Valparaíso e Viña del Mar – Chile

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

 

Valparaíso e Viña del Mar ficam à apenas 140 km de Santiago sentido litoral. Em um dia bate-volta, dá pra conhecer o básico dessas duas cidades, que são banhadas pelo Oceano Pacífico. Aluguei um carro, o que me facilitou bastante, porque se fosse para me locomover por lá à pé ou por transporte público, não daria tempo de visitar as duas cidades no mesmo dia.

Apesar de bem próximas, Valparaíso e Viña del Mar têm características totalmente diferentes uma da outra. Valparaíso é bagunçada, alternativa e famosa pelos seus morros e noitadas boêmias. Viña del Mar é arrumadinha, clássica e se destaca pelo urbanismo. 

Então bora pegar estrada, vou te mostrar tudo.

Pegamos a rodovia 68 em direção a Valparaíso. A estrada é ótima e ao longo dela, a gente encontra vários vinhedos que oferecem passeios e degustações. Escolher uma dessas paradas é uma boa idéia! A estrada atravessa o Vale de Casablanca, região de várias vinícolas famosas. Eu ouvi dizer que a Indómita e a Veramonte são as melhores. Mas eu não quis parar em nenhuma delas, porque ontem já tinha ido na Concha y Toro, e pra mim já era o bastante. Eu queria mesmo era chegar logo em Valparaíso.

DICA IMPORTANTE: Leve blusa de frio, mesmo no verão! De manhã o litoral é gelado, bate um vento muito frio. Mas à tarde esquenta bastante. Tem que usar uma roupa bastante versátil rs.

 

Valparaíso

Valparaíso é banhada pelo Oceano Pacífico e possui o principal porto do Chile. As formas de sua arquitetura construída em colinas, lhe rendeu no ano de 2003 o título de Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. 

Confesso que as minhas primeiras impressões de Valparaíso não foram muito boas. Eu achei bem parecido com as favelas nos morros do Rio de Janeiro, me deu até uma sensação de insegurança. Mas depois, essa má impressão foi passando aos poucos, à medida que fui conhecendo a cidade.

Só depois fui entender que muitas dessas casas dos morros de Valparaíso são elegantes hotéis boutique, cafés ou restaurantes chiques. Para nós brasileiros, pode não ser uma arquitetura tão atraente assim porque faz parte da nossa realidade social. Mas para os milhões de gringos que vi andando pela cidade, aquilo lá era o máximo!

Você tem que estar disposto a subir e descer as escadas e ladeiras íngrimes, ou se deixar levar por um dos vários funiculares centenários espalhados pelas 44 colinas!! Sim, eu disse 44!!! Valparaíso é a terra dos cerros (que significa morros em espanhol).  

 

La Sebastiana de Pablo Neruda

Comecei o passeio pelo Cerro Flórida, onde fica a La Sebastiana, outra casa-museu onde morou o poeta chileno Pablo Neruda. Lembra que já visitei uma casa dele em Santiago? Lá era a La Chascona. Aqui em Valparaíso é a La Sebastiana. Ela fica na Rua Ricardo de Ferrari 692. É distante dos outros pontos turísticos de Valparaíso, mas como eu estava de carro, foi fácil chegar, inclusive para estacionar.

La Sebastiana casa de Pablo Neruda Valparaíso Chile Blog da Ana Cassiano

Sobre essa casa eu li que em 1959, Pablo Neruda estava cansado da La Chascona, onde morava em Santiago, e por isso pediu ajuda a duas amigas para encontrarem uma casa em Valparaíso, que era uma cidade mais tranquila. No entanto, o poeta tinha algumas exigências: a casa não podia ficar em um lugar nem muito alto, nem muito baixo, não podia ser nem pequena, nem grande, deveria ser isolada, mas não muito, os vizinhos precisavam ser discretos para não serem vistos nem ouvidos, ele queria algum movimento e comércio por perto, a arquitetura deveria ser original, mas não desconfortável, e a casa tinha que ser barata. Depois de muito procurar, suas amigas encontraram a La Sebastina, no cerro Florida. 

A casa tinha sido parcialmente construída por Sebastián Collado, mas ele morreu em 1949 e a obra ficou abandonada por bastante tempo. Pablo Neruda gostou da casa, mas achou que era muito grande, então convidou Marie Martner e seu marido Francisco Velasco para morarem com ele. O poeta acabou ficando somente com os dois andares de cima (que tem uma vista linda), e o resto da casa ficou para o casal. 

Durante os três próximos anos, a La Sebastiana, que foi nomeada como uma forma de homenagem à Sebastián Collado, acabou de ser construída em um formato que se parece com um barco. No dia da independência do Chile em 1961, o local foi oficialmente inaugurado com uma grande festa. Neruda até escreveu um poema intitulado La Sebastiana para essa ocasião. Durante a ditadura militar no país, depois da morte do poeta, a casa foi saqueada e se deteriorou, mas em 1999 foi feita uma restauração completa e no mesmo ano o museu acabou sendo inaugurado, o que é até hoje.

 

Plaza de los Poetas

Perto da La Sebastiana fica a Plaza de los Poetas. É uma praça simples que possui estátuas de três poetas chilenos muito importantes: Pablo Neruda, Gabriela Mistral e Vicente Huidobro. Mas o que chama a atenção mesmo são os girassóis pintados na escadaria, bem convidativa para tirar fotos. Aliás, as escadarias de Valparaíso são como telas de arte. Muitas são pintadas, lindas e incríveis.

 

Cerro Alegre

Da Plaza de los Poetas, peguei o carro e fui para o Cerro Alegre. Estacionei numa ladeira perto da rua Almirante Montt, que é a principal rua do bairro. É uma rua bem movimentada e íngrime, como a grande maioria. A principal atração de Valparaíso é caminhar por esses morros e ladeiras, com vielas coloridas, ruas estreitas e casas charmosas.

Cerro Alegre Valparaíso Chile Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

 

Paseo Dimalow

Depois de explorar a rua Almirante Montt, fui caminhar pelo Paseo Dimalow, que é tipo um calçadão de madeira só para pedestres. Nele ficam muitos hotéis, hostels e restaurantes legais e badaladinhos. O mais famoso é o Fauna Hotel, que tem um terraço delícia pra café e restaurante aberto ao público. Caminhe pelo Paseo Dimalow até o fim. Vai dar no funicular (Ascensor Reina Victória). Daqui você terá a vista do cartão postal de Valparaíso, com as famosas casas de fachadas de zinco tombadas pela UNESCO! 

Paseo Dimalow Valparaíso Chile Oceano Pacífico Blog da Ana Cassiano

Valparaíso foi habitada basicamente por alemães e britânicos, atraídos pelo silêncio, pela bela vista e pelo o ar fresco da cidade. Os imigrantes que se instalaram aqui, dedicaram-se a construir uma série de lindos caminhos por entre os cerros, e quem desfruta disso somos nós, os turistas. 

Paseo Dimalow Valparaiso Chile Blog da Ana Cassiano           Paseo Dimalow.

 

Voltamos caminhando pelo Paseo Dimalow até a rua Almirante Montt de novo, e nela escolhemos um lugar para almoçar. Tem vários restaurantes, escolhemos um para comer empanadas chilenas claro! A empanada chilena é tipo um pastel assado, bem gordinho com bastante recheio, e o sabor do recheio é bem variado. Tem pra todos os gostos. Sustenta bastante e vale como uma refeição.

A empanada chilena é tipo um pastel assado, bem gordinho com bastante recheio, e o sabor do recheio é bem variado. Tem pra todos os gostos. Sustenta bastante e vale como uma refeição.

 

Cerro Concepción

Depois do almoço, pegamos o carro e fomos para o Cerro Concepción. Estacionamos na famosinha rua Beethoven, em frente ao número 302, endereço da Escalera del Piano. Como eu já disse, as escadas de Valparaíso são telas de arte, e muitas são convidativas para fotos. 

Cerro Concepción Escadaria del Piano Valparaíso Chile Blog da Ana Cassiano América Latina

        Rua Beethoven.

 

           A rua Beethoven vista de longe, com a Igreja Anglicana no centro. A Escadaria de Piano liga a rua Beethoven à Igreja Anglicana.

 

Ao redor da Igreja Anglicana não tem muita coisa não. Ficamos pouco tempo por lá. Pegamos o carro novamente e fomos conhecer o Palazzo Baburizza e o Paseo Yogoslavo. Não sei o que seria de mim sem esse carro alugado, meu Deus! Com certeza não daria tempo para ver tudo. No caminho, passamos pela Plaza Sotomayor. Mas essa eu vi só do carro mesmo, não paramos nela.

            Plaza Sotomayor - Foto da Internet**

 

Palazzo Baburizza e Paseo Yogoslavo

Ainda no Cerro Concepción, o Palazzo Baburizza e o Paseo Yogoslavo são uma atração lindíssima. O Palazzo Baburizza foi a antiga residência do empresário croata Pascual Baburizza. Foi construída em 1916 por arquitetos italianos, transformou-se em museu de Belas Artes de Valparaíso e hoje é tombado pelo patrimônio histórico. Tem uma linda praça na frente, de onde sai o Paseo Yogoslavo, com uma vista incrível do mar. Aqui fica mais um funicular, o Ascensor El Peral, pra quem vem da Plaza Sotomayor à pé.

Palazzo Baburizza e Paseo Yogoslavo Valparaíso Chile América Latina Oceano Pacífico Blog da Ana Cassiano            Paseo Yogoslavo e Palazzo Baburizza.

 

          Palazzo Baburizza.

 

Paseo 21 de Mayo e o Porto

Daqui, pegamos o carro e fomos para o Paseo 21 de Mayo, de onde se tem a melhor vista do Porto de Valparaíso. Nesse ponto também fica o Museo Naval, com uma praça na frente fácil para estacionar. O Paseo 21 de Mayo é um lugar bem gostoso de caminhar, com um coreto lindo e agradável. E aqui fica mais um funicular, o Ascensor Artilleria, que liga a parte baixa à essa parte mais alta da cidade.  

Paseo 21 de Mayo e o Porto de Valparaíso Oceano Pacífico América do Sul Chile Blog da Ana Cassiano          Vista do Porto de Valparaíso.

 

          O coreto (mirador)

 

            Início do Paseo 21 de Mayo.

 

             Paseo 21 de Mayo.

 

           Museo Naval.

 

             Parece um restaurante, mas aqui também funciona a estação do funicular Artilleria e um shopping de souvenirs.

 

           Funicular Artilleria.

 

E como a água do Oceano Pacífico é bem gelada, não é raro ver leões marinhos descansando ao longo do porto de Valparaíso.

À essa altura do dia, já eram 16 horas. No verão, os dias são mais longos e o sol estava à pino ainda. Perfeito para conhecer a outra cidade, Viña del Mar! Fica somente à 20 minutos de carro de Valparaíso, então vamo lá! 

 

Viña del Mar

Há uma avenida beira mar ligando Valparaíso à Viña del Mar. Quase nem dá para perceber que são duas cidades diferentes.

Viña del Mar é muito importante para o turismo do Chile. É a cidade de veraneio deles. Apesar das praias serem de água geladíssima por causa do Oceano Pacífico, muita gente do Chile e da Argentina frequentam a cidade no verão. Isso se explica porque o litoral do Chile é bastante recortado e rochoso, mas em Viña del Mar há uma faixa de areia grande, o que torna o banho de mar mais acessível para os turistas. E o outro motivo é a estrada. Não são muitas que dão acesso ao litoral, por causa da dificuldade de atravessar a Cordilheira dos Andes, e em Viña del Mar há estradas!

É uma cidade linda, chique, clássica e planejada. A gente percebe claramente que teve uma preocupação urbanística ali.  

Viña del Mar Chile Oceano Pacífico América do Sul Blog da Ana Cassiano

Além das praias, a cidade também tem outras atrações. Quando a gente joga no google, o que aparece primeiro é o Relógio de Flores. Mas gente, é só um relógio!!! Tem em várias outras cidades do mundo! Então eu deixei esse por último. 

 

Estátua Moai

Comecei pelo Museu de Arqueologia e História Francisco Fonck. Esse é sensacional porque nele fica a única estátua Moai que saiu da Ilha de Páscoa. Ela fica na parte externa do museu, só de passar na frente a gente já vê.  

Viña del Mar Estátua Moai Chile América do Sul Blog da Ana Cassiano

 

Castillo Wulff

Depois fomos para o Castillo Wulff, que é um castelinho construído em 1906 por um rico alemão na orla da praia. O lugar, que já foi sede do Museu da História Naval do Chile, hoje abriga exposições temporárias. Sua área externa é aberta ao público e tem um mirante lindo, no topo das pedras, que além de ter uma vista linda, dá pra ver os pelicanos de pertinho. 

Viña del Mar Castillo Wulff Chile Blog da Ana Cassiano América do Sul

Aqui funciona como um "Órgão do Mar". As pessoas ficam olhando as ondas entrarem num túnel. O som sai nesses dois quadrados do chão.

Viña del Mar Chile Castillo Wulff Blog da Ana Cassiano

          Pelicanos.

 

Relógio de Flores

E por último, fomos ao Relógio de Flores. Apesar de ser tratado como “atração turística”, não passa de uma praça bem cuidada. Mas como fica na saída à caminho da estrada de volta para Santiago, paramos para tirar algumas fotos.

Viña del Mar Relógio de Flores Chile América do Sul Blog da Ana Cassiano

Daqui pegamos a estrada de volta para Santiago. Foi um dia cheio e muito agradável aqui no litoral do Chile. Eu adorei.

 

Santiago do Chile

Para ler sobre Santiago e seus Pontos Turísticos clique AQUI 

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.