Templo Zu-Lai São Paulo Brasil

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

Templo Zulai Cotia grande São Paulo O primeiro e maior templo Budista da Amárica Latina Veja como visitar no Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

ENTRADA GRÁTIS! Não abre às segundas-feiras. Visitas de 3º a 6º feira das 12h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h30 às 17h. Endereço: Estrada Fernando Nobre, 1461. Cerimônias nos Domingos, sempre às 10h.

O Templo Zu Lai é o primeiro e maior templo budista da América Latina. Foi inaugurado em 2003 e fica no município de Cotia, na grande São Paulo. Zu Lai em chinês significa “aquele que assim foi ou veio”. 

Este templo tem como objetivo manter a tradição da natureza budista, deixando-a ao alcance de todos. Seus frequentadores utilizam os ensinamentos do Budismo Humanista, que divulga os pensamentos e ensinamentos através da educação, cultura, filantropia e purificação espiritual. 

 

Os Budas não são deuses

O budismo não é uma religião. É uma filosofia de vida onde se prega o Bem! É um sistema ético originário da Índia, que depois se expandiu para a China e Japão.  Foi criado por Sidarta Gautama no século 6 a.C. Ele é considerado um guia espiritual e não um deus. Desta forma, as pessoas podem ter outras religiões além do budismo.

Portanto, os Budas não são deuses! Eles eram pessoas normais, que abriram mão da vida que levavam para uma busca espiritual interior e partiram pelo mundo disseminando seus pensamentos e conhecimentos. Existiram vários Budas, e por isso há várias estátuas diferentes. Cada uma representando uma virtude e uma qualidade específica. 

Assim que chegamos ao estacionamento do templo, já vemos uma estátua do Buda para nos dar boas vindas (essa é apenas a primeira de muitas que ainda veremos pelo caminho). Esse é o "Buda Sorridente" também chamado de "Buda Gordo". Cada estátua do Buda tem um significado diferente. Vou explicando a medida que ela forem aparecendo.

          Buda Sorridente (ou Buda Gordo)

 

Buda não é gordo!

Na realidade, Buda nunca foi gordo! Antes de ser monge, praticava artes marciais e esportes. Mais tarde, quando abandonou a luxúria, certamente não se alimentava de gastronômicas refeições. Após a iluminação e até morrer, Buda andou incessantemente de vila em vila, cidade em cidade, montanha em montanha. Ele andava muito. Ele era um andarilho! E andarilhos são magros!

Mas então por que as estátuas o representam como um sujeito gordo e sorridente? Porque é símbolo de Prosperidade! O gordo é uma forma de representar felicidade também. Por isso aparecem sempre sorrindo.

 

Siddhartha Gautama

A segunda estátua de Buda que vemos ao entrar no Templo Zu Lai é a de Siddhartha Gautama. Esse é o principal de todos os Budas, o primeiro monge a alcançar a Iluminação, ou seja, abrir mão dos desejos carnais e materiais, passar por todo processo de provações e disceminar o Bem para todos os povos. 

Ele foi um príncipe de uma região no sul do Nepal que renunciou ao trono, largando a vida de riqueza e luxúria para se dedicar à busca das causas do sofrimento humano e de todos os seres. Assim, ele se tornou mestre e professor espiritual, fundando o budismo.

            Siddhartha Gautama, o primeiro de todos os Budas.

 

 

A Fundação

A história da fundação do Templo Zu Lai no Brasil é interessante. Em 1992 o grande mestre Budista Hsing Yün veio ao nosso país à convite para uma cerimônia. Antes de ir embora, decidiu deixar aqui um discípulo de sua comitiva para que os ensinamentos tivessem continuidade. A monge Jue Cheng então se dispôs a ficar e iniciou o projeto. 

           O mestre Hsing Yün.

 

            A monge Jue Cheng.

 

Uma casa em um sítio foi doada para que funcionassem as reuniões e cerimônias. O número de seguidores foi crescendo, e logo houve a necessidade de uma ampliação. Com dinheiro de doações, em 1999 iniciaram-se as obras.

Na época da construção, os arquitetos brasileiros envolvidos no projeto não conheciam a arquitetura de um templo de verdade. Então a monge Jue Cheng montou uma equipe que viajou à China com o objetivo de conhecer os templos da Dinastia Tang, com características medievais. Aproveitaram e trouxeram de lá as telhas e o parapeito que o templo exibe hoje. A obra foi desenvolvida em conjunto por arquitetos chinenes, taiwaneses, japosenes e brasileiros.

 

O Jardim dos 18 Arhats

Logo na entrada do templo, há um belo jardim com 18 diferentes estátuas de Budas, chamados de “O Jardim dos 18 Arhats”. Eles são considerados monges iluminados e extremamente respeitados por sua grande sabedoria e coragem. Devido às suas habilidades em repelir o mal, são posicionados bem na entrada dos templos, como guardiões indomáveis, atentos a vigilância.

Cada estátua tem uma posição diferente, cada uma com sua história e habilidades de proteção. São monges que tinham características próprias antes de se tornarem Arhats. 

Diferença entre Arhat e Buda: Os dois encontram a "Iluminação", porém o Buda consegue atingi-la sozinho por si próprio, e o Arhat precisa de um mestre.

 

O Jardim de Lótus

Ao subir a escadaria da entrada do Templo, nos deparamos com um belo jardim de lótus! 

A flor de lótus é chamada de auto limpante. Nunca fica suja e absorve toda sujeira que nela se encontra. É um misterio ainda não desvendado pelos cientistas.

No caso do budismo, a flor de lótus significa o amor de Buda. Olhada com respeito e veneração pelos povos orientais, ela é associada a Buda por representar a pureza emergindo de águas lodosas. O lótus é uma das melhores metáforas do budismo. Na maioria das estátuas, Buda está sentado sobre uma flor de lótus aberta ou está com uma flor de lótus nas mãos. 

Há uma lenda budista relatando que quando Siddhartha (o primeiro Buda) tocou o solo e fez seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. 

Se lembra da estátua do Buda Sorridente na entrada do Templo? Ele está sentado sobre uma flor de lótus aberta!

 

O Templo

Dentro do Templo, os ambientes de meditação seguem o estilo dos palácios chineses e uma escultura de Buda feita de jade se destaca na sala principal. Essa estátua veio de Maianmar, um país que fica entre o Nepal e a Tailândia, onde o Budismo é muito forte. Nas paredes ao lado da estátua, existem oito mil pequenos budas entalhados em madeira e pintados de branco. Em frente a estátua, do lado de fora, tem um grande incensário. As pessoas fincam alí seus incensos, que queimam em homenagem aos Budas, às pessoas que já morreram ou fazem pedidos esperando que sejam realizados.

         Imagem de Siddhartha Gautama, o primeiro de todos os Budas.

 

Gosto muito de trazer pessoas para conhecerem o Templo Zu Lai. Venho sempre com amigos e familiares. Nas fotos abaixo estou com minha mãe e minha filha. Gosto daqui porque é um grande passeio. É um lugar calmo, agradável e perfeito para se passar o dia.

Shishi é o leão protetor para os chineses. Sempre há uma estátua de leão do lado de fora dos portões, para afastar os espíritos ruins. Esse é um costume forte da cultura chinesa. Quando a estátua é fêmea, debaixo da pata tem um filhote, e quando é macho, debaixo da pata tem uma bola. Geralmente as duas aparecem juntas, uma de cada lado do portão ou escadaria.

 

As Cerejeiras

A melhor época do ano para visitar o templo é na primavera, por causa dos belos jardins. Mas é no inverno, durante os meses de junho e julho, que a natureza nos reserva o mais belo presente: as árvores de cerejeiras em flor! A floração é curta, dura geralmente 2 semanas apenas, e por isso é tão especial. 

Minha filha Júlia faz aulas de japonês, e na época do Hanami (floração das cerejeiras) a professora pede como lição de casa para ela desenhar as flores, que são chamadas de Sakuras. Esse é um lindo costume da cultura japonesa, e o Templo Zu Lai é o lugar perfeito para isso!

 

O jardim do lago

Esse jardim é incrível, cheio de estátuas de Budas, ideal para recarregar as baterias. Independente da sua crença, é um lugar lindo para se energizar e esquecer o estresse do dia a dia.

Essa foto abaixo, é da estátua de Buda que fica no ponto mais alto do jardim. É uma estátua de Buda de pé com o gesto da mão direita que significa repelir maus espítitos e energias negativas. Esse Mudra (gesto) é responsável por expulsar energias maléficas à vida, remover obstáculos como doenças e pensamentos negativos.

De acordo com o Feng Shui, é recomendável que as imagens que estejam com esse mudra (gesto),  fiquem em locais vulneráveis a esses tipos de males como escritório, residência e principalmente em áreas de meditação.

Esse símbolo das mãos é o mesmo usado no Rock n’ Roll. Todo mundo pensa que é um gesto do mal, mas é exatamente o contrário!

          Fonte dos desejos. Jogue sua moeda!

 

O Jardim de Bambus

Todo jardim oriental que se preze, tem que ter uma floresta de bambus, e no Templo Zu Lai não poderia ser diferente. Isso porque o bambu tem um significado muito especial. É considerado uma planta nobre e sagrada. Ele é capaz de nos passar verdadeiras lições, as quais podemos muito bem aplicá-los em nossa vida cotidiana e nos tornarmos pessoas melhores. 

O bambu apesar da sua simplicidade, é uma das árvores mais resistentes que existem. É tão durável quanto o concreto e a sua tração é comparada ao aço. Ele se curva mas não quebra, a sua fragilidade é só aparente, vive sempre em comunidade, aos montes! Não se deixa derrotar pelas adversidades, e cresce sempre para o alto!

  Eu visitei a Floresta de Bambus em Arashiyama (Kioto no Japão). Para ler clique AQUI

 

O significado da Suástica

As estátuas dos Budas geralmente tem o símbolo de uma Suástica no peito ou nas mãos. O verdadeiro significado da suástica é do Bem!!! Leia a explicação na foto abaixo.

   Eu visitei a estátua do Big Buddha em Landau (Hong Kong) na China. A estátua tem uma grande suástica marcada no peito. Para ler clique AQUI

 

O que o templo oferece aos visitantes

O templo possui um restaurante (vegetariano, claro) e é muito bem recomendado. Há também uma lanchonete com pão chinês, quibe de soja, esfiha de escarola e outros salgadinhos vegetarianos. O passeio inclui também uma charmosa lojinha, uma livraria e salas para meditação. 

            Sala de meditação.

 

Aos domingos, os visitantes podem acompanhar uma cerimônia com recitação, em chinês, de mantras (palavras sagradas) e sutras (escrituras budistas). No pátio do templo sempre há um grupo de pessoas praticando Tai Chi Chuan, a milenar arte marcial chinesa.

 

Os princípios do budismo

Os membros do Templo Zu Lai empenham-se na prática de quatro princípios cujo lema é proporcionar a todos Confiança, Alegria, Esperança e Condições favoráveis.

 

O Templo dos Dez Mil Budas em Hong Kong

Leia sobre o Templo dos Dez Mil Budas, em Hong Kong. Eu estive lá e pude ver as dez mil estátuas de Arhats do Templo. Clique AQUI para ler.

 

Conheça outros Templos em São Paulo 

Nesse link, vc encontra os principais templos da cidade de São Paulo. Para ler clique AQUI

 

Leia também:

O Jardim dos 18 Arhats - Templo Zu-Lai São Paulo

Tudo de legal que tem para conhecer na cidade de São Paulo

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.