Montréal Parte 1 - Canadá

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

 

** Esse post faz parte de uma série que escrevi sobre minha viagem ao Canadá, onde passei 20 dias e conheci 7 cidades: Toronto, Niagara, Kingston, Gananoque, Ottawa, Montréal e Québec.

De Ottawa à Montréal fizemos de trem. Viajamos pela Via Rail Canada.

Para quem gosta de recomendação, esse foi o hotel que ficamos: Hôtel Faubourg Montréal. Bem localizado, camas grandes, cozinha, quarto e banheiro espaçosos. O link do hotel é esse →www.hotelfaubourgmontreal.com/default-fr.html

 

Curiosidades sobre Montréal

  • É a segunda maior cidade de língua francesa do mundo (atrás apenas de Paris). A língua oficial é o Francês, mas todo mundo fala perfeitamente o inglês também. Nas ruas, há uma certa mistura dessas duas línguas, formando quase que um idioma local. 
  • Com toda essa influência francesa, as comparações com Paris são inevitáveis. O Centro Histórico de Montreal parece uma “mini-Paris”, com arquitetura que lembra realmente a Europa. 
  • É atualmente uma das cidades mais seguras do continente americano. 
  • A etapa canadense de Fórmula 1 acontece em Montréal. 
  • E não esquecendo também de dizer que aqui fica a sede da Bombardier, da Air Canada e do Cirque du Soleil.

 

Vieux-Montréal (Centro Histórico)

O centro histórico de Montreal possui construções dos séculos 18 e 19. Para conhecer essa região, basta andar pelas ruas, indo de um ponto turístico ao outro, apreciando a arquitetura dos prédios, que hoje se tornaram edifícios do governo e comércios de todos os tipos. 

É uma região super bonita de Montréal, às margens do Rio São Lourenço. É tipo um calçadão com vários cais, onde ancoram barcos grandes e pequenos. Como eu fui no frio, não tinha muitas pessoas nas ruas. Mas imagino que no verão seja um lugar bem movimentado, porque tem muitas lojas, restaurantes, praias artificiais e gramados para as pessoas ficarem.  

          O cais estava congelado.

 

 

Torre do Relógio

A Torre do Relógio fica no cais de L’Horloge, com uma bela vista da Ponte Jacques Cartier ao fundo Montréal Canada Ana Cassiano Blog da Ana Histórias de Viagens anacassiano.com.br

A Torre do Relógio fica no cais de L’Horloge, com uma bela vista da Ponte Jacques Cartier ao fundo (ponte de ferro). 

O relógio funciona perfeitamente e indica as horas corretamente. Aliás, seu mecanismo é uma réplica do Big Ben de Londres, fabricado pelo mesmo Gillett e Johnston na Inglaterra. A Torre foi erguida em 1922 e mede 45 metros. Ela marca a entrada do porto, escondendo a parte “feia” do cais que fica logo atrás. 

Antigamente, os navegadores antes de sair para o mar, ajustavam os ponteiros de acordo com o relógio da torre. Ele também orientava a população, numa época em que o relógio de pulso não era muito comum. Dizem que quando o relógio parou de funcionar, vários trabalhadores do porto chegaram atrasados kkkk. 

No interior da Torre há algumas exposições que contam a história de Montreal e tradições marítimas da cidade. A Torre do Relógio recebeu o status de Federal Heritage Building em 1996 e é considerado um verdadeiro tesouro do Canadá.

 

Capela Notre Dame de Bon Secours

A capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours tem uma história intimamente ligada a Marguerite Bourgeoys, que chegou em 1653 na época da colonização de Montreal para ajudar na educação dos filhos dos colonos. 

A capela é conhecida como a Igreja dos Marinheiros, já que muitos marinheiros devotos oraram aqui para uma passagem segura. Estes marinheiros também doaram lâmpadas em forma de navios que você pode ver suspenso pendurado no teto. A estátua, que sobreviveu a vários incêndios, teria poderes milagrosos e foi objeto de veneração. 

Ao lado funciona um museu que dá a oportunidade de visitar a torre da capela, oferecendo uma bela vista panorâmica da região.

 

Marchè Bonsecours

Inaugurado em 1847, era o antigo mercado público de Montréal. Hoje abriga escritórios do governo e foi reconhecido como um dos dez mais belos edifícios patrimoniais do Canadá. 

A arquitetura é de estilo neoclássico com colunas dóricas moldadas em ferro e feitas na Inglaterra. A cúpula prateada do Mercado Bonsecours se destaca na paisagem e pode ser vista de longe, principalmente à noite quando fica toda iluminada. 

Marchè Bonsecours Montréal Canada Blog da Ana Cassiano Histórias de Viagens anacassiano.com.br

O Mercado Bonsecours hoje é sede do Craft Council of Québec e do Institute of Design Montréal e abriga 15 criações de alta qualidade "made in Québec”. É cheio de lojinhas (caras) mas com produtos de ótima qualidade.

O mercado fica na Rue Saint Paul Ouest, uma das principais do Centro Antigo. Essa rua já foi a mais importante de Montreal, pois eram em suas mansões, hotéis e teatros que aconteciam os movimentos culturais e sociais da época. É cheia de restaurantes deliciosos. Nós almoçamos na Creperie Chez Suzette (3,St-Paul Est). O cardápio, mais francês e delicioso impossível! Quiche Lorraine e Sopa de Cebola na panelinha com queijo brie derretido por cima. Nunca mais vou esquecer daquele sabor!

 

Place Jacques-Cartier

É uma grande praça que leva esse nome em homenagem ao famoso explorador francês. A praça possui muitos restaurantes e hotéis. E no verão deve ser bastante movimentada, mas no frio, não tinha quase ninguém, rs.

No centro da Place Jacques-Cartier fica a Coluna de Nelson, que marca o local da belíssima feira de Natal de Montréal. O monumento homenageia o almirante Horatio Nelson, herói naval inglês.

Place Vauquelin: fica atrás da Coluna de Nelson e ao lado da prefeitura. Vauquelin foi um capitão da marinha francesa durante a Guerra dos Sete Anos. No verão, a fonte tem água jorrando com jogo de luzes. 

          Palácio da Justiça.

 

E aqui na Place Jacques-Cartier fica a prefeitura, chamada de Hôtel De Ville, esse belo prédio atrás de mim na foto.

Place Jacques-Cartier Montréal Canada Blog da Ana cassiano Histórias de Viagens

 

Hôtel De Ville - Prefeitura

O Hôtel de Ville de Montreal é um dos edifícios mais bonitos da cidade. Foi construído em 1878, sofreu com um incêndio em 1922, mas foi restaurado tendo como modelo a prefeitura da cidade de Tours, na França. O prédio é reconhecida como patrimônio histórico nacional do Canadá. O mesmo arquiteto Henri-Maurice Perrault foi também autor do prédio vizinho, o Palácio de Justiça. 

O exterior é decorado com varandas, torres e tetos bastante ornamentados, e fica maravilhoso à noite, quando está iluminado. Por dentro o edifício é particularmente impressionante. Pode-se fazer visitas guiadas.

 

Château de Ramezay

O Château Ramezay fica na Place Jacques-Cartier, em frente à prefeitura. É um dos melhores exemplos de Montreal da arquitetura do século 18. Quando Claude de Ramezay foi nomeado como 11º governador de Montreal em 1704, ele queria que uma mansão combinasse com seu novo status. Seu castelo foi um dos maiores da cidade. O castelo foi restaurado em 1895, e estabeleceu-se como museu. 

Hoje, o Château Ramezay conta a história de como era Montréal do século 18 através de uma série de objetos históricos, pinturas, documentos e exibições multimídia.

 

Catedral de Notre Dame

        Place d'Armes, onde fica a catedral.

 

** Toda cidade francesa tem uma catedral que se chama Notre Dame, porque Notre Dame significa Nossa Senhora. 

A Catedral de Notre Dame de Montréal foi construída há mais de 300 anos e possui um acervo religioso muito rico em seu interior. O engenheiro O'Donnell (que era protestante) era um líder no movimento neogótico e a basílica certamente reflete suas preferências. Pouco antes de completar sua obra-prima, O'Donnell ficou tão ofuscado com sua criação que se converteu ao catolicismo em seu leito de morte e recebeu o privilégio de ser enterrado na cripta, a única pessoa a receber essa honra.

 

Place d' Armes

É a praça onde fica a Catedral de Notre Dame e é considerada a principal da cidade. Leva esse nome porque, no passado, era lugar de treinamentos militares.

A beleza da área ao redor da praça vem dos edifícios que a cercam. O primeiro arranha-céu que surgiu em Montreal fica aqui, é o New York Life Building, concluído em 1888. Ele tinha “a enorme altura” de oito andares e se orgulhava de ter o primeiro elevador da cidade. No início do século 20, os primeiros arranha-céus feitos de aço começaram a aparecer ao redor da Place d'Armes.

À seguir, fotos do entorno da Catedral de Notre Dame e da Place d'Armes.

 

Museu de Arqueologia-Pointe-à-Callière

O Museu Pointe-à-Callière é um museu de arqueologia e história de Montreal. Foi fundado em 1992 como parte das celebrações para marcar o 350º aniversário da cidade. O museu possui coleções de artefatos das primeiras nações da região de Montreal que ilustram como várias culturas coexistiram e interagiram, e como os regimes franceses e britânicos influenciaram a história desse território ao longo dos anos. Pointe-à-Callière foi tombado pelo patrimônio históricos do Canadá em 1998. 

           A Place Royale fica sobre a cripta arqueológica e faz parte do complexo do museu Pointe-à-Callière.

 

Palais des Congrès de Montréal

É um grande centro de convenções com fachada caleidoscópica composta por 332 painéis de vidro colorido. A construção original é da década de 1970. Durante o dia, o efeito da luz através das janelas coloridas é incrível.

Palais des Congrès de Montréal vidros coloridos Montréal Canada Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

No interior do Palais des Conrès, fica o Hall Place Riopelle, que é uma passagem que conecta ao RÉSO (Cidade Subterrânea). Aqui fica uma colorida instalação de arte moderna, conhecida como "Lipstick Forest", criação do arquiteto paisagista de Quebec Claude Cormier, que desenhou 52 esculturas de árvores de cor rosa, cada uma com uma forma única.

Lipstick Forest Montréal Canada Blog da Ana Histórias de Viagens Ana Cassiano           A Lipstick Forest.

 

Place Jean Paul Riopelle

É a praça que fica na frente do Centro de Convenções que acabei de falar acima. O nome é uma homenagem à Jean-Paul Riopelle, um pintor e escultor local, reconhecido internacionalmente. 

Place Jean Paul Riopelle Montréal Canada Blog da Ana Histórias de Viagens anacassiano.com.br         Quando eu fui, a praça estava congelada kkkk.

 

A atração principal da praça é uma fonte de água animada com um anel de fogo. Ela tem o nome 'La Joute', e foi criada em 1969 por Jean-Paul Riopelle e instalada aqui em 2003. A fonte consiste em esculturas de bronze que se assemelham a figuras astecas e míticas que são colocadas em uma bacia em torno de uma escultura central com um jato que dispara um spray de água. Toda a exibição demora cerca de trinta minutos. 

Óbvio que no frio não tem nada disso né! Nada de água, nada de fogo! É um espetáculo que só acontece no verão mesmo, e infelizmente eu não pude ver.

           Foto da Internet

 

Basílica de Saint Patrick

A igreja é famosa por causa da comunidade de origem irlandesa que vive no Canadá. 

O St. Patrick comemorou seu 150º aniversário em 1997. Os católicos de língua inglesa se reuniram pela primeira vez em Montréal na igreja Notre-Dame-de-Bon-Secours, na região do porto velho da cidade. No entanto, o número de fiéis foi aumentando por causa da chegada maciça de imigrantes irlandeses em 1817, que não podiam mais ser acomodados na pequena igreja. 

A construção da Igreja de St. Patrick começou em 1843, tornando-se a mais antiga igreja católica romana de língua inglesa em Montréal. A primeira missa foi celebrada na igreja no dia de St. Patrick em 1847.

 

RÉSO - O Mundo Subterrâneo

RÉSO vem da palavra francesa "réseau", que significa "rede". 

Por ter um clima muito frio durante boa parte do ano, Montreal (assim como Toronto) tem uma incrível vida subterrânea, chamada de Underground City. É a maior rede de passagens subterrâneas do mundo. São mais de 30 quilômetros de túneis que interligam a parte subterrânea de prédios, lojas, shoppings, centros comerciais e ainda interligam tudo com o metrô. Parece um shopping gigante subterrâneo e até precisa de mapa para andar por lá. 

Por toda a cidade, a gente vê portinhas como essa, que parecem entradas de metrô. Na verdade, são acessos ao RÉSO. Quando a gente entra, você não tem noção do mundo de coisas que tem lá dentro, tudo subterrâneo!

A vantagem de existir uma cidade subterrânea muitas vezes mantém os usuários sem quase vir à superfície. Se você mora e trabalha ao longo da rota do túnel da cidade subterrânea, não há necessidade de sair lá de baixo. Para alguns, isso pode parecer um pouco estranho, mas para os moradores de Montréal, que têm de suportar invernos severos, isso é uma maravilha! 

O RÉSO dá acesso ao Centre Eaton, que é um dos principais centros comerciais do Canadá. É um Shopping Center GIGANTE, totalmente subterrâneo! Uma coisa impressionante!!! São andares e mais andares de comércio, tudo debaixo da terra!

                                    Foto da Internet

 

Na superfície, tem uma rua que também merece ser visitada, a Rue Ste-Catherine, que tem bastante comércio e restaurantes. Mas ela só é agitada no verão, quando as temperaturas estão mais favoráveis.

 

Windsor Station

O prédio da Windsor Station parece um castelo! E fica na Praça Dorchester Square, centro moderno de Montréal. O antigo e o novo, lado à lado.

A principal estação ferroviária de Montreal é um local histórico para eles. Hoje, o prédio não está mais sendo usado como uma estação de trem, e sim para escritórios. 

Foi construída em 1880, quando o Canadian Pacific começou a construir uma nova estação em Montreal para a sua crescente estrada de ferro. De 1978 a 1984, a CPR realizou grandes reformas na Estação de Windsor e, em 1990, foi declarada a primeira Estação Ferroviária do Patrimônio no Canadá. Quando o Molson Center nas proximidades foi construído, no final da década de 1990, uma nova estação substituiu a Gare Windsor e agora é usada apenas como escritórios para a ferrovia e como um lar para os arquivos da Canadian Pacific Railway.

Pode visitar o prédio. A gente sobe pelos elevadores, que são antigos e bem bonitos. Dentro so prédio, a arquitetura lembra mesmo uma estação de trem. É lindo lá dentro.

 

Dorchester Square

Dorchester Square Montréal Canada Blog da Ana anacassiano.com.br

Dorchester Square é considerada o coração do centro moderno de Montréal. É uma praça chic e elegante. É um importante ponto de encontro para os habitantes locais e turistas. Fica cheia, principalmente na hora do almoço. 

Foi dado o nome de Dorchester Square em 1988, em homenagem a Lord Dorchester, ex-governador da América do Norte britânica. 

A Dorchester Square está rodeada por alguns dos edifícios impressionantes de Montréal e tem estátuas e monumentos espalhados por todo canto.

 

Cathédrale Marie-Reine-du-Monde

A Catedral Marie-Reine-du-Monde fica na Dorchester Square. É a terceira maior igreja do estado de Quebec. Essa catedral é famosa por ser (por dentro) uma réplica em menor escala da Basílica de São Pedro no Vaticano, principalmente o altar, que também contém uma réplica da peça de madeira de Bernini. 

Por fora, o telhado que formam desenhos é a parte mais marcante da estrutura. Ele se mistura com os prédios da Praça Dorchester, que curiosamente é uma área em grande parte protestante do centro de Montréal.

 

Place dês Arts

É o maior complexo cultural da cidade de Montréal. É a sede de importantes organizações culturais da cidade, como a Orquestra Sinfônica de Montréal, Les Grandes Ballets Canadiens, e a Ópera de Montréal. Foi o primeiro museu canadense dedicado inteiramente à arte contemporânea. Sempre tem exposições importantes e famosas que merecem uma visita. 

        Em abril as ruas estavam vazias por causa do frio.

 

Quando fomos, estava tendo uma exposição com esses balanços nas ruas. Cada balanço tocava uma nota musical e quando a gente balançava juntas, virava uma música. Muito legal.

Place dês Arts Eu e minha amiga Lígia Maria Rocha Passos em Montréal Canada

 

Chinatown

Também chamado de Quartier Chinois, é um bairro de Montréal bastante movimentado e que recebe muitos turistas. As origens do bairro Chinatown de Montréal remontam aos anos 1860, época em que imigrantes chineses começaram sua história no Canadá contribuindo ao estabelecimento da estrada de ferro. 

A região possui vários restaurantes e lojas especializadas na culinária chinesa e do Vietnã. A China ofereceu à cidade de Montreal dois portões que ornamentam o boulevard Saint-Laurent, no cruzamento com o boulevard René-Lévesque e com o da rue Viger

A rua Gauchetière é uma rua fofa de pedestres, onde encontram-se vários restaurantes e lojas típicas.

 

Sede do Comitê Olímpico

Montréal tornou-se uma cidade olímpica com os jogos de Verão de 1976. A sede do Comitê Olímpico do Canadá fica instalada em um belo prédio numa larga e bonita avenida (500, Boulevard René-Lévesque W). 

O lugar é um museu que conta a história olímpica do Canadá. 

Na frente do prédio tem a escultura de uma chama olímpica, muito interessante e moderna, cheia de espelhos que refletem as pessoas e a rua. À noite, ela fica toda iluminada, e é uma atração turística. As pessoas passam ali para ver. 

Sede do Comitê Olímpico Montréal Canada Blog da Ana Cassiano

O Símbolo Olímpico (anéis coloridos) também está representado na fachada do prédio, e brilha à noite num jogo de luz bastante chamativo. 

Os Jogos Olímpicos de Montreal tiveram a romena Nadia Comaneci como grande estrela. Com apenas 14 anos, a atleta encantou o mundo e garantiu a primeira nota "10" da história da ginástica artística. Ela ainda conquistou mais seis notas máximas e terminou os Jogos com três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze. Tudo isso aconteceu no Complexo Olímpico, e é pra lá que vamos agora...

 

** Para não ficar longo demais, dividi esse post sobre Montréal em duas partes. Clique AQUI  para ler Montréal Parte 2

 

Leia também:

Toronto

Informações Úteis sobre o Canadá

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.