Schwetzingen! Castelo + Jardins

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

O Palácio de Schwetzingen fica na Alemanha e tem um dos mais belo jardins do estado de Baden-Württemberg. Um ótimo passeio para se fazer na primavera ou no verão.

Schwetzingen é uma pequena cidade que fica à 87 Km de Frankfurt, cerca de 50 minutos de carro. Fica bem perto de Heidelberg e Mannheim. 

Schwetzingen faz parte da Rota dos Castelos da Alemanha. É uma cidadezinha linda e bem típica.

 Essa é a rua principal de Schwetzingen, a Kürfürstenstraße. 

 Lá na frente, a principal atração de Schwetzingen, o belo palácio.

 

Na época da colheita dos aspargos, a cidade atrái muitos turistas em busca dos restaurantes que incluem em seus cardápios pratos exclusivos desta época do ano (abril à junho). 

O aspargo era considerado um vegetal da realeza, porque antigamente era comido exclusivamente por Karl I Theodor, o príncipe de Schwetzingen. Ele foi o primeiro da região a cultivar o vegetal nos jardins do castelo.

  O Monumento à Mulher de Aspargos de Franz Müller-Steinfurth é uma escultura em bronze que fica na praça em frente a entrada do palácio.

 

Dica: No castelo tem um restaurante muito bom e uma cafeteria perto da entrada principal. Mas do lado de fora, em torno da praça principal, existem vários restaurantes e bares tradicionais alemãs com preços mais em conta.

 

O Castelo

8 euros para visitar o castelo por dentro e 5 euros para visitar somente os jardins.

 Com Carolina Portugal.

 

O Palácio de Schwetzingen é um edifício em estilo barroco usado como residência de verão pelos príncipes regentes da região do Palatinado no século 18.

Os primeiros indícios do castelo datam de 1350. Mas depois de guerras, o castelo foi reconstruído e se tornou residência de verão e pavilhão de caça do príncipe Karl I Ludwig.

  O príncipe morava no palácio de Mannheim com sua esposa, mas mandou reformar o palácio de Schwetzingen para que sua amante Marie von Degenfeld pudesse morar (Adoro essas fofocas de castelos!)

 

Não pode fotografar o castelo por dentro, então peguei essas fotos na página oficial. As visitas são guiadas e o guia vai explicando tudo, cômodo por cômodo.

 

O Jardim

O que fazer em Schwetzingen Castelo e Jardins Ana Cassiano Histórias de Viagens Alemanha

O príncipe Karl I Ludwig morou em Schwetzingen durante 30 anos. Nesse período, projetou juntamente com paisagistas famosos da época, uma das obras-primas da arte européia de jardins. 

 Uma combinação perfeita de estilo geométrico e paisagístico. 

 

Perto da entrada, o jardim é de estilo barroco francês, formado por belíssimos canteiros de flores que parecem bordados. No século 18, todos os grandes palácios do mundo queriam imitar os jardins de Versailles. 

 Com Lígia Passos.

 

 Com minha sogra.

 

A linda fonte central se chama Arion Brunnen. A fonte recebeu o nome do cantor e poeta grego Arion de Lesbos.

 Com Márcia Bartho.

 

Ao longo do eixo central, o jardim é em estilo inglês. Projetado pelo renomado paisagista Friedrich Ludwig von Sckell, foi um dos primeiros jardins em estilo inglês trazidos para a Alemanha. Sckell foi enviado à Inglaterra custeado pelo príncipe Karl para aprender as técnicas e trazer para Schwetzingen. 

 Com meus pais.

 

Um passeio para se fazer sem pressa. Passeio de meio dia. Excelente para fazer em família. 

  O Lago tem esculturas do artista belga Peter Anton von Verschaffelt, que representam divindades dos rios Reno e Danúbio, os principais rios da Alemanha.

 

 Há belas esculturas ao longo de todo o jardim.

 Com Ely Veríssimo.

 

Leve o seu lanche, principalmente água. A gente anda bastante, pelo menos por umas 3 horas. No verão, já peguei temperaturas altíssimas lá, mas há muitos abrigos sobre as sombras das árvores, e bastante bancos para descansar também.

 Olha no outono!!!

Eu já visitei Schwetzingen em todas as estações do ano, e em todas elas o jardim tem suas belezas. Mas a pior época é sem dúvida o das chuvas (fevereiro/março) porque além da gente se molhar, é frio e não tem folhas nem flores ainda. 

 Com Ana Palmira Ladeira.

 

Então, se puder escolher, prefira ir em meados da primavera ou no verão. Nessa época, o jardim fica maravilhoso para fotografar! 

 Fotos de Mara Ketterl

Não é à toa que em Schwetzingen são realizados muitos foto-shootings, principalmente de casamentos, por causa da atmosfera encantadora do lugar.

 Nossa 1ª visita à Schwetzingen (2004).

 

Orangerie

O jardineiro da corte, Johann Ludwig Petri, projetou um jardim central cercado por edifícios e galerias semi-circulares.  

Fora do eixo central, o jardim cresce para ambos os lados, associando parques com construções lindíssimas, que viraram monumentos. É o caso da Orangerie.

A Orangerie (plantação de laranjeiras) sempre esteve presente no jardim do palácio porque o príncipe valorizava plantas exóticas.

  E no verão, os pés ficam carregados de laranjas realmente.

 

O palácio precisava de uma grande área, tipo uma galeria para festividades e banquetes, e a Orangerie cumpriu esse papel. Até hoje esses salões podem ser reservados para festas privadas, como casamentos ou festas de empresas.

 

Templo de Apollo

O Templo de Apollo ocupa uma área muito especial nos jardins de Schwetzingen. Foi projetado em 1762 por Nicolas de Pigage

O templo de colunas jônicas é dedicado ao deus grego Apollo. A estátua de Apollo tocando Lira é obra do escultor belga Anton von Verchaffelt

Para chegar ao templo, a gente entra através de uma gruta. 

A vista lá do alto é maravilhosa. 

No templo tem um terraço muito bonito com uns emblemas dourados em formato de Sol. No século 17, o então reia da França Luís XIV se auto-proclamava “O Rei Sol”. E o príncipe de Schwetzingen o admirava bastante. 

Apolo aparece aqui como deus das artes e líder das Musas do Monte Helikon. Ao seus pés, fica a Fonte das Ninfas de Hippokrene, que na mitologia grega, proporcionava dons poéticos às pessoas que bebiam de suas águas.

 

O Fim do Mundo

Essa é uma parte interessante do jardim que foi apelidado pelos moradores da cidade de "O Fim do Mundo".

A perspectiva mostra uma pintura de paisagem feita na parede láááá no fundo... e quando iluminada pela luz do dia, cria um efeito bastante realista, causado pela distância do longo corredor de plantas.

Dizem que o príncipe mandou construir essa perspectiva, porque era a vista que o rei da França tinha do jardim de Versailles, e ele queria ter uma vista igual, hahahaha. Então tá né!

 Com Luciene Veríssimo e Ely.

 

Ponte Chinesa

A Ponte Chinesa faz a ligação entre o jardim francês e o jardim inglês. 

A ponte tem a fama de "ponte da mentira", porque dizem que quem tropeçar nos seus degraus irregulares, é um mentiroso, rs.

 

Mesquita

Em uma das partes do jardim de Schwetzingen, fica o chamado "Jardim Turco", onde se encontra uma linda mesquita. 

Não é uma mesquita verdadeira, mas sim uma interpretação na linguagem artística da Europa do século 18. Mesmo assim, ela já foi usada por muçulmanos. 

   Traduzindo: "Mesmo que o mundo acabe, as boas ações ficarão para sempre".

 

 Olha o teto que lindo!

 

Durante o verão, no pátio interno da mesquita, acontecem apresentações de música clássica ao ar livre. 

 

Cerejeiras

Ao lado da mesquita, tem plantadas várias árvores de cerejeiras. Durante a primavera, elas florescem, e é um espetáculo à parte!

 

Templo de Mercúrio

É um monumento que fica de frente à mesquita. Entre a mesquita e o templo de Mercúrio há um lago bem bonito. 

Em 1788 Pigage projetou as ruínas falsas em homenagem ao deus Mercúrio. A sua estrutura foi constituída com grandes blocos de arenito.

 

Templo de Minerva

A deusa romana Minerva também é homenageada nos jardins do Palácio de Schwetzingen. O projeto desenhado por Pigage foi concluído em 1769. 

A sua fachada com colunas coríntias, sugere o modelo de um antigo templo romano. Minerva, deusa da sabedoria, aparece representada em uma estátua do escultor italiano Grupello. O templo possui bancos de mármore e serve de sala de descanso aos visitantes do jardim.

 

Arboretum

É a parte do jardim reservada à coleção de plantas exóticas. Zeyher, arquiteto paisagístico, projetou este jardim em 1802. 

Porém, o que chama a atenção mesmo, é o maravilhoso portão de ferro forjado da autoria do artista alemão Franz Wilhelm Rabaliatti

 Com Luciene Veríssimo.

 

O Teatro

O Palácio de Schwetzingen abriga um renomado teatro rococó, construído em 1752 por Nicolas de Pigage. É um dos teatros mais antigos e mais respeitados da Europa. Seu interior é todo decorado em estilo clássico (classicismo). 

O auditório possui excelente acústica devido ao piso térreo levemente inclinado. Mudanças surpreendentes na cena podem ser realizadas em questão de segundos: o palco de 35 metros de comprimento pode ser ampliado ainda mais com a abertura do portão, e assim o jardim do palácio passa a fazer parte do cenário. Já pensou que maravilha?

Falado por toda a Europa, o teatro já recebeu visitas ilustres. Mozart era apenas um menino quando interpretou um concerto para a corte de Schwetzingen, em 1763. No mesmo palco, Voltaire estreiou a peça Olympie.

A rádio alemã SWR tem a tradição de realizar desde 1952 o Festival de Música Clássica Schwetzingen. É o maior festival de rádio clássica do mundo, com apresentações ao ar livre ou no seu elegante teatro. 

 

Leia também:

(10 Km) Heidelberg o 2º destino mais visitado da Alemanha

(87 Km) Frankfurt → Centro financeiro alemão

Outras cidades e passeios pela Alemanha

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.