A Indústria da Carne

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

Nessas minhas andanças pelo mundo, alcancei um propósito de vida que foi me tornar vegetariana! Não como carne de nenhum animal desde 2015. Foi uma transformação pessoal, individual e gradual. Tem a ver com a filosofia de vida que escolhi pra mim, por vários motivos: saúde, meio-ambiente, maus tratos à animais, fome mundial e principalmente pela velocidade da indústria em produzir alimentos em alta escala, aumentando a produtividade sem se preocupar com o desperdício ou a qualidade do alimento, apenas com os lucros gananciosos. 

NÃO sou ativista! Aliás, eu deveria ser. Mas acho que é uma escolha individual que cada um tem que alcançar sozinho, sem a interferência de outras pessoas. Não quero convencer ninguém a se tornar vegetariano ou vegano, mas exijo respeito pela minha escolha. Se vier me oferecer "um churrasquinho" querendo ser engraçadinho, só vai conseguir o contrário. E com respeito mútuo, vamos convivendo.

Estudei sobre o assunto, sempre me atualizo, busco informações em várias fontes diferentes, e aqui nesse post eu reuni o básico das idéias que acredito. Então vamos lá...

 

Alerta Vermelho

Os climatologistas dizem que o nível máximo de emissões "seguras" de gases que causam o efeito estufa seria cerca de 350 ppm de CO2, mas nós já chegamos aos 400 ppm. Dizem que se a temperatura média da atmosfera subir 2º C, podemos esperar consequências graves. A realidade é que já estamos aproximando desse número, e com todo o CO2 que está no ar, vamos ultrapassar essa temperatura facilmente. 

Por enquanto, vamos assistindo ao degelo das calotas polares, a subida do nível do mar, países ficando submersos aos poucos, secas de grande escala impedindo que terras alimentem populações, furacões e tempestades colossais, terremotos e tsunamis devastadores, acidificação dos oceanos e uma irreversível extinção das principais espécies. 

Está claro que as alterações climáticas estão afetando a vida no planeta. A Terra está em perigo! E quando ouvimos falar sobre os impactos que o aquecimento global causa, ficamos muito assustados. Então, de alguns anos pra cá, seres humanos mais conscientes começaram a fazer o que podiam para ajudar, mudando os próprios hábitos e tentando viver em equilíbrio com o planeta de forma "sustentável", reciclando o lixo, economizando energia e água, tomando banhos curtos, fechando a torneira enquanto escovam os dentes, deixando os carros em casa para andar mais de bicicleta, etc e etc. 

Mas com o passar dos anos, ao invés das condições climáticas melhorarem, na verdade elas só pioraram! E mesmo se todos adotássemos hábitos ecológicos a partir de hoje, isso ainda não seria suficiente para salvar o planeta!!! Então o que há de errado? O que realmente está acontecendo? ... 

 

A Emissão de Gases

Há tempos atrás, a ONU fez um estudo afirmando que a criação de gado produz muitos gases nocivos à camada de ozônio, acelerando assim o efeito estufa. O relatório mostrou que os animais liberam uma quantidade representativa de gás metano no processo digestivo, que é mais destrutivo que o CO2 emitido pelos veículos. O setor de transportes mundial causa um estrago de 13% na camada de ozônio, e a criação de gado 18%. Ou seja, criar gado polui mais o meio ambiente do que todos os carros, caminhões, trens, navios e aviões que existem no mundo JUNTOS! 

E a coisa vem piorando! Em 2009 foi feita uma nova análise, revelando que a produção animal não é mais responsável por 18% das emissões de gases nocivos, e sim 51%!!!! Esse número desolador se deve ao desmatamento criminoso que vem transformando florestas em pastos, à respiração dos animais e à todos os excrementos produzidos por eles.

Pelos cálculos dos pesquisadores ambientais, se parássemos de usar todo gás, petróleo ou combustível a partir de hoje, ainda assim excederíamos o nível de emissões de gases de efeito estufa as 565 gigatoneladas, até o ano de 2030. Se reduzirmos o consumo de carne, o resultado aparece bem mais rápido. Se os rebanhos diminuirem, cairá também a produção de gás metano que os animais liberam na atmosfera.

Ao reduzir as emissões de gás metano, o nível dele na atmosfera cai drasticamente, ao contrário do CO2, que reduzindo agora as emissões na atmosfera, não veremos um sinal sequer em menos de 100 anos. Infraestruturas de energias renováveis, geradores de energia solar e eólica são uma boa idéia para reduzir as alterações climáticas, mas estão projetados para começarem a dar resultado daqui à 20 anos. Não podemos esperar esse tempo todo!

E o povo andando de bicicleta para ajudar a reduzir a poluição do ar... E o governo botando a culpa apenas nos combustíveis fósseis... Tudo que ouvimos falar é da produção de gás e petróleo, e da rachadura hidráulica usada para extrair o gás natural.

 

A Água 

A rachadura hidráulica realmente consome uma quantidade incrível de água - 378 Bilhões de litros por ano - nos Estados Unidos. Porém, a produção animal (só nos EUA) consome 130 Trilhões de litros de água por ano! E as emissões de metano de ambas as indústrias são quase iguais. 

Além da emissão de gases nocivos, saiba que criar animais para a alimentação também consome muita água! 1/3 de toda água do planeta!!! 

Para se produzir carne e laticínios, consome-se muita água porque os animais bebem muito e consomem bastante grãos em forma de ração, que também leva muita água para ser produzida. Só para se ter uma noção, um hamburger de 110 gramas de carne que vai no sanduíche precisa de 2.500 litros de água para ser produzido! Cada hamburger!!! Vc toma banhos mais curtos pra economizar água e depois descobre que comer um hamburger equivale a tomar banho durante dois meses inteiros!!!!

Muito se fala sobre reduzir o consumo doméstico de água, usando chuveiros de fluxo reduzido, sanitários sustentáveis, equipamentos contra vazamentos etc. Mas o consumo doméstico de água nos Estados Unidos por exemplo, representa apenas 5% do total, enquanto 55% corresponde à produção animal. Isso porque são necessários mais de 9.500 litros de água para produzir 450 gramas de carne! 9.500 LITROSSS!!!!! 

No estado da Califórnia, uma pessoa consome em média 5.600 litros de água por dia. Mesmo seguindo todas as recomendações do governo, conseguiu-se poupar 177 litros de água por dia, valor que nem chega perto dos 2.500 litros gostos para produzir apenas um hamburger, ou dos 1.800 litros para produzir ovos, nem dos 3.400 litros de água por dia para produzir queijo! Sem nenhuma dúvida, a indústria da carne é a que consome mais água, se comparar com outras atividades.

É como se um vizinho deixasse uma mangueira aberta a noite inteira e deixasse 2.500 litros de água invadirem a rua... Acho que vc diria: "Feche isso por favor!". Parece que é isso que devemos fazer. Incentivar as pessoas a comerem menos carne!

 

Mas antigamente, as pessoas caçavam para comer!

Isso, de que os animais estão na natureza para serem comidos, é o argumento de muitas pessoas. Mas vejam, antigamente tínhamos animais selvagens por todo lado, e funcionava o sistema de caça e caçador, porque havia cerca de 10 milhões de pessoas (no continente americano). Hoje há 450 milhões de pessoas. Tentar equilibrar a produção animal à tantas pessoas famintas é impossível. Hoje em dia, é praticamente impossível alimentar o mundo como há 10 mil anos atrás, pois estão nascendo 216 mil pessoas por dia no planeta! POR DIA!

Em 1812, havia 1 bilhão de pessoas. Cem anos depois passou para 1,5 bilhões. Agora temos cerca de 7 bilhões de habitantes na terra e as estatísticas mostram que logo chegará à 9 bilhões! Isso para 70 BILHõES de animais criados pelos humanos. O problema nem é tanto a população mundial que está crescendo, mas sim a população humana que come animais. 

A população humana bebe 20 bilhões de litros de água por dia, e come 9,5 bilhões de quilos de comida. Só os 1,5 bilhões de bovinos do mundo bebem 170 bilhões de litros de água por dia e comem 60 bilhões de quilos de comida, sem falar dos porcos, frangos e outros animais.

Incentivar as pessoas a comerem menos carne é pelos animais, mas acima de tudo, pelos danos ambientais. Um dia teremos que parar, definitivamente de comer carne. Ou pelo menos diminuir o consumo. Não há como suportar 250 gramas de carne por pessoa, por dia. Se os chineses decidirem comer a mesma quantidade, e já decidiram que querem, não será possível. Não temos planeta suficiente para produzir tantos grãos para produzir tanta carne. A dieta vegetariana é a mais sustentável. O ser humano tem que ser educado a comer menos. Come-se muito! Temos problemas sérios com obesidade, diabetes e problemas cardíacos. Hoje em dia, estamos devorando carne em quantidades absurdas. Com uma dieta vegetariana é possível comer bem em menos quantidade.

 

A Fome Mundial 

A maioria das crianças que passam fome vivem em países onde os alimentos são dados aos animais da produção de carne, que serão mortos e consumidos por pessoas com mais posses, nos Estados Unidos e na Europa. O fato é que hoje poderíamos alimentar todas as pessoas do mundo, com uma dieta adequada. Se pegássemos na comida que destinamos aos animais e a transformássemos em alimentos para humanos, acabaríamos com a fome mundial.

O que cultivamos atualmente dá para alimentar de 12 à 15 bilhões de pessoas. Nós só temos 7 bilhões, e mesmo assim quase 1 bilhão de pessoas passam fome todos os dias. 50% dos grãos e leguminosas que se cultivam mundialmente são apenas para alimentar os animais. Eles consomem uma quantidade enorme. 90% da soja que é cultivada no mundo é destinada à comida de animais. E pior, é uma soja trangênica, geneticamente modificada em laboratório, elaborada para os animais crescerem e engordarem rapidamente, atingindo assim o peso de abate cada vez mais cedo. Um veneno para os humanos que comem dessa carne!

Pode ser produzido em média, 15 vezes mais proteína de origem vegetal do que de animal, nas mesmas terras, fértil ou não, até mesmo em zonas áridas. Se reduzimos o consumo de carne, laticínios e ovos, podemos fazer com que os campos cultivados com milho e soja geneticamente modificados sejam revertidos em florestas. Quando alguém diz que não podemos cultivar para humanos nas terras em que cultivamos para os animais, está defendendo a indústria agropecuária. A verdade é que se podemos cultivar milho para alimentar um animal, podemos cultivar milho para alimentar um humano.

 

Mas por que isso não é divulgado?

Ambientalistas já propuseram ao governo divulgar para a população sobre o metano, mas eles oferecem grande resistência. Argumentam que já é difícil fazer com que as pessoas pensem no CO2... não as confunda mais! Eles dizem: "Viva a vida como sempre, mas mude uma lâmpada de vez em quando, ande de bicicleta, use menos plástico, recicle o lixo..." É melhor para o perfil deles, para a arrecadação de fundos.

Eles não abordam esse assunto da carne porque seria um fiasco político. O valor que a indústria de carne contribui no orçamento é alto. Se políticos forem identificados como anti-carne, ou desafiarem as pessoas a mudar hábitos do cotidiano, vão perder influências e dinheiro. Nenhum político ou orgão responsável quer desagradar esse grupo tão poderoso de pessoas. 

É como uma família desestruturada, o pai é alcoólatra mas é a única coisa que ninguém fala, todos rodeiam o assunto, e no entanto é a causa da destruição das relações familiares, porque ninguém quer falar no assunto. 

Deixam as pessoas pensarem que a causa das alterações climáticas é humana. Desse modo, o povo não enxerga o que está diante do próprio nariz, que é a produção animal. Criar e matar animais para alimentação é o que está matando o planeta. Não querem divulgar isso porque é desagradável dizer aos outros o que fazer. Mexer no comportamento e na cultura das pessoas é uma coisa muito complicada. Mas chegamos num ponto em que temos que ser racionais e agir. A indústria da carne é a maior responsável por todos os problemas ambientais conhecidos, a desflorestação, a exploração do solo, a escassez de água, a instabilidade social, a fome mundial.... a lista é interminável. É um desastre ambiental que está sendo ignorado.

Nos Estados Unidos, quem fala sobre o assunto é processado. Porque causar uma interrupção nos lucros da indústria animal é considerado culpado por atentado à pátria! (olha que absurdo!). A indústria agropecuária é uma das mais poderosas do mundo. Tem muita influência política e muito dinheiro. Eles fazem o impossível para esconder o impacto que causam no meio ambiente. Organizações do governo, como o FBI, monitoram passo à passo de quem prega algo contra a indústria da carne. É muito arriscado lutar contra eles. Muitos ativistas e jornalistas morreram ou simplesmente "desapareceram" enquanto defendiam essa causa.

Pois saiba que criar animais para a alimentação consome 1/3 de toda água do planeta, ocupa 45% da superfície da Terra, é responsável pelas "zonas mortas" nos oceanos, pela destruição de habitats naturais, pela extinção de espécies e é responsável por 91% da destruição da Amazônia. Se vc acha que a Amazônia está acabando por causa da extração da madeira, pois saiba que é pela agropecuária, que é a criação de gado + a plantação dos grãos que os animais vão comer até o abate.

 

Florestas x Agropecuária

As florestas do mundo inteiro têm sido destruídas a uma velocidade de 4.000 m2 POR SEGUNDO, e a força motriz por trás de tudo é a produção animal. Desflorestar para criar pasto e cultivar grãos que alimentam o gado. A soja transgênica foi criada para alimentar vacas, porcos, galinhas e peixes de produção massiva.

91% da destruição da floresta Amazônica é por causa da produção animal. O governo incentiva consumir menos carvão, andar de bicicleta.... e por que não incentivar o povo comer menos carne?

As florestas estão sendo destruídas muito rapidamente. Elas são o pulmão do planeta, absorvem CO2 e liberam oxigênio. Para criar pasto e cultivo de alimentos para os animais, estão destruindo o referente a um campo de futebol por segundo de floresta na Amazônia. A amazônia é o lugar onde existem mais espécies biológicas do planeta. E estima-se que a cada dia mais de 100 espécies de plantas animais e insetos se perdem com essa destruição.

Parte dessa culpa é da indústria madeireira, da extração de minério, dutos de petróleo e gás, represas, agricultura, e extração de areia, mas a parte maior, bem maior, é da pecuária. A floresta amazônica pode desaparecer nos próximos 10 anos por causa dos pastos e da produção de soja TRANSGÊNICA, a soja "ruim", que foi criada para alimentar o gado com "mais poder". Com ela, eles crescem mais rápido e atingem o peso para o abate mais cedo.

Ninguém fala sobre isso no Brasil porque as pessoas que eram contra os lóbis e os interesses particulares da indústria de produção animal e da agropecuária, muitos dos que falavam sobre isso foram mortos. Basta lembrármos do Zé Carlos, no Cláudio, Dorothy Stang, a freira que morava no Pará, pessoas que se expuseram foram assassinadas. Muita gente falará, mas muita gente ficará calada porque não querem levar uma bala na cabeça.

A irmã Dorothy Stang era uma freira americana que vivia no coração da floresta brasileira. Dedicou sua vida à proteção da Amazônia Falou abertamente contra a destruição da floresta pela pecuária durante anos. Uma noite, ao voltar para casa, foi brutalmente assassinada à queima-roupa por um mercenário da indústria pecuária, no ano de 2005. As manchetes dos jornais diziam: "Freira americana assassinada por ser contra a pecuária". Mais de 1.100 ativistas foram assassinados no Brasil nos últimos 20 anos.

Os pesquisadores que se preocupam com a extinção das espécies concordam que a causa principal é a excessiva criação de gado e a perda de habitats promovida pela pecuária e a pesca excessiva de rios e oceanos. Estamos vivendo a maior extinção de espécies desde há 65 milhões de anos.

Nos anos 50, criou-se uma teoria que dizia que os elefantes era a causa da desertificação na áfrica. A solução na época foi matar 40.000 elefantes. Depois de 10 anos de matança, o deserto só aumentava. Então perceberam que a teoria estava errada, mas para os elefantes era tarde demais. Acontece que a produção animal tem o mesmo efeito. Na vida selvagem dos Estados Unidos, o governo retira os cavalos das suas áreas naturais para dar espaço à criação de gado. Depois manda matar os predadores que ameaçam os rebanhos, como lobos, coiotes, ursos e felinos. É o poder do lobby da indústria pecuária.

Basicamente, roubamos o mundo, a Terra, dos animais livres para nosso proveito, e dos "nossos" porcos, vacas, galinhas e peixes das fábricas de produção, e os oceanos estão cada vez mais devastados.

 

Poluição do Solo, dos Rios e Oceanos

As campanhas de preservação dos rios e oceanos dizem muito sobre sacos de plástico e lixo, metais pesados, herbicidas e pesticidas. Mas as pesquisas mostram que a produção animal (vacas, galinhas e suínos) polui consideravelmente mais que todos esses outros.

Por causa da urina e fezes dos animais, a atividade pecuária criou mais de 500 zonas mortas, carregadas de nitrogênio nos oceanos pelo mundo. São mais de 246.000 km2 de áreas totalmente sem vida. Qualquer discussão significativa sobre o estado dos oceanos tem que por obrigação começar com conversas francas sobre a produção de animais na terra.

53.000 kg de excrementos de animais são produzidos POR SEGUNDO só nos Estados Unidos. É esterco suficiente para cobrir as áreas de São Francisco, Nova York, Tóquio, Paris, Nova Delhi, Berlim, Hong Kong, Londres, Rio de Janeiro, Delaware, Bali, Costa Rica e Dinamarca juntos! Excrementos animais superam 130 vezes em quantidade os excrementos de toda população humana. Quase tudo sem beneficiar de um tratamento adequado.

E os esterco? Não precisamos dele como adubo na agricultura? Não necessariamente. É possível cultivar comida com estercos de origem vegetal. E vc se surpreenderia em ver o que pode ser produzido em tão pouco espaço. É mais seguro e saudável usar produtos e compostos vegetais para adubar o solo, além de ser mais rápido e fácil de administrar. O solo fica ricamente fértil.

 

LEITE: A indústria de laticínios

Veja o propósito do leite da vaca: É transformar um bezerro que nasce com 29 quilos numa vaca ou boi de 180 quilos o mais rápido possível. O leite da vaca é vitamina para o BEZERRO crescer. Tudo que tem naquele líquido branco - os hormônios, os lipídios, proteínas, sódio, os fatores de crescimento, os IGFs - tudo aquilo é para transformar o BEZERRO numa vaca enorme. 

Se uma pessoa o coloca no cereal matinal, ou consome iogurte, ou queijo, ou sorvete... não deixa de ser vitamina pra BEZERRO, não para humanos! As mulheres tomam leite e estimulam os tecidos, provocam caroços nos seios, tem úteros aumentados, fibroides, sangram, fazem histerectomias, têm que fazer mamografias.... e o leite também pode fazer as mamas dos homens aumentarem um pouco de volume! O leite de vaca são secreções de lactação de um grande animal bovino que teve uma cria! O leite não tem nada que as pessoas precisam. Não foi feito para humanos!

Para produzir o leite, é necessário o alimento da vaca, a água e a terra. Normalmente uma vaca consome 70 kg de ração por dia, e bebe cerca de 150 litros de água por dia. Consome cerca de 20 toneladas de ração por semana. A vaca precisa ter um bezerro pra dar leite. O BB ficará coma mãe por 2 dias, depois levados para uma gaiola individual onde serão criados para virar baby-beef ou vitela. Depois que não dão mais leite, as vacas também são vendidas para a indústria de carne.

Independente disso, o problema é que a procura de laticínios está aumentando muito, e não haverá terras suficientes no planeta para criar essas vacas. Mas se algum produto surgir para substituir o leite de vaca, como leite de soja e amêndoas, com bastante sumo de proteína, acho que veremos mais isso, vai ser a saída. Porque para produzir 4 litros de leite, precisa se de 3.800 litros de água. Mas por causa dos pastos, 1/3 do planeta está se transformando em desertos. Se continuar assim, a terra entrará em colapso!

 

Como ser saudável sem comer carne, laticínios e ovos?

Uma dieta vegana produz metade de CO2 de uma dieta onívora e consome apenas 1/10 da quantidade de combustíveis fósseis, 1/13 da quantidade de água e 1/18 da quantidade de terra. Ou seja, poupa-se POR DIA 4.000 litros de água, 20 quilos de grãos, 3 metros quadrados de floresta, 9 kg de CO2 e a vida de um animal... TODOS OS DIAS!

Para alimentar uma pessoa vegana durante um ano, precisa-se de 0,07 ha de terra. Para alimentar a mesma pessoa mas "vegetariana" que inclua ovos e laticínio, o tamanho da terra triplica. Para alimentar um cidadão que consome carne, laticínios e ovos precisamos de 18 vezes mais terra.  

Se nos tornássemos veganos, rejeitando a comida de origem animal, o que aconteceria?

Se não tivermos que matar animais para comer, não teríamos que forçá-los a se reproduzir. Sem se multiplicar, não teremos que alimentá-los. Sem a preocupação de alimentá-los, teremos menos terras dedicadas ao plantio de grãos que os alimentam. As florestas poderiam voltar, a vida animal poderia voltar, teríamos mais água potável para beber, os rios se tornariam mais limpos, e os oceanos também. O ar puro voltaria, e nossa saúde também.

Além de todo o impacto ambiental que a indústria da carne causa, ainda tem os maus tratos com os animais. Como diz o ex-Beatle Paul Mac Cartney, se as paredes dos abatedouros fossem de vidro, ninguém comeria carne! Existem leis para os abatedouros seguirem, como garantir o bem estar animal e matar rápidamente e sem dor (como se isso fosse possível). Mas a fiscalização é pequena e a grande maioria da carne que está no mercado vem de abatedouros clandestinos, onde não há fiscalização alguma e não estão nem um pingo interessados com a compaixão. A realidade nos abatedouros e os maus tratos que os animais sofrem desde o nascimento até o abate é uma coisa horrível, de embrulhar o estômago.

 

Cowspiracy

Cowspiracy é um documentário impressionante recém-lançado nos Estados Unidos. O filme é fruto de um ano de trabalho do cineasta Kip Andersen, que mostra qual é a principal causa dos impactos ambientais, o que realmente está destruindo o planeta. O documentário é rico em entrevistas e dados estatísticos e traz entrevistas surpreendentes com representantes de ONGs e do governo. 

Boa parte dos dados do filme referem-se ao Brasil, já que aqui temos o maior rebanho comercial do mundo. O documentário é centrado em entrevistas e dados estatísticos, tendo apenas uma cena de abate que pode facilmente ser evitada, pois é anunciada por cenas anteriores.

Vale à pena pesquisar na internet e assistir o documentário. Para nós que nos preocupamos com esse assunto, o conteúdo é realmente interessante.

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.