↓ Choose the Language ↓ 

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Templo Kinkaku-Ji do Brasil

O Kinkaku-ji do Brasil é uma réplica do Templo Kinkaku-ji da cidade de Quioto no Japão. Fica no município de Itapecerica da Serra, à 33 quilômetros de São Paulo. 

Templo Kinkaku-Ji Brasil Itapecerica da Serra São Paulo Réplica do templo em Kioto no Japão cineratório Veja como ir no Blog da Ana Cassiano anacassiano.com.br

Diferentemente do seu modelo japonês, o Kinkaku-ji do Brasil é um Templo Ecumênico e um cinerário, ao passo que o Kinkaku-ji japonês é um templo de orientação zen-budista. 

Ecumênico é o processo de unificação das religiões. É uma busca do diálogo e cooperação comum, superando as divergências históricas e culturais, à partir de uma reconciliação cristã que aceite a diversidade entre as igrejas.

Situado dentro do Parque Turístico Nacional Vale dos Templos, o Kinkaku-ji se beneficia da Mata Atlântica que o envolve com seu clima, suas plantas, suas águas, suas pedras, e seu terreno acidentado. Engastado na mata, o Kinkakuji é rodeado por um entorno em estilo japonês. 

O Kinkaku-ji do Brasil encontra-se ao pé de um terreno escarpado, mas o caminho turístico que leva até ele é íngreme e em degraus, com alguns assentos para descanso em pontos estratégicos. 

Na descida até o Kinkaku-ji, a gente vê vários jazigos individuais e familiares, feitos em granito negro. São jazigos verticais, uma tradição japonesa.

Pelo caminho, também encontramos nichos para guardar as cinzas depois da cremação. O nicho mais conhecido deles é o de Cassiano Gabus Mendes, famoso autor de novelas. 

O Kinkaku-ji do Brasil nasceu como um empreendimento cuja proposta era oferecer um cinerário em complemento aos serviços de cremação que se iniciava em São Paulo aos moldes de um cemitério japonês. A cremação é aceita entre cristãos e budistas. Em 1974 o crematório da Vila Alpina em São Paulo foi o primeiro crematório construído na América Latina, e contou com o apoio da comunidade japonesa radicada no Brasil que já tinha a cremação por tradição. 

O Kinkaku-ji do Brasil nasceu de um empreendimento privado, inaugurado em 1976 e administrado pelo Centro Ecumênico Vale dos Templos, que revitalizou toda a estrutura do parque com o intuito de comercializar cinerários verticais e nichos. 

Para chegar ao templo é necessário encarar uma descida que apesar de segura é bastante íngreme, portanto não é recomendável para pessoas com dificuldade de locomoção.

       Cabeça de Buda na rocha.

 

O Templo foi idealizado por Alonzo Bain Shattuck, um americano que morou no Japão durante 15 anos. Teve como arquiteto Takeshi Suzuki e foi construído com a participação de dois escultores japoneses: Noburo Norisada e Kanto Matsumoto. 

O Templo foi construído em concreto armado e revestido com cedro, que recebeu uma pintura dourada especial em vez de ser folhado a ouro como o Kinkaku-ji do Japão. 

Em seu interior há várias salas para celebração de cerimônias ecumênicas, batismos e casamentos e um cinerário com vários columbários somando mais de cinco mil nichos permanentes. É rito tradicional japonês o costume de preservar as cinzas dos seus ancestrais. 

Nos pés do Templo, tem um lago cheio de de carpas, e nos jardins ao redor, há um belo túnel feito de cerejeiras ornamentais que afloram no inverno entre os meses de julho e agosto. 

Horário de funcionamento do Templo: Terça à Domingo das 09h às 16h. Ingresso: R$ 5,00 por pessoa.

 

Conheça outros Templos em São Paulo 

Nesse link, vc encontra os principais templos da cidade de São Paulo. Clique AQUI 

 

Leia também:

Tudo de legal que tem para conhecer na cidade de São Paulo

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.