Tóquio - Japão

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

Nossa viagem ao Japão foi à pedido da minha filha, ela ganhou de presente de aniversário. Não estava na minha lista visitar o Japão tão logo, mas confesso que me surpreendi e amei a viagem.

Tóquio é uma das maiores cidades do mundo. A região metropolitana tem cerca de 37 milhões de habitantes (2019). É a maior área urbana que existe no planeta.

Apesar de imensa e densamente povoada, Tóquio é incrivelmente organizada e civilizada. Como uma cidade com tanta gente consegue funcionar tão bem! E ainda preservar áreas verdes, patrimônios históricos e manter os níveis de poluição controlados. Só vendo para crer!

Ficamos 15 dias no Japão. Claro que não deu para conhecer tudo, mas vimos bastante coisa. Nesse post vou falar um pouco de cada lugar que tivemos a chance de visitar em Tóquio.

 

Shibuya

Shibuya é o famoso bairro de Tóquio onde vemos uma multidão de gente atravessando a rua ao mesmo tempo. Tem faixas de pedestres até nas diagonais. É um dos cruzamento de pedestres mais movimentado do mundo. Parece um formigueiro, rs.

Assista abaixo à cena do filme Velozes e Furiosos 3 que foi filmada nesse cruzamento de Shibuya:

 

Ao redor do cruzamento tem vários prédios com cafeterias estrategicamente localizadas, tipo vitrines, onde a gente pode subir para tomar um lanche, fazer uma pausa e passar um tempo observando o movimento da rua. Dois exemplos bons que eu fui conhecer: o Starbucks Shibuya Tsutaya e a cafeteria da L'Occitane.

Além do cruzamento, Shibuya também é famoso por ser o bairro que lança moda. Tem muitas lojas legais, muitos restaurantes e clubes noturnos. Shibuya é uma região bem agitada, de dia ou de noite, uma das regiões que mais gostei em Tóquio.

Shibuya Station é uma mega-estação de trem e metrô, cheia de lojas, restaurantes, uma das mais movimentadas do Japão. Nos finais de semana, a estação Shibuya de metrô é o ponto de encontro dos adolescentes de Tóquio. A praça da Shibuya Station fica lotada de gente.

Os prédios ao redor da praça têm uns telões luminosos de Led gigantes, tipo tela de cinema mesmo, que ficam passando propagandas (com som alto inclusive!), TODOS ao mesmo tempo, uma loucura! 

  Olha quanta gente!

 

Assista ao video abaixo:

 

Estátua do cão Hachiko

Uma estátua de bronze de um cão foi erguida em frente à estação de Shibuya, e marca um ponto de encontro extremamente famoso e significativo.

Hachiko foi um cão da raça Akita nascido em 1923. Seu dono, Hidesaburo Ueno, era professor na Universidade de Tóquio. Todos os dias, Hachikō acompanhava Ueno da porta de casa até a estação Shibuya, quando ele ia p o trabalho, e retornava no final do dia para esperar o trem em que seu dono vinha. A visão dos dois, que chegavam na estação de manhã e voltavam para casa juntos na noite, impressionava todos que passavam. 

Essa rotina continuou até 1925, quando numa tarde o professor não retornou em seu habitual trem, como de costume. Ueno sofrera um AVC na universidade naquele dia, e nunca mais voltou à estação onde sempre Hachikō o esperava. Ueno morreu um ano e meio depois. 

Ao perceber que o dono não aparecia, o cão continuou indo todos os dias à estação de Shibuya, da mesma forma como ele sempre fazia, e esperava o trem, procurando a figura do professor Ueno entre os passageiros. Só ia embora quando as dores da fome o obrigava. Ele fez isso dia após dia, durante 10 anos, até o dia de sua morte. 

Hachiko morreu de velhice aos 11 anos, numa rua lateral à estação. A morte do cão estampou as primeiras páginas dos jornais japoneses e muitas pessoas ficaram inconsoláveis com a notícia. Seus ossos foram enterrados em um canto da sepultura do professor Ueno, para que ele finalmente se reencontrasse com o mestre a quem ele havia esperado por tantos anos.

O dia 8 de março de 2015 marcou 80 anos desde que Hachiko se foi e para homenageá-lo, alunos da Universidade de Tóquio fizeram uma estátua representando o reencontro dos dois.

Hachikō é o diminutivo de Hachi, nome do lindo filme estrelado por Richard Gere que conta essa história real. Quase morri de tanto chorar!

Assista ao trailer clicando aqui →www.youtube.com/watch?v=7iJASD1yu3E

Tudo ao redor da estação Shibuya lembra o cão Hachiko. Além da estátua que fica no meio da praça, tem várias outras referências: 

  Propagandas em outdoors que usam a imagem de Hachiko.

 

  Painel muito bonito feito de pedra com esculturas do cão nas paredes externas da estação Shibuya.

 

   Réplicas de Hachiko espalhadas pelas lojas do entorno.

 

  Estação de metrô Shibuya.

 

CURIOSIDADE

Aconteceu um caso igualmente famoso em Edimburgo na Escócia. Bobby foi um cão da raça skye terrier que viveu no século 19. Ele se tornou conhecido por ter ficado 14 anos seguidos vivendo ao redor do túmulo de seu dono, John Gray. O cão Bobby morreu aos 16 anos de idade e também foi enterrado no mesmo cemitério do dono. Essa história é muito conhecida na Escócia, e já foi contada em livros e filmes. Existe uma estátua de Bobby no exato lugar onde ele ficava esperando pelo dono, e virou atração turística em Edimburgo.

 

Rua Center Gai

A região ao redor da Estação Shibuya é cheia de lojas, bares e restaurantes. O movimento de pessoas é intenso. Há comércios por toda parte.

A Center Gai é uma rua de pedestres que fica perto da estação Shibuya. Ela é famosa pelo seu comércio de rua. É bem movimentada e uma rua bem típica de comércio de Tóquio.

Tem uma loja bem legal, oficial dos Kishidam, que é uma banda de rock famosa no Japão. O vocalista é esse loiro esquisitão da foto. A loja vende um monte de souvenirs legaizinhos com o logo da banda. Vale à pena dar uma entradinha. Endereço (Tokyo, Shibuya, Udagawacho, 37-11)

 

Restaurante UOBEI

** Restaurantes onde a comida é servida em esteiras (sem contato com garçom) são comuns no Japão. Quando fui, o UOBEI era lançamento, novidade! Era o máximo comer lá. Quando você for ao Japão, pesquise qual restaurante de esteira é o mais legal no momento. Mas vá conhecer! Porque é uma experiência bem bacana.

Outra coisa bem legal que fizemos em Shibuya, foi comer no UOBEI. É um restaurante onde a gente faz o pedido pela tela de um computador e o sushi vem num trilho... sozinho, sem garçom, bem no estilo "tecnologia japonesa"! Endereço (2-29-11 Dogenzaka, Shibuya, Tokyo) 

Assista ao video abaixo:

 

Asakusa e Templo Senso-ji

Veja se você já ouviu essa história antes... 

Dois pescadores irmãos não estavam em um bom dia de trabalho. Foi então que resgataram do fundo do rio uma imagem de santa, e de repente suas redes ficam repletas de peixes... Não, não estou falando de Aparecida do Norte (interior de São Paulo), e sim de Tóquio! 

Isso aconteceu no ano 628 no Rio Sumida. A imagem que veio na rede recebeu o nome de Kannona deusa da misericórdia, e passou a ser venerada pelos japoneses desde então. Essa história já existia há mil anos antes da aparição da imagem de Aparecida do Norte (lá foi em 1717). 

A imagem da deusa Kannon fica exposta no principal pavilhão do Templo Senso-ji em Asakusa.

O templo é maravilhoso, com lanternas gigantes de papel vermelho e portais enormes, imponentes, que nos fazem sentir pequenos. Talvez seja essa a intenção mesmo. Lugar de reflexão, contemplamento e agradecimento. 

Asakusa é um bairro tradicional de Tóquio. Nele há muitos templos, incluindo o mais antigo e importante templo budista da cidade, o Senso-jiSe você só tem tempo pra visitar apenas um templo em Tóquio, tem que ser esse. Um dos cartões-postais mais conhecidos de Tóquio. Fica perto do Rio Sumida.

As ruas laterais também são bem típicas japonesas. E são cheias de turistas (não só ocidentais), mas de turistas japoneses também.

Dentro do complexo fica o templo principal com o altar folheado a ouro (onde fica a estátua da deusa Kannon), um belo pagode de 5 andares e vários templos menores dedicados à diferentes divindades.

Ao redor do templo tem um jardim bem bonito e agradável com várias estátuas representando diferentes divindades. 

Para ler tudo sobre o Templo Senso-ji em Asakusa clique AQUI

 

O Prédio da Prefeitura / Torre de Observação

Em Tóquio, existem alguns lugares onde podemos subir até o topo e apreciar a vista da cidade: a Tokyo Skytree, o Roppongi Hills, a Tokyo Tower e o Prédio da Prefeitura. A vista é a mesma em todos eles, então preferimos subir na prefeitura porque é Grátis!

A prefeitura de Tóquio fica na região de Shinjuku. Ela funciona em um prédio lindo, marcante e muuuito alto. 

O prédio tem 2 torres idênticas, que dizem ter sido inspiradas nas torres da Catedral de Notre-Dame de Paris. Ao mesmo tempo, a estrutura de granito dá um ar de modernidade e faz lembrar o circuito de um chip eletrônico. 

O complexo foi construído em 1991, tem 243 metros de altura e 48 andares. É um dos prédios mais altos do mundo. Até pouco tempo, era o prédio mais alto de Tóquio.

No Japão há muitos terremotos, e de acordo com os sismólogos, o chão treme em média 3 vezes por dia! A maioria dos tremores são leves, e a gente nem sente. E quando são um pouco mais fortes, parecem “suaves” graças à tecnologia de construção anti-terremoto que absorve os tremores e ameniza o movimento causado por eles, principalmente nos prédios mais altos. 

Os prédios parecem "flexíveis"! Balançam mas não caem, rs! É tão verdade, que placas explicando essa tecnologia ficam espalhadas por todo prédio da prefeitura. 

No 45º andar das duas torres têm observatórios. A gente pode escolher uma das duas. Escolhemos subir na Torre 1, mas elas são idênticas, inclusive a vista. 

Lá no topo tem um restaurante circular que fica no centro de um ambiente bem espaçoso. Também tem banheiros e lojinha de souvenir. 

Escolha para fazer a visita em um dia bem claro, com boa visibilidade. Se preferir ver a cidade à noite, as torres ficam abertas até às 23h. Site oficial da Prefeitura de Tokyo →https://www.yokoso.metro.tokyo.lg.jp/

 

Shinjuku / Kabukicho e os Pachinkos

Em Shinjuku fica o centro administrativo e de negócios de Tóquio, com inúmeros arranha-céus. Uma manifestação bem visível da riqueza empresarial e moderna da cidade. 

A região também tem ruas calmas e residenciais. Há templos espalhados por toda parte, até dentro dos condomínios onde as pessoas moram. Foi em Shinjuku que fiquei hospedada quando estive em Tóquio. Recomendo! É uma ótima região para ficar.

Já ao redor da Estação Shinjuku, a coisa é bem agitada! Essa é uma das estações mais movimentadas do mundo, por onde circulam mais de 2 milhões de passageiros POR DIAAA! Ela é gigante, cheio de gente e lojas. Ao redor da estação tem muitas lojas de departamentos imensas! Não deixe de visitar.

Do outro lado de Shinjuku fica o Kabukicho, famoso distrito de entrentenimento (adulto), a área boemia, com cinemas, teatros, neons, videokê, bares e casas de Pachinko (Clube de jogos eletrônicos, um monte de máquinas de jogos num lugar só, vive cheia de gente, todos jogando ao mesmo tempo. Uma barulheira danada, muitas luzes, uma loucura!) 

 

Templo Meiji-jingu

Um dos maiores templos de Tóquio fica numa área verde muito bonita ao lado do Parque Yoyogi. A entrada para o templo fica perto da Rua Takeshita Dori em Harajuku. 

Esse é um santuário xintoísta, a religião nativa do Japão, quase sempre ligada à família imperial. O xintoísmo caracteriza-se pelo culto à natureza e práticas associadas com as colheitas e outros eventos relacionados às estações do ano. Na visão xintoísta, os portais (Toris) representam a fronteira entre dois mundos: o dos Humanos e o Sagrado. 

  O Portal da entrada.

 

Separe pelo menos umas 2 horas para fazer esse passeio, porque a gente caminha bastante por dentro de parque até chegar no templo, uns 20 minutos de caminhada.

Logo que chegamos, encontramos uma fonte de água onde as pessoas se lavam antes de entrar no santuário. É um gesto simbólico de purificação. 

O templo é cercado por um amplo e belo bosque, calmo e silencioso. Aos domingos é comum ver casamentos e famílias arrumadas em seus melhores kimonos levando os filhos ao templo pela primeira vez.

Esse templo foi totalmente destruído durante a Segunda Guerra Mundial, mas foi reconstruído em 1958 com donativos vindos até do exterior. 

Orações e pedidos são deixados pelos visitantes. No local são vendidas plaquinhas de madeira onde as pessoas escrevem seus desejos e mensagens. Depois a gente as dependura em um painel, onde todas as plaquinhas escritas ficam todas juntas.

Cada um de nós escreveu em uma plaquinha. A mensagem que deixei lá foi essa:

Site oficial do Templo Meiji →https://www.meijijingu.or.jp/en/

 

Tokyo Tower, a Torre Eiffel do Japão

A Torre de Tóquio fica no bairro de Minato. Na década de 1950, a crescente urbanização da região de Tóquio e a chegada da televisão promoveram a construção desse marco da recuperação japonesa no pós-guerra. Símbolo de uma nova era, a Tokyo Tower foi concebida para ser treze metros mais alta que a Torre Eiffel, totalizando 332,5 m. 

Com o fim da TV analógica no Japão em 2011, a maior parte das funções de transmissão digital migrarão para a torre Tokyo Sky Tree, mas a torre colorida de vermelho e branco sempre se manterá como um ícone querido do Japão moderno. 

Como nós já havíamos subido na Torre da Prefeitura para ver Tóquio do alto, não subi na Tokyo Tower, mas fui conhecê-la de perto. Era noite e iluminada ela é linda!

Na base da torre existem diversas atrações, lojas e restaurantes. Mas a principal atração é o Templo budista Zojoji.

  Nós fomos à noite e o Templo Zojoji estava fechado.

 

O esquema para subir na Tokyo Tower é igual ao da Torre Eiffel de Paris, tem 3 plataformas, cada uma com um preço. Para ter direito a todas elas, o ticket custa 3.000 ienes (28 dólares). Melhor comprar o ingresso online → Site oficial da Tokyo Tower →https://www.tokyotower.co.jp/

 

Ikebukuro, Harajuku e Akihabara

O bairro Ikebukuro é conhecido pelo complexo Sunshine City e pelas lojas de animes e mangás que enchem as ruas ao redor. Se você é fã de cosplay, vai amar visitar essa região.

Sunshine City é realmente um lugar incrível. É um enorme complexo com quatro edifícios que abrigam escritórios corporativos, restaurantes, um hotel e uma plataforma de observação com 240 metros de altura chamada Sunshine 60. Os andares inferiores do complexo são abertos ao público, onde funciona um grande shopping cheio de atrações, incluindo museu, teatro, aquário, planetário, centro de convenções e um parque de diversões de animes. 

Para quem é fã de Animes, Mangás, Cosplay e Action Figure, as regiões de Ikebukuro, Harajuku e Akihabara são o paraíso! Escrevi um post só sobre isso. Para ler clique AQUI

 

O metrô de Tóquio

Eu escrevi um post para contar minhas experiências no metrô de Tóquio, mas acredito que muita coisa deve ser parecida nos metrôs do Japão em geral, principalmente nas grandes cidades. 

Diariamente, mais de 10 milhões de pessoas passam pelo metrô de Tóquio, cujo sistema é o mais avançado e preciso do planeta. 

No post falei sobre o silêncio dentro dos vagões, sobre o sentido do fluxo das pessoas, da dificuldade de entender as placas em japonês, sobre o vagão exclusivo para mulheres, etc. Para ler meu post sobre o Metrô de Tokyo clique AQUI

Assista ao video abaixo:

 

Shinkansen, o trem-bala para Kioto

Nós estávamos hospedados em Tóquio e resolvemos passar um dia em Kioto. Pegamos o Shinkansen (trem-bala), que faz o trajeto de 465km em apenas 2 horas e 40 minutos, com pouquíssimas paradas. O trem viaja à 320Km/h.

Estou falando do trecho entre Tóquio e Kioto mas o Shinkansen é a rede ferroviária de alta velocidade que opera em todo o Japão. Ela existe desde 1964 e é administrada pela companhia privada Japan Railways. A palavra Shinkansen significa literalmente "Nova Linha Troncal".

Em Tóquio, a gente pega o trem na Estação Shinagawa e só desembarca na Estação Central de Kioto. Nesse trajeto, podemos ver o Monte Fuji. Ele fica na fronteira das províncias de Shizuoka e Yamanashi. No post sobre Kioto eu conto esses detalhes melhor.

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.