↓ Choose the Language ↓ 

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Zagreb - Croácia

Esse post faz parte de uma série que escrevi sobre a viagem de 11 dias que fiz na Croácia com minha família, quando alugamos um carro na capital Zagreb que fica no norte, e descemos pela costa até Dubrovnik extremo sul do país, passando por várias cidades: ZagrebZadarSplitHvarStari Grad e Dubrovnik. Conto tudo aqui no blog.

           Aeroporto de Zagreb.

Chegamos na Croácia por Zagreb. Não existe voos diretos saindo do Brasil. Então viemos pela Alemanha. 

 

Alugue um carro!

Em Zagreb, alugamos um carro para descer a Croácia de norte a sul. O que mais importava pra nós era um carro de porta-malas grande porque estávamos em 4 pessoas e com muita bagagem. Então alugamos um Octávia da marca Skoda, que atendeu bem as nossas necessidades. Pagamos cerca de 3 mil reais por 11 dias com o carro, mais o seguro. A nossa reserva já tinha sido feita no Brasil. Não deixe para alugar aqui na hora, pois corre o risco de não encontrar carro disponível.

 

Hospedagem

Uma coisa legal e diferente na Croácia é a estadia. Na hora de procurar por hotéis, aparece a oferta de muitos "Apartments", que são praticamente a casa da pessoa! Não chega a ser um AirBNB, mas é muito parecido. Os lugares têm quarto, sala, cozinha, varanda, jardim, enfim, é praticamente uma casa que o croata monta para nos receber. E isso é sensacional, porque vira uma viagem de experiência, onde a gente vivencia a vida de um cidadão local. Geralmente essas hospedagens ficam nos bairros, e isso é muito legal, porque a gente não fica parecendo turistas. Eu adorei sair cedo, à pé mesmo, pra tomar café da manhã na padaria do bairro. O povo fala um pouco de inglês e entende bem o alemão, o que facilitou bastante a nossa vida.

Ficamos hospedados no andar térreo dessa casa, cuja dona é essa senhorinha super simpática e que falava um ótimo inglês.

Recadinho carinhoso e personalizado deixado no nosso apartamento; Seja Bem-Vindo escrito em croata!

Nossa garagem:

Olha que jardim mais gostoso!! Todo pra nós!

 Tinha até um gato! Super receptivo e carinhoso, mas só ficava deitado debaixo da mesa, rs.

Bem, depois de devidamente hospedados, fomos conhecer a cidade.

 

A Cidade de Zagreb

Normalmente, Zagreb é menosprezada pelos turistas que estão em busca apenas das praias da Croácia. Mas é uma cidade linda, vale á pena incluir no roteiro.

Zagreb fica no norte, é a capital da Croácia e também a maior cidade do país. A área metropolitana tem cerca de 1 milhão de habitantes. 1/4 da população da Croácia vive em Zagreb, que tornou-se capital da Croácia apenas em 1991 (antes fazia parte da Iugoslávia e a capital era Belgrado na Sérvia). 

É uma cidade super segura e organizada. É uma metrópole descontraída, com um passado fascinante. Só é feio o nome de quem nasce em Zagreb: ZAGREBINO! hahahahahaha Ai Ai

Eu peguei essa foto do livro que estava usando na viagem. Gostei muito porque mostra a cara medieval que Zagreb tem, parece um feudo, uma cidade murada. Zagreb foi fundada na Idade Média, e tem as construções medievais mais bem preservadas dessa parte da Europa. Então já dá pra ter noção das belezas que encontramos pela cidade né!

Zagreb é uma "mini-Budapeste“, cheia de avenidas largas e arborizadas, parques e edifícios suntuosos. Tem uma vida noturna agitada, com ruas e calçadas elegantes repletas de bares com mesas nas calçadas, lojinhas, restaurantes típicos e muitos, muitos museus e monumentos históricos perdidos entre a cidade Alta e Cidade Baixa. Zagreb tem mais de 20 museus, 10 teatros e 350 bibliotecas!!! Vida cultural é o que não falta por lá! 

A cidade é pequena, e apenas 1 dia é o suficiente para conhecer tudo. 

Zagreb está dividida em duas partes: Cidade Alta (mais antiga) e Cidade Baixa. Então vamos lá!

 

Cidade Baixa

Começamos o passeio pelo Pavilhão de Arte, esse prédio amarelo lindo que fica no Parque Tomislava. Essa parte da cidade é conhecida como "Ferradura Verde" por causa do formato de "U" que os parques formam. 

Deixamos o carro estacionado bem na frente, na garagem da estação de trens e metrô que se chama Glavni Kolodvor. Embaixo dessa estação, também funciona um shopping bem grande. Rodamos a cidade toda e voltamos no final do dia para pegar o carro. O preço do estacionamento não ficou absurdo de caro não. Até que foi aceitável pelo tempo que ficamos. 

Esse prédio amarelo é o Pavilhão de Arte, um espaço reservado para shows, grandes exibições e feiras.

Essa é a estátua do Rei Tomislav, o primeiro rei croata, que dá nome à praça. Ele foi coroado rei no ano 925.

Glavni Kolodvor, estação central de trens e metrô de superfície, foi construída em 1892 com mistura de elementos renascentistas e neo-clássico. Todos os trens, metrôs, ônibus e o funicular de Zagreb têm que ser azuis! Cor padrão que foi eleita logo após o fim da Primeira Guerra Mundial.

Na foto abaixo, o Importanne Centar, shopping que fica abaixo dessa praça, e o elegante Hotel Esplanade ao fundo. Para chegar ao shopping, tem que descer essa escada rolante amarela.

O Esplanade Hotel, que foi erguido rapidamente em 1925, propositalmente bem ao lado da estação central da cidade, para atender os elegantes passageiros que viajavam pelo Expresso do Oriente, trem de luxo que ia de Paris à Istambul na Turquia, e tinha uma parada em Zagreb. Desde então, o hotel tornou-se palco de grandes eventos sociais. 

Caminhar ao redor dessa praça é uma delícia, porque ela é linda, florida e muito agradável.

Caminhamos por esse parque em direção à Praça Zrinski, passando por praças, edifícios públicos históricos, embaixadas, avenidas largas e muito arborizadas. Foi uma caminhada muito gostosa.

 

Praça Zrinski

Aqui chegamos na Praça Zrinski, que teve um projeto paisagístico minuciosamente pensado, com mudas de árvores de plátanos importadas de Trieste, na Itália há mais de cem anos, que no verão formam essa alameda linda!!

A praça Zrinski leva esse nome para homenagear Nikola šubić Zrinski, um herói militar croata que viveu no século 16 e defendeu a Croácia em batalhas contra a Hungria.

Nela tem um coreto muito frequentado pelos moradores, onde acontecem shows, feiras e eventos ao ar livre, principalmente no verão.  

Na foto abaixo, ao fundo dá pra ver uma fonte. Essa foi a primeira fonte de Zagreb. Ela é chamada de "cogumelo" por causa do seu formato. Data de 1878 e serve para as pessoas se refrescarem enquanto tomam sol.

Ainda na Praça Zrinski, fica a Coluna Metereológica, que marca a temperatura, hora, pressão do ar e humidade desde 1884.

 

Praça Josip Jelačić

Um pouco mais à frente, fica uma outra praça, a praça Josip Jelačić. Essa é bem maior e mais importante, porque é o cruzamento de várias linhas de ônibus e metrôs, com muitas lojas e bancos ao redor. 

O nome da praça é uma homenagem a outro herói nacional, Ban Josip Jelačić, um general austríaco naturalizado croata que defendeu o país em guerras contra a Hungria até 1859. Guerras contra a Hungria aparecem em vários momentos da história da Croácia, e vários militares receberam homenagens por conta disso.

O NOME DA CIDADE: No centro da praça fica a Fonte Manduševac, responsável pelo nome da cidade de Zagreb. Diz a lenda que num belo dia, o corajoso Josip Jelačić, ao voltar de uma batalha cansado e com sede, pediu água a uma moça chamada Manda. Então ela tirou água da fonte (esse termo em croata significa zagrabiti). Foi assim que a fonte ganhou o nome de Manduševac (por causa da Manda) e a cidade ganhou o nome de Zagreb.

Daqui desse ponto, a gente já avista o Kaptol, que é um dos pontos turísticos mais lindos de Zagreb. Já da pra ver de longe os telhadinhos da construção, que parece um burgo.

A gente começa a caminhar para aquela direção e encontra no meio do caminho uma linda representação da cidade, tipo uma maquete feita de bronze. Linda Linda!!

Assista ao video abaixo:

 

Caminhando em direção ao Kaptol, tem umas lojinhas fofas de souvenirs. Impossível não entrar.

 

Praça do Kaptol

A Praça do Kaptol é linda, com a Catedral da Assunção da Sagrada Virgem Maria no centro, e o Palácio do Arcebispo contornando a Catedral por fora com suas muralhas renascentistas. É uma catedral gótica do século 13, que já sofreu várias reformas ao longo dos anos. É linda, cheia de detalhes. Vale a pena entrar e apreciar.

Na frente da catedral tem essa fonte neo-gótica, com uma coluna no meio. Lá no alto fica a imagem de Nossa Senhora e ao redor, 4 estátuas de anjos banhados a ouro que simbolizam as 4 virtudes do cristianismo: Fé, Devoção, Inocência e Humildade.

 

Mercado Dolac

Da catedral fomos para o Dolac, que é o mercado de alimentos da cidade, tipo um mercado municipal a céu aberto. É conhecido como o famoso mercado das sombrinhas vermelhas, porque todas são dessa cor. Aqui os produtores vendem seu produtos diretamente para os consumidores sem atravessador. Os produtos são frescos e de ótima qualidade. O mercado data do início do século 20. 

            Foto: Wikipédia.

 

Essa torre que aparece atrás do mercado é da Igreja de Santa Maria, de estilo barroco construída no século 18.

Essa estátua de bronze é o símbolo do mercado de Dolac, uma senhora carregando uma cesta na cabeça.

 

Rua Tkalčićeva 

Saindo andando do mercado Dolac, a gente já pega a rua Tkalčićeva. Pronuncia esse nome que eu quero ver!!! kkkk

A rua Tkalčićeva é charmosa, colorida e não passa carros. É só para pedestres mesmo. Fica no coração de Zagreb. Por debaixo dela corre um riacho hoje canalizado que corre para o Rio Sava. Mas na época medieval, esse riacho aqui era cheio de moinhos. 

A rua é babado! Agitada tanto de dia quanto à noite. Cheia de lojinhas, restaurantes e bares que tocam música alta. Delícia de lugar, amei!! Curtimos bastante durante o dia e à noite voltamos para jantar e sentir o clima de balada.

 

SPICA

Bom, aqui eu abro um parênteses para explicar um hábito peculiar de Zagreb que se chama SPICA. Uma manhã de sábado, um visual impecável, uma praça, uma mesa, um café (kava, para ser mais croata): essa é a spica, hábito que os zagrebianos mantêm com propósitos de “ver e ser visto” nas cafeterias espalhadas pela cidade. 

Mas o que isso tem demais? Olha gente, o que me deixou impressionada é que nesses lugares a gente não encontra NADA para comer, só para beber. A gente tava com fome, vontade de parar e comer um lanche, com comida e bebida, mas não encontramos. Então comprávamos sanduíche em outro lugar, padaria por exemplo, e trazia para a cafeteria para comer sentados e bebendo alguma coisa. O bom é que eles não se importam. 

Mas gente, nem no café da manhã conseguimos um pãozinho ou croissant para comer na cafeteria. Só tinha café mesmo, ou água, ou suco, ou refri.... enfim, só bebida!! Nos bares acontece o mesmo. Só tem bebida, nada de petiscos ou tira-gosto. E cigarro né! Affffffffffffffffff êta povo que fuma, CREDO! E dentro dos estabelecimentos é permitido fumar!! Lá eles não tem leis que proibem, e isso eu achei bem atrasado!! 

Bom, mas voltando a falar da rua Tkalčićeva, à noite ela fica assim, cheia de gente, uma delícia!! Balada das boas mesmo!

Uma das características principais dessa rua é essa estátua de bronze de uma mulher que fica em frente a um belíssimo relógio astronômico.

A estátua é de Marija Jurić Zagorka, jornalista e escritora do século 18, uma mulher de idéias avançadas para os tempos em que viveu, lutadora pelos direitos iguais. Escreveu famosas novelas que inclusive passaram em outros países, geralmente falando de amor, motivo pelo qual se encontra ao lado de sua estátua um romântico banco de corações vermelhos, lugar para lindas fotos de casais de turistas apaixonados, rs aloka. 

 

Licitar

Como eu já disse, aqui nessa rua encontramos muitas lojinhas legais, desde souvenirs até obras de arte. Então esse momento é ótimo para eu falar de um objeto famoso típico de Zagreb - o Licitar - que são os corações vermelhos comestíveis. Eles são tipo biscoitos, feitos de massa de pão-de-mel e gengibre, existem de vários tamanhos e são dados para as pessoas em sinal de afeição e amor.

Esses corações estão por toda parte em Zagreb e são confeccionados também em forma de pingentes para enfeitar árvores no natal. Geralmente os corações têm um pequeno espelho quadradinho no meio. Dizem que é para refletir a alma de quem o vê... Uau!!

       Loja de souvenir na rua Tkalčićeva.

 

Exploramos bastante tanto a rua Tkalčićeva quanto a rua Radićeva. As duas são famosas, paralelas e igualmente lindas. Através dessa última, subimos para a cidade alta pelas escadarias mesmo. Não são muitos degraus não, dá pra subir numa boa. Tem gente que opta por subir e descer pelo funicular. Nós escolhemos subir de escada e descer pelo funicular.

 

Cidade Alta

A cidade alta também leva o nome de Gradec. Esse era o nome dado para essa parte de Zagreb no período medieval. A cidade alta é calma e silenciosa. Dá para passear tranquilamente pelas ruas estreitas. 

 

Igreja de São Marcos

A principal atração da cidade alta é a Igreja de São Marcos, que fica bem na praça central. Quando ela aparece ao longe, dá até uma emoção na gente, porque é um dos principais símbolos da Croácia.

A Igreja de São Marcos tem o telhado todo feito de mosaico de azulejos coloridos, que formam os brasões da Croácia, Dalmácia, Zagreb e Eslavônia (pensei que era Eslovênia, mas é Eslavônia mesmo). É uma linda igreja gótica do século 13 que ainda preserva muitas características da sua arquitetura original. 

Igreja de São Marcos Zagreb capital da Croácia Blog da Ana Cassiano Histórias de Viagens com a família de carro

Ao lado da igreja de São Marcos fica o edifício do Parlamento, esse à esquerda que tem as bandeiras. Dessas janelas, foram proclamadas a separação da Croácia do reino austro-húngaro e a independência da Iugoslávia. Imaginem a importância histórica desse lugar para os croatas!

 

Stone Gate, o Portal de Pedra

Da praça de São Marcos dá pra ver o Stone Gate, que é o único portal da cidade que sobreviveu intacto desde a Idade Média. Nesse portal tem uma capela dedicada à Nossa Senhora. Seu altar se salvou milagrosamente de um terrível incêndio em 1731 e está lá da mesma forma até hoje. Desde então passou a ser visitada por peregrinos. A Nossa Senhora do Portal da Pedra é a santa padroeira de Zagreb e no seu dia, 31 de Maio, também comemora-se o aniversário da cidade.

Na época medieval, essas terras eram muito perigosas e invadidas o tempo todo. Então, durante todos os dias no pôr-do-sol, os habitantes de Gradec eram chamados pelos sinos para voltarem à segurança da fortificação, sendo as portas da cidade fechadas à chave. A única porta preservada desse período é o Portal de Pedra (Stone Gate). 

 

Museu dos Relacionamentos Terminados

Perto daqui, fica o Museu dos Relacionamentos Terminados (esse prédio branco de esquina), que reúne os mais divertidos (e às vezes tristes) objetos e relatos que fizeram parte de relações amorosas que chegaram ao fim. Entre eles, algumas descrições são divertidíssimas, como a encontrada ao lado de uma cinta-liga, que dizia: “Eu nunca a usei. Talvez o casamento tivesse durado mais se eu tivesse usado”. 

Leia mais sobre esse museu clicando aqui. Vale à pena!!  noticias.uol.com.br/tabloide/ultimas-noticias/tabloideanas/2012/02/14/museu-na-croacia-reune-objetos-de-relacionamentos-terminados.htm

Dentro do museu tem banheiros e uma cafeteria bem gostosa. Ótimo lugar para fazer uma pausa para descanso.

 

Igreja de Santa Catarina

Nessa mesma praça do museu, também fica a Igreja de Santa Catarina, uma linda construção de estilo barroco. Foi fundada por jesuítas no século 17. Sofreu danos devido a um terremoto em 1880, depois foi reconstruída. Como toda igreja barroca, por dentro é pura ostentação.

 

Torre Lotrščak

Caminhando em direção ao funicular pra descer para a cidade baixa novamente, a gente vê no caminho a Torre Lotrščak com sua pequena plataforma circular de observação no topo, onde as pessoas sobem para ver Zagreb do alto. Essa é a única torre medieval preservada da cidade.

A Torre Lotrščak fica bem na frente da estação do funicular. Por outro ângulo, dá pra ver um canhão bem pequeno lá em cima na última janelinha. Sobre ele, tenho uma historinha interessante pra contar...

Em meados do século 13, os Tatares invadiram a Hungria e o rei Béla fugiu para Zagreb onde conseguiu abrigo. Em agradecimento, o rei deu a independência à Gradec (a cidade alta). Essa data é lembrada diariamente há mais de cem anos na torre Lotrščak, onde uma bola é lançada simbolicamente de um canhão exatamente ao meio-dia. Olha o tamanico do canhão na janela genteee!! kkkkkk tadinho

 

Strossmayer Promenade

Aqui bem na frente da torre Lotrščak fica o Strossmayer Promenade, que é um caminho cheio de árvores e bancos pra gente sentar e curtir sem pressa, uma delícia! 

O calçadão leva esse nome em homenagem ao bispo Josip Juraj Strossmayer, figura respeitável da Croácia que viveu no século 19 e estudava como as condições climáticas poderiam alterar um lugar. 

O caminho arborizado que acompanha as muralhas medievais de Zagreb é uma das áreas mais gostosas da Cidade Alta, e o mirante tem uma vista ótima da parte moderna lá embaixo.

Tem um trailler estilo meio hippie que vende bebidas e lanches. Paramos ali para tomármos cerveja, pois estava fazendo muito calor. 

 

Estação do Funicular de Zagrebe

A estação do funicular na cidade alta fica exatamente ao lado da entrada do Strossmayer Promenade.

Daqui temos uma bela visão da cidade baixa, e então a gente percebe que a cidade alta nem é tão alta assim.

O funicular de Zagreb é o menor do mundo! Tanto no tamanho do vagão quanto na duração do trajeto. Na hora que a gente menos espera, já chegou kkk. A viagem é rapidinha MESMO (só 55 segundos!) 

Assista ao video abaixo:

 

De volta à Cidade Baixa

Ao desembarcar do funicular na cidade baixa, fomos caminhando de volta em direção à praça Marshal Tito, que fica do outro lado da "Ferradura Verde" do início do passeio, lembram? Foi lá que deixamos o carro estacionado.

Até chegar lá, passamos por uma parte linda. A cidade baixa tem um projeto urbanístico de quarteirões com formato padrão, ruas retas e da mesma largura e prédios do mesmo estilo e altura. As praças são espaçosas e os edifícios monumentais todos seguem o mesmo estilo: o classicismo.

 

Rua Ilica

Gostei muito dessa rua. Se puder, caminhe por ela. Ela tem 6 quilômetros de comprimento e por muito tempo foi a rua mais longa de Zagreb. Hoje em dia já existem avenidas mais longas recentemente construídas. A rua Ilica é cheia de lojas, teatros, mercados e prédios governamentais. 

** Curiosidade: A rua Ilica é uma das raras ruas que possuem o mesmo nome desde o século 15! 

 

Praça Marshal Tito e seus Edifícios Amarelos

Andamos até chegar na praça Marshal Tito. Passamos em frente ao Teatro Nacional Croata  e do Museu de Artes e Ofícios e percebemos que todos os prédios históricos daqui são amarelos, só pra confundir a cabeça da gente! Mas isso tem uma explicação:

** Os prédios históricos são todos amarelos para marcar a época da Monarquia Dual Austro-Húngara! Pronto, tá explicado!

            Teatro Nacional Croata, concluído em 1895, uma mistura de Neobarroco e Rococó.

 

Esse abaixo é o Museu de Artes e Ofícios, que funciona ao lado da Escola de Artes, Design e Decoração. O museu expõe objetos que contam a evolução da arte desde o período gótico até o Art-Deco.

Todos os prédios históricos daqui são amarelos, exceto esse abaixo, que é o Prédio dos Arquivos do Estado, que é praticamente uma biblioteca pública. Belíssimo exempo de construção Art Nouveau croata, que fica na Praça Marulic.

 

A Penkala

Não posso terminar esse post sobre Zagreb sem citar um dos inventos mais importantes do século 20, a caneta tinteiro (chamada de Penkala). O engenheiro Eduard Slavoljub Penkala patenteia em 1906 a primeira caneta e o primeiro lápis mecânico do mundo, a lapiseira. Começa a fabricá-los em Zabreb e exportar para cerca de 70 países. Ele ainda estava longe de terminar suas contribuições para o mundo. Foi o responsável pela construção do primeiro avião croata, em 1910, o Penkala Monoplane. Penkala patentetou mais de 80 objetos nos campos da mecânica, química, física e aeronáutica.

Bom, terminou o roteiro de hoje, final de tarde em Zagreb. Daqui pegamos o carro e fomos para o apartamento descansar um pouco. À noite, voltamos para jantar na agitada rua Tkalčićeva e curtimos as baladinhas dos bares de lá. No dia seguinte, acordamos cedo pra pegar estrada em direção a Zadar, segunda cidade croata por onde passamos. Sensacional! Siga aqui pelo Blog:

 

Todos meus posts sobre a Croácia:

Curiosidades gerais sobre a Croácia

Cenários de Game of Thrones

Características das Praias da Croácia

Zagreb

Zadar    

Split

Palácio de Diocleciano em Split

Balsa de Split para Hvar

Ilha de Hvar

Passeio de Barco pelas Ilhas Paklinski

Stari Grad

Hvar→Sucuraj→Drvenik

Dubrovnik

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.