeste brasileiro Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

3 dias são suficientes para conhecer bem Recife e Olinda. As pessoas fazem esse roteiro geralmente nos finais de semana. Mas se for pegar praia, reserve mais alguns dias.

Recife, capital do estado de Pernambuco, é uma das cidades mais importantes do nordeste brasileiro. A cidade surgiu em 1537, na área portuária da capitania mais rica do Brasil Colônia, famosa na época por causa da cana-de-açúcar e do pau-brasil. No século 16, quando os europeus chegaram em Recife, a região era ocupada pelo povo tupi dos caetés. Depois vieram os holandeses e portugueses

Recife tem esse nome por causa do paredão de arrecifes das praias da região, que são vistos principalmente durante a maré baixa.

Recife é conhecida como a "Veneza Brasileira" por causa de seus canais e pontes. Na cidade acontece o encontro dos rios Beberibe e Capibaribe que deságuam no Oceano Atlântico. 

         Ponte Gov. Paulo Guerra

 

O Centro Histórico de Recife representa em conjunto com Olinda, um dos mais valiosos patrimônios barrocos do Brasil. É um roteiro que recebe muitos turistas do Brasil e do mundo todo.

Não tem como falar de Recife e não citar Olinda! A cidade irmã, dona do carnaval mais divertido do Brasil é cheia de história pra contar e está logo ali, à 30 minutos de carro. Vou começar falando de Recife e depois vou escrever um post totalmente dedicado à Olinda.

Para conhecer bem a cidade de Recife, comece pela Praia de Boa Viagem... 

 

Praia de Boa Viagem

         Foto batida da janela do meu hotel.

 

A avenida Boa Viagem tem um ótimo calçadão com vários quiosques. Os melhores hotéis estão nessa região. Quando fui, fiquei hospedada no Hotel Golden Tulip (Av Boa Viagem, 4070) que é um ótimo hotel, muito bem localizado. 

A praia de Boa Viagem é bastante frequentada, apesar dos ataques de tubarões, que na hora da maré alta podem atravessar os arrecifes. O ataque de tubarões em áreas de banhistas é por causa da construção do Porto de Suape, a poucos quilômetros de Boa Viagem, que destruiu o habitat natural desses animais. Na verdade, os tubarões são as verdadeiras vítimas, e não as pessoas!

Praia de Boa Viagem Recife Pernambuco Tubarão Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

Apesar disso, as pessoas nadam mesmo assim. É só tomar cuidado e seguir as recomendações dos salva-vidas que ficam na orla atentos à tudo. Caminhar na praia durante o pôr-do-sol é uma delícia.

Para quem curte mergulho, essa região é rica em navios naufragados. Muitas guerras já ocorreram nesse pedaço do litoral do Brasil e consequentemente muitos navios foram afundados por ali. Por causa dos arrecifes também!

Agora vamos explorar o centro histórico de Recife. Vamos começar pela Igreja Madre de Deus. Siga a ordem dos atrativos abaixo para facilitar sua visista.

 

Igreja Madre de Deus

É a Igreja Matriz do Recife, que data de 1680. A arquitetura da fachada tem duas torres e o corpo central em pedra. O altar é em estilo rococó.

 

Paço da Alfândega

Bem ao lado da Igreja Madre de Deus fica o Paço da Alfândega. Paço (escreve com ç mesmo) é o nome dado a uma habitação suntuosa feita para a realeza ou o episcopado, ou seja, um palácio. 

A construção data de 1732 e até hoje são preservados traços da arquitetura original. O local, que nasceu com uma proposta de alimentação e lojas voltadas para um público de maior poder aquisitivo, passou por uma reformulação. O novo Paço está sendo reestruturado para ser um modelo de shopping voltado para serviços. A mudança não estará só nos negócios, será estrutural também. A ideia inicial é que o térreo se transforme em um espaço gastronômico; o primeiro andar, em ala de serviços e moda; e segundo piso focado em tecnologia e fast food.

 

Ponte Maurício de Nassau

Importante ponte que liga a cidade ao centro antigo de Recife. Foi a primeira ponte de madeira construída sobre o rio Capibaribe, e a primeira ponte de grande porte no Brasil, inaugurada em 1643, sob a administração do príncipe holandês Maurício de Nassau. Maurício foi um fidalgo nascido na Alemanha, mas que recebeu títulos na Holanda. Veio para Recife onde se tornou governador, e é considerado um dos maiores benfeitores deste canto do país. 

A ponte original possuía uma parte levadiça que permitia a passagem dos barcos por baixo dela, através de um pagamento de pedágio, cuja cobrança ficava a cargo de companhia holandesa. Esta ponte sofreu várias reformas e em 1865 foi substituída por uma de ferro, que se chamou Ponte 7 de Setembro, mas teve pouca durabilidade, por conta da maresia e da rápida deterioração. Em 1917 foi reconstruída em concreto armado e reinaugurada com o nome Ponte Maurício de Nassau, que se encontra até hoje. 

Nas suas colunas laterais, existem quatro grandes estátuas de bronze, duas em cada extremidade da ponte.

Bem na lateral da ponte, fica a "escultura Pernambuco", perfeita para tirar fotos e guardar como lembrança dessa cidade maravilhosa.

Em frente à Ponte Maurício de Nassau, começa a Avenida Marquês de Olinda. Siga por essa avenida até a Praça do Marco Zero. Vá apreciando a arquitetura das construções, essa avenida é linda!

         Av. Marquês de Olinda esquina com Rua do Bom Jesus.

 

Logo à frente, você chegará na Praça do Marco Zero.

 

Marco Zero

A Praça Rio Branco é onde fica o Marco Zero, local onde a cidade nasceu. Tem uma placa de bronze no chão bem no centro da praça que marca o quilômetro inicial do Recife com suas coordenadas geográficas. É um espaço muito amplo e por isso é o lugar onde acontecem manifestações culturais, políticas e shows. 

Marco Zero Recife Pernambuco Brasil Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

O local é marcado por um painel do artista plástico Cícero Dias no chão, que se chama "Eu vi o mundo, ele começava em Recife". O desenho colorido ao redor do Marco Zero é uma Rosa dos Ventos, com as indicações dos pontos cardeais e referências aos astros como o sol, a lua e os planetas do sistema solar. É uma obra de 1928, quando Cícero Dias deixou Recife muito moço ainda para ir morar em Paris. Através desse desenho, ele fez referência às suas memórias afetivas da cidade. 

      Marco Zero visto do alto (Foto Wikipedia)

 

Há ali um pequeno obelisco, de aproximadamente 1 metro e meio de altura, instalado em 1938 pelo Automóvel Club de Pernambuco. Esse é, de fato, o Marco Zero da cidade. 

            Barão do Rio Branco, escultura do francês Felix Charpeutier, que fica na frente do Centro de Artesanato de Pernambuco, onde são vendidos artesanatos típicos e obras de arte de artistas do estado.

 

No lado oposto da praça, fica o Cais do Porto com seus armazéns, que era um local abandonado e perigoso, mas que recentemente passou por uma reurbanização e revitalização. No lugar dos antigos armazéns, hoje funcionam ótimos restaurantes, cafeterias e lojas, lugar perfeito para fazer uma pausa do passeio, para comer ou usar o banheiro (que é grátis). Um calçadão foi construído ao lado, que virou uma ótima alternativa de lazer para a população. Um lugar bastante movimentado, cheio de gente alegre e feliz, rs.

        Armazéns do Porto e seu calçadão.

 

           Bem no meio, estátua em homenagem ao músico Naná Vasconcelos com um berimbau nas mãos, instrumento que marcou a carreira do artista.

 

           Tem uma escultura enorme com a palavra "Recife" onde as pessoas ficam tirando fotos.

 

        Olha eu aí, rs. Achou?

 

Assista ao video abaixo:

 

Parque das Esculturas

Bem na frente da Praça do Marco Zero fica o Parque das Esculturas. Tem que pegar um barquinho pra chegar até lá, custa 5 reais. 

O parque foi construído no ano de 2000 como marco comemorativo da cidade do Recife aos 500 anos do Descobrimento do Brasil. São 90 esculturas do escultor e artista plástico pernambucano Francisco Brennand, sendo a principal obra no complexo a Coluna de Cristal, com 32 metros de altura e confeccionada em argila e bronze, popularmente conhecida como "Picão do Brennand" devido à sua forma fálica. 

Por sua semelhança com o órgão masculino ereto, foi motivo de grande controvérsia causada pelo prefeito Roberto Magalhães (DEM) que chegou a invadir, armado de revólver, a redação de um jornal local para confrontar um jornalista que o havia criticado por discordar do projeto. 

          Eu durante um guiamento, em frente ao Parque das Esculturas.

 

Francisco Brennand foi um importantíssimo artista plástico nascido no Recife. Vou falar mais sobre ele daqui à pouco.

 

Embaixada dos Bonecos Gigantes

Pegue a Rua Bispo Coutinho (que fica logo atrás da Praça do Marco Zero) e siga até o número 780. É onde fica a Embaixada dos Bonecos Gigantes

        O prédio da Embaixada dos Bonecos de Olinda é esse. A placa confunde os turistas, porque está escrito Embaixada de Pernambuco também. A Embaixada de Pernambuco fica em outro lugar, mas é do mesmo dono. Lá tem bonecos de cêra. Vou passar o endereço depois.

 

Os Bonecos Gigantes são uma tradição do carnaval de Olinda. Começou em 1932, com a criação do boneco do Homem da Meia Noite, um dos mais amados pelo povo, depois surgiu a Mulher do Meio Dia e o Menino da Tarde. Com o passar do tempo novos bonecos foram sendo criados, entre eles alguns inspirados em artistas brasileiros e estrangeiros de grande sucesso. 

Além de ver os bonecos de perto, a gente também pode tirar fotos com eles, então é uma festa!! Dá pra perceber a importância deles para a cultura local, como são produzidos e como ele é carregado. 

Embaixada dos Bonecos Gigantes Recide Pernambuco Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

O ingresso custa 15,00 reais, e o mesmo ticket vale para entrar na Embaixada de Pernambuco. (Vou falar dela mais à frente)

 

Paço do Frevo

Seguindo pela mesma rua da Embaixada dos Bonecos Gigantes, a gente chega na Praça do Arsenal. Nela fica o Paço do Frevo.

O Paço do Frevo é tipo um museu. É um espaço cultural dedicado à difusão, pesquisa, lazer e formação nas áreas da dança e música do frevo. Funciona no antigo prédio da Western Telegraph Company, construído em estilo neoclássico tardio inglês e tombado pelo IPHAN. 

O espaço perpetua a riqueza do frevo, reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial brasileiro. É um lugar bastante interativo, onde os visitantes participam de atividades o tempo todo.

 

Embaixada de Pernambuco

A Embaixada de Pernambuco também fica na Praça do Arsenal. Em Junho de 2015, o dono da Embaixada dos Bonecos Gigantes inaugurou esse espaço, que conta com um acervo em tamanho natural dos principais ícones de Pernambuco. 

Lãmpião e Maria Bonita, Caboclos de Lança do Maracatu, Passista de Frevo, Boi do Carnaval, Chacrinha e uma réplica de três metros do Zeppelin (que fica pendurado no teto!) O visitante ainda tem a oportunidade de ver ao vivo uma belíssima apresentação de dança do Frevo.

Maracatú Embaixada de Pernambuco Recife Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

Lampião e Maria Bonita Embaixada de Pernambuco Recife Brasil Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

            O próprio dono do museu conta uma história, recriando o clima de quando o Zeppelin atracou no Recife em 1930.

 

O Zeppelin no Recife!

O dirigível Graf Zeppelin foi construído na Alemanha em 1928. Em 1930, fez sua primeira viagem ao Recife, sendo o primeiro veículo aéreo a cruzar o Oceano Atlântico, vindo da Europa para a América Latina. O Graf Zeppelin tinha 236 metros de comprimento e realizou grandes viagens no início do século 20. 

         Sobrevoando o bairro de Santo Antônio no Recife.

 

No Recife, a tripulação e os passageiros do dirigível desembarcavam e ele era reabastecido com gás e suprimentos. Para receber a primeira visita do Zeppelin, o Recife passou meses se preparando: o prefeito à época, Francisco da Costa Maia, chegou a decretar feriado municipal. Cerca de 15 mil pessoas foram até o Parque do Jiquiá, Zona Oeste do Recife, acompanhar a chegada do dirigível. A torre de atracação do Zeppelin, que existe até hoje, é o único equipamento de atracação de dirigível ainda de pé no mundo. 

Em quase 10 anos de operação, nenhum acidente foi registrado com o Graf Zeppelin. Mas após a tragédia com o Zeppelin Hindenburg em 1937, ele não mais realizou voos, sendo retirado de operação e indo para desmanche em 1940. O mesmo aconteceu com o Graf Zeppelin II. As estruturas de alumínio de ambos foram utilizadas para a confecção de material bélico na Segunda Guerra Mundial.

 

Torre Malakoff

A Torre Malakoff também fica na Praça do Arsenal e é um importante monumento tombado pelo Iphan. Foi construído no século 19 para servir como observatório astronômico e portão monumental do Arsenal da Marinha. O caráter militar da obra está presente em sua fachada e na simetria de sua planta, lembrando também, mesquitas do Oriente. 

No ano de 2000, a Torre foi transformada em espaço cultural com destaque para a música e a fotografia. São 8 salas de exposição, além de salas educativas e administrativas. Na área externa, um anfiteatro serve como espaço para diversos eventos. O observatório do espaço funciona aos domingos, das 16h às 19h30. Entrada grátis.

 

Cais do Sertão

Centro Cultural Cais do Sertão fica bem perto da Praça do Arsenal. Foi inaugurado em 2014 e construído no local de antigos armazéns do Porto de Recife. Fica na Av. Alfredo Lisboa, Armazém 10. Muito bom! Eu recomendo.

É tipo um museu que abriga o acervo da vida e da obra de Luiz Gonzaga, considerado o maior artista pernambucano de todos os tempos. Oferece exposições temporárias e permanentes, com referências à cultura sertaneja do nordeste. Realmente muito bom! 

O espaço tem cerca de 2 mil metros quadrados e expõe riquezas materiais e culturais do Sertão pernambucano, com ambientes sensoriais e de interação tecnológica. Curiosidades da literatura de cordel e imagens do Rio São Francisco integram mostras permanentes do museu.

Mas sem dúvida, uma das instalações que mais faz sucesso é o Túnel do Capeta. A gente atravessa um túnel de luz neon azul de onde saem através de auto-falantes vozes de pessoas falando várias palavras que remetem ao "coisa ruim", rs. 

Túnel do Capeta Cais do Sertão Recife Pernambuco Brasil Museu Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br        Eu dentro do Túnel do Capeta.

 

É aberto ao público das quintas aos domingos, das 11h às 17h. Preço: R$ 8 reais. Na quinta-feira a entrada é gratuita.

 

Assista ao video abaixo:

 

Terminal Marítimo de Pernambuco

O Terminal Marítimo de Pernambuco fica aqui em Recife, bem próximo do Museu Cais do Sertão. O terminal recebe muitos navios de cruzeiro e é comparado a um saguão de um moderno aeroporto, oferecendo aos turistas em trânsito um espaço comercial e gastronômico para que tenham contato com a arte e cultura de Pernambuco. 

Na frente do terminal, tem uma escultura em tamanho gigante do famoso Leão de Barro do Mestre Nuca, um famoso artesão do interior do estado. De longe a gente já vê a escultura!

 

Praça da República e Palácio do Governo

Praça da República Recife Pernambuco Brasil árvore do Baobá Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

A Praça da República é um lugar muito bonito de Recife. Serve de cenário para vários ensaios fotográficos, como casamentos e formaturas. Mas não fica muito próximo do centro histórico. Então, se vc quiser conhecer, é melhor pegar um taxi. 

Na Praça da República ficam 4 edifícios importantes: O Palácio do Campo das Princesas (sede do governo estadual), O Teatro de Santa Isabel, O Palácio da Justiça e o Liceu de Artes e Ofícios de Pernambuco. 

Além de uma fonte de água no centro, há também belas estátuas de Deusas na praça, que estão ali como guardiãs. 

 

O Baobá

Mas a grande estrela da praça mesmo é a centenária árvore de Baobá, que acredita-se, foi a inspiração para Antoine de Saint-Exupéry escrever o livro “O Pequeno Príncipe”. 

O baobá é uma árvore que chega a viver centenas de anos e medir até 30 metros de altura e 20 de circunferência. É de origem africana e não há registros de como ela chegou ao Recife. Possivelmente, veio com alguns escravos africanos ou foi trazida por Maurício de Nassau. O certo é que o Baobá adaptou-se muito bem em Pernambuco. 

O Baobá é uma árvore forte, robusta, que floresce apenas uma vez no ano. Suas flores ficam de cabeça para baixo durante alguns dias antes de secarem e caírem no chão. Seria uma flor perfeita, se não tivesse o característico (e forte) odor de.... carniça!  

 

Casa da Cultura

Casa da Cultura funciona como um mercado de artesanato com mais de 100 lojas. O prédio era a antiga Casa de Detenção do Recife, construída em estilo neoclássico imperial em forma de cruz, usando o sistema pan-óptico, ficando as celas dispostas em alas que podiam ser vigiadas facilmente a partir de uma sala central. O projeto do engenheiro Mamede Alves Ferreira seguiu o que tinha de mais moderno na época em relação às penitenciárias.

A penitenciaria funcionou ali por 118 anos. Foi no ano de 1963 que Francisco Brennand, na época Chefe da Casa Civil, pensou em transformá-la em um local para abrigar toda a produção cultural do Estado, mas a ideia não saiu do papel. Somente quando, em 1973, a penitenciária sofria com a superpopulação de presos e ficou perigoso mantê-la no centro da cidade. Então ela foi desativada e os presos removidos para outro lugar. 

As celas foram reformadas e transformadas em lojas, que vendem produtos típicos pernambucanos. É interessante saber que o o projeto de restauração e adaptação do prédio ficou sob a responsabilidade da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, a mesma que fez o prédio do MASP, o Museu de Arte de São Paulo. Finalmente, em 14 de abril de 1976, a Casa da Cultura foi inaugurada e em 1980 o prédio foi tombado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE).

Casa da Cultura Recife Pernambuco Brasil Artesanato Blog da Ana Cassiano antiga cadeia presídio anacassiano.com.br

Uma única cela foi deixada intácta, originalmente como era na época da prisão, servindo de exposição ao público. É a cela 106.

Mesmo se não quiser comprar nada, vale à pena a visita. É um lugar bem interessante. Endereço: Rua Floriano Peixoto, 141 - Bairro Santo Antônio.

 

Forte das 5 Pontas (que na verdade, só tem 4)

Nessa atração eu não fui. Mas eu cito aqui pra vocês, se caso tiverem interesse em conhecer. 

Forte das 5 Pontas hoje abriga o Museu da Cidade do Recife. O forte foi inicialmente construído em 1630, por ordem do Príncipe de Orange, durante a ocupação holandesa. Devido à sua forma pentagonal, recebeu o nome “5 Pontas”. 

O objetivo do forte eram garantir o suprimento de água e também assegurar que carregamentos de açúcar transportados pelo rio Capibaribe chegassem ao Porto de Recife, impedindo a ação de piratas. Em 1654, as forças de resistência portuguesa ocuparam o forte. Nesse período, começou a primeira grande reforma da fortificação, reconstruída agora com apenas quatro pontas. 

Com a expansão de Recife, a fortaleza perdeu o sentido de defesa e passou a ter novos usos, a exemplo de depósito geral e prisão, durante os séculos 18 e 19. No início do século 20, tornou-se quartel militar, sendo tombada como patrimônio nacional em 1938. Durante o final da década de 1970, o forte sofreu outra grande reestruturação para sediar as instalações do Museu da Cidade do Recife, que se encontra no local desde 1982.

O acervo conta com cerca de 1.300 peças arqueológicas, 200.000 mil fotografias e gravuras de Pernambuco, além de mapas e plantas. Recomenda-se visitar as muralhas ornadas com velhos canhões de bronze, os calabouços, as celas antigas e o monumento em homenagem a Frei Caneca. 

Endereço: Largo das Cinco Pontas, s/nº - Bairro São José. Entrada gratuita.

 

Instituto Ricardo Brennand

Essa atração é o máximo! Pra mim, uma das melhores de Recife. O complexo arquitetônico do Instituto Riacardo Brennand é maravilhoso e enorme, e fica no meio de um vasto parque. 

O Instituto é uma réplica de um castelo medieval que abriga diversas obras de arte e uma das mais ricas coleções de armas brancas do mundo. Parece Europa! Considerado um dos melhores museus da América do Sul, o Instituto expõe o acervo pessoal do empresário, com obras de arte e réplicas perfeitas. Um passeio realmente bastante agradável e impressionante.

Para ler tudo sobre o Instituto Ricardo Brennand, clique AQUI 

 

Catamaran Assombrado

Tem um passeio de barco que é feito à noite pelo Rio Capibaribe, que conta através de encenação teatral, as lendas obscuras que fazem parte do imaginário dos recifenses. O barco é super seguro. Todos recebem coletes salva-vidas e a gente nota uma preocupação com a segurança por parte da tripulação. Esse roteiro é operado pela empresa Catamaran Tours. 

A cada ponte, uma nova história, e a gente conhece um pouco mais da capital de Pernambuco. O barco passa por debaixo das várias pontes, é super legal. Dá a impressão que a cabeça dos atores vai bater no teto, que na verdade é a parte de baixo da ponte!

Atores da Companhia Pernambucana de Arteatro encenam à bordo, caracterizados como os personagens das lendas que, pelas décadas, são contadas em rodas familiares e de amigos no Recife. É um passeio muito legal, eu recomendo. Custa 60 reais por pessoa. Os passeios saem do Cais Santa Rita, no bairro São José.

Passeio de catamaran Assombrado Recife Pernambuco Catamarã Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

A empresa Catamaran Tours também tem outros passeios temáticos em Recife. Visite o site deles  www.catamarantours.com.br/

 

Literatura de Cordel

Não dá pra viajar para o Nordeste sem antes ter ouvido falar dos Cordeis, que são uns livrinhos bem fininhos, vendidos em quase todos os lugares por lá. Cada cordel tem apenas 1 história e custam baratinho, cerca de 2 reais. Vale à pena comprar um pra ler. É bem interessante e as histórias são bem curtinhas. 

O nome tem origem na forma como tradicionalmente os folhetos eram vendidos, pendurados em cordas, cordéis ou barbantes. É comum serem ilustrados com xilogravuras, principalmente na capa. 

A Literatura de Cordel é uma manifestação literária da cultura popular brasileira. Ela típica do nordeste do país, sendo muito notória nos estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Pará, Rio Grande do Norte e Ceará. Literatura de cordel é um gênero literário escrito rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores. 

É por meio da oralidade e da presença de elementos da cultura brasileira que ela possui uma importante função social: informar e divertir os leitores. Em sua origem, muito poetas vendiam seus trabalhos nas feiras das cidades. No Brasil, a literatura de cordel influenciou diversos escritores, como Ariano Suassuna e Guimarães Rosa. 

Promete pra mim que, estando no Recife, vc vai comprar um Cordel pra ler?? Você não vai se arrepender.

 

Vocabulário Popular: Ôxente!

O Brasil é um país continental e uma consequência das nossas dimensões está nas características do português falado em cada região. O nordestino tem um jeito bem característico de falar. É gostoso de ouvir. A impressão que dá, é que eles falam rápido e por isso algumas palavras sofrem uma abreviação bem particular, dando origem a outra palavra. 

O que pude perceber, é que em geral o nordestino é um povo muito hospitaleiro e simpático com o visitante. Seja receptivo também e aprecie as diferenças. E não se importe em dizer que não está entendendo, porque em muitas vezes a gente não entende mesmo!

 

O Galo da Madrugada

O Galo da Madrugada é um bloco carnavalesco que sai todo sábado de carnaval do bairro de São José, região central do Recife. É acompanhado por Trios Elétricos que tocam todos os estilos musicais nordestinos. 

Foi oficialmente considerado pelo Guinness Book o maior bloco de carnaval do mundo em 1995. A agremiação foi criada por Enéas Freire em 1978 e surgiu na rua Padre Floriano, no recife antigo. 

O trajeto do Galo começa em frente ao Forte das Cinco Pontas, e por tradição, desfila pela Ponte Duarte Coelho, que fica tomada de foliões.

 

Maracatu

O Maracatu é um ritmo musical, dança e ritual de sincretismo religioso com origem no estado brasileiro de Pernambuco. Conforme o "baque" ou batida, existem dois tipos: Baque Virado (Maracatu Nação) e Baque Solto (Maracatu Rural). O primeiro, bastante comum na área metropolitana do Recife, é o mais antigo ritmo afro-brasileiro. 

É caracterizado pelo uso predominante de instrumentos de percussão de origem africana. Com ritmo intenso e frenético, teve origem nas congadas, cerimônias de coroação dos reis e rainhas da Nação negra. Na percussão chama-se a atenção os grandes tambores, chamados alfaias que são tocados com talabartes (baquetas especiais para o instrumento). Estes dão o ritmo são acompanhados pelos taróis, ganzás e agogôs. 

O ritual que antecede a apresentação do caboclo de lança, envolve cerimônias que acontecem em terreiros, como a benção das lanças e da flor que carregam na boca, a consagração da Calunga (boneca representando a divindade, levada pela baiana), e a abstinência sexual dos homens, que começa alguns dias antes do carnaval.

Há poucos anos houve um movimento de reação sócio-cultural em Recife que fundiu o ritmo maracatu com a influência da música eletrônica. Assim surgiu o movimento Manguebeat e a Nação Zumbi, considerados um estilo de maracatu moderno, criados por Chico Science.

Maracatú Nordeste brasileiro Blog da Ana Cassiano

** Esse é um documentário bem legal sobre o Maracatu, assista  www.youtube.com/watch?v=8Q1DHokUeF8

 

Olinda

Agora vamos falar de OLINDA, cidade-irmã de Recife. Clique AQUI  para ler.

 

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.